APENAS UM EXEMPLO

Na sua origem, a nossa Constituição, é a que temos e não outra, tinha um forte pendor socializante, porém, as sucessivas revisões constitucionais procuraram adequar Portugal aos princípios da economia de mercado vigentes na União Europeia

NEM TUDO SÃO ROSAS, SENHORES!

Neste nosso País que teve o engenho e arte para se libertar do fascismo que o oprimia, encetando de seguida um caminho para um tipo de democracia ainda em formação, temos sido surpreendidos, em frequência a tornar-se perturbadora,

COMEMORAÇÕES MISTIFICADORAS PARA CONSUMO POPULAR

Para assinalar os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial mais de 60 chefes de Estado, incluindo o Presidente da República Portuguesa, participaram em Paris no chamado Dia do Armistício, o qual colocou um ponto final numa das grandes e cruéis chacinas militares mundiais, que só em soldados ceifou a vida a cerca de 10 milhões.

AS MULHERES PORTUGUESAS E AS SUAS LUTAS

Subordinado ao tema «Igualdade na vida – O combate do nosso tempo», realizou-se em Setúbal no passado dia 27 de Outubro o X Congresso do MDM-Movimento Democrático de Mulheres, que reuniu mais de quinhentos participantes entre os quais trezentas congressistas, mulheres que sabem, querem e vão continuar a lutar.

SE BEM ME LEMBRO

Em termos de comunicação social, foi autor e apresentador do programa televisivo que dá título a este texto e que muito contribuiu para popularizar a sua figura e dirigiu ainda o jornal O Dia entre 11 de Dezembro de 1975 a 25 de Outubro de 1976.

IN MEMORIAM

José Saramago nasceu na Vila de Azinhaga, no concelho da Golegã, de uma família de pais e avós agricultores, sendo a sua vida passada em grande parte em Lisboa, para onde a família se mudou em 1924 quando tinha apenas dois anos de idade.

MAIS UM AVISO À NAVEGAÇÃO

No passado dia 7, os brasileiros foram às urnas para escolher um novo Presidente, membros do Parlamento, Câmara dos Deputados e Senado, além de governadores e legisladores regionais em todo o país.

ENTRE A REALIDADE E A FICÇÃO

Dando como certo um relatório publicado pelo Alto Comissariado para as Migrações, cerca de metade dos 1.520 refugiados que chegaram a Portugal entre 2015 e 2017 abandonaram o País o que nos leva a questionar se será Portugal de facto um país acolhedor ou haverá razões para pensar o contrário.

O PERIGO CONTINUA A BATER À PORTA

No dia 11 de Setembro passado, completaram-se 45 anos do sangrento golpe de estado no Chile, chefiado por Augusto Pinochet, que derrubou o presidente constitucional Salvador Allende e deixou sequelas de crimes, desaparecimentos e torturas.