O Passeio Sénior da União de Freguesias de Grijó e Sermonde realizou-se no dia 24 de setembro, depois de dois anos de interregno, causados pela pandemia da Covid-19. A primeira paragem dos cerca de 600 idosos foi em Santo Tirso, tendo a viagem culminado na Quinta do Palácio Rauliana, onde não faltou boa comida, espaços bonitos e muita animação. Patrocínio Azevedo, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Elísio Pinto e Dário Silva, vereadores da mesma autarquia, fizeram questão de estar presentes nesta grande festa da terceira idade e neste dia cheio de alegria e emoção.

 

 

 

Depois de dois anos de interregno, causados pelas restrições da pandemia da Covid-19 que assolou o país e o mundo, o Passeio Sénior da União de Freguesias de Grijó e Sermonde voltou a acontecer. Na manhã do dia 24 de setembro, onze autocarros saíram das localidades e transportaram cerca de 600 idosos para um dia diferente do habitual. A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários dos Carvalhos acompanhou o passeio.

A primeira paragem do dia foi em Santo Tirso, onde a população teve a oportunidade de tomar o pequeno-almoço e passear pelos jardins e ruas da cidade. Depois, seguiu-se o curto caminho até à Quinta do Palácio Rauliana, em Famalicão, onde os seniores puderam usufruir de uma grandiosa refeição. A festa estava tão animada que Patrocínio Azevedo, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Elísio Pinto e Dário Silva, vereadores da mesma autarquia, marcaram presença no evento, assim como o pároco da União de Freguesias, António Coelho.

Depois dos estômagos estarem bem compostos, as edilidades acompanharam César Rodrigues, presidente da União de Freguesias de Grijó e Sermonde, a fazer uma breve ronda pelas mesas, para cumprimentar as pessoas e saber se elas estavam a gostar do dia.

Depois do banquete e dos cumprimentos, foi tempo de abrir a pista de dança, sendo que o vereador Elísio Pinto e o presidente César Rodrigues acabaram por não resistir ao momento dançante. Fora as personalidades, as estrelas do bailarico foram mesmo os seniores de Grijó e Sermonde. Para os mais recatados ou com menos jeito para a dança, não faltaram recantos na quinta para descontrair, ou mesmo para tirar umas boas fotografias para mais tarde recordar. Além disso, os próprios idosos acabaram por, no exterior do estabelecimento, reunirem-se em torno de uma guitarra e de umas belas melodias.

Depois da animação, tempo do lanche ajantarado e das formalidades a que estas iniciativas obrigam. Dário Silva foi o primeiro a usar da palavra e, relembrando que também ele já foi presidente de uma Junta de Freguesia, classificou o passeio sénior como “um dia especial”, aludindo ao facto de ter assistido a alguns reencontros de pessoas durante o tempo que esteve no evento. “É um dia diferente, de partilha, felicidade e alegria, coisas que nos fazem falta nos dias que correm, onde ligamos a televisão e só vemos guerra, inflação, problemas económicos. Nós necessitamos de momentos para estarmos todos juntos, para partilharmos a felicidade uns com os outros e para demonstrarmos essa amizade. Este dia é, sobretudo, um dia de amizade”, referiu o vereador.

Além disso, Dário ainda destacou o facto do Passeio Sénior ser “um miminho” do poder público, no caso, da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia, para com quem “já fez tanto por nós ao longo da vida (…). Vocês merecem, já contribuíram muito para a vossa freguesia, para o vosso concelho e para o vosso país”.

O vereador também não deixou de mencionar que o trabalho é conjunto, e que “a Câmara Municipal não podia dar a resposta que dá à sua população se não pudesse contar com a Junta de Freguesia e com esta equipa que nós criamos para servir o concelho”. Lembrando que as pessoas são prioridade para este executivo, afirmou que “continuamos empenhados, e no caso de Grijó, particularmente, com a construção de um novo centro de saúde, que vai ser uma realidade, o mais rapidamente possível”.

Por último, na sua intervenção, elogiou César Rodrigues, afirmando que “é, acima de tudo, um grande ser humano e um excelente presidente de Junta”. “O César Rodrigues é um grande profissional e uma grande pessoa, com um coração que não é do tamanho do mundo, é do tamanho do universo. Basta ver a forma como ele, há pouco, passou pelas mesas, o carinho que ele nutre pelas pessoas e que as pessoas nutrem por ele. Isto não é hipocrisia, isto vem de dentro e é sentido”, concluiu Dário Silva, levando o autarca de Grijó e Sermonde às lágrimas.

Por sua vez, César Rodrigues, começou a sua intervenção por chamar os Bombeiros Voluntários dos Carvalhos ao centro e entregando-lhes o donativo recolhido pelos idosos. O autarca entregou, em mãos, 826,25 euros aos bombeiros, a quem agradeceu por “abdicarem de estar com a família e com os amigos, porque são jovens, para estarem connosco, a ajudar no que fosse necessário”.

Depois, não deixou de agradecer aos funcionários da Junta de Freguesia e aos guias que acompanharam os autocarros por “aturarem o meu bom humor e o meu mau humor, que quando é mau é mesmo mau”, deixando claro que “sem eles não estávamos cá”, agradecendo pela ajuda na organização do evento.

Mesmo na reta final, e num momento muito emotivo, César Rodrigues referiu os dois anos difíceis que se viveram e pediu para os presentes repararem nas ausências. “Eu vou pedir um minuto de silêncio para aqueles que já não estão entre nós, porque todos nós, ou quase todos, perdemos um familiar nestes dois últimos anos e eu queria um minuto de silêncio por eles, por não estarem hoje cá”, disse, novamente em lágrimas.

Para o fim da festa, ficou, então, o bolo e o brinde, onde o presidente da União de Freguesias de Grijó e Sermonde ainda aproveitou para “pedir desculpa se, por acaso, passei por alguém e não cumprimentei ou se, por acaso, fui menos simpático com alguém. Não era a minha intenção não cumprimentar alguém, mas é uma imensidão de pessoas e falhamos sempre”.