A Feira Agrícola Açores 2022, que decorreu entre os dias 17 e 19 de junho, no Parque de Exposições de Santana, na Ribeira Grande, acolheu, pela primeira vez, o 39º Concurso Nacional da Raça Holstein Frísia. Neste contexto, a Federação Agrícola dos Açores revelou que estiveram perto de 300 animais e cerca de 80 pessoas a concurso, naquele que se assume como sendo o maior evento dedicado ao setor da agricultura nos Açores.

 

 

Depois de dois anos de interregno, a Feira Agrícola dos Açores realizou-se, entre os dias 17 e 19 de junho, no Parque de Exposições de Santana, na Ribeira Grande. Este evento, que tem como principal objetivo demonstrar a excelência da agricultura açoriana, contemplou, pela primeira vez, o Concurso Nacional da Raça Holstein Frísia, o que, para Jorge Rita, presidente da Federação Agrícola dos Açores, “dignifica o setor e a Região Autónoma”.

Com perto de 300 animais e cerca de 80 pessoas a concurso, o maior evento dedicado ao setor da agricultura nos Açores foi apresentado, no passado dia 25 de maio, durante uma conferência, que contou com a presença de António Ventura, secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, e Jorge Rita, presidente da Federação Agrícola dos Açores (FAA), entidades que têm estado a colaborar em conjunto, para a concretização do certame.

Com o intuito de projetar a agricultura da Região Autónoma dos Açores, estimular o crescimento dos jovens agricultores, proporcionar momentos de partilha e aprendizagem entre todos os participantes e fomentar o empreendedorismo no setor, este evento, que já não se realizava em São Miguel há cinco anos, contempla um programa diversificado, que contempla as várias vertentes da agricultura, assim como da produção vegetal e animal.

Assim, a sessão oficial de abertura da Feira Agrícola Açores 2022, que decorreu ao longo de três dias, aconteceu no dia 17 de junho, pelas 11 horas. Para além de mostras, workshops, demonstrações, concursos, desfiles, exposição de produtos da agricultura açoriana, como o gado vivo, sem descurar os produtos hortícolas e frutícolas, o evento proporcionou, ainda, muita animação para toda a família, com espaços dedicados às crianças e momentos musicais.

No recinto do Parque de Exposições de Santana, os visitantes puderam visualizar mais de 150 vitelas e novilhas, mais de 70 vacas em lactação, 11 animais de cinco produtores do continente português, mais de 30 cabeças de gado de carne, mostra de ovinos e caprinos, provas de equitação, demonstrações de aves e cães, sala de produtos qualificados dos Açores, com degustação e showcooking, dezenas de expositores e stands, o Fórum Bio’22 e atividades didáticas para crianças, no Centro Ambiental.

Por outro lado, o Pavilhão Agricultura do Futuro foi o palco da intervenção de inúmeros oradores, sobre os assuntos mais relevantes da atualidade, assim como do 39º Concurso Nacional da Raça Holstein Frísia.

Para o secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, a Feira Agrícola Açores 2022, demonstra que “a identidade da agropecuária açoriana está, verdadeiramente, associada à autonomia regional”, uma vez que “não há autonomia sem agricultores e esta só pode ser fortalecida se houver agricultores fortalecidos”.

Assegurando que “o Governo Regional dos Açores tem o privilégio e a honra de apoiar este evento, que é dos agricultores e a quem muito devemos historicamente, no presente e para o futuro, pois a eles devemos a nossa economia”, o governante revelou, ainda, que a Feira Agrícola Açores 2022 contribui para a recuperação económica do arquipélago.

Neste contexto, Jorge Rita, presidente da Federação Agrícola dos Açores, aproveitou a sessão de apresentação desta iniciativa para salientar a importância do setor agropecuário na economia açoriana, uma vez que é responsável por “mais de 300 milhões de euros de exportações e expedições”.

Sustentando que, ao longo dos anos, tem-se vindo a assistir a uma projeção da agricultura a nível regional, nacional e mundial, o presidente da Federação Agrícola dos Açores, evidenciou que a pandemia e a guerra na Ucrânia “acentuaram ainda mais, trazendo para a ribalta a importância da agricultura, como fator de manutenção e potenciação do nosso crescimento, mas, mais ainda, como aquele que pode assegurar a nossa sustentabilidade agroalimentar”.

Jorge Rita enalteceu que “esta vai ser a maior feira de sempre”, asseverando que será, também mais globalizante, “porque é a primeira vez que é feito cá um Concurso Nacional da Raça Holstein Frísia. É uma abrangência maior e o reconhecimento da importância e peso que temos no setor leiteiro, perante a Associação Portuguesa de Criadores da Raça Frísia”.

Com a expectativa de que esta iniciativa alavanque novamente a economia no setor, o presidente da Federação Agrícola dos Açores fez questão de realçar que os Açores representam 2,5% do território e 35% da produção leiteira, comparativamente ao continente, sendo que é no arquipélago onde se encontram 70% dos bovinos, com classificação morfológica de excelência, o que traduz um trabalho de melhoramento genético “brutal” e de “grande qualidade”.