A sétima edição do iNstantes – Festival Internacional de Fotografia de Avintes, ocorre entre os dias 4 e 30 de setembro. Foi a Fundação Joaquim Oliveira Lopes, em dia de aniversário, que recebeu a pequena gala de abertura no dia 4 de setembro, que além das formalidades dos discursos, contou com uma homenagem e um espetáculo musical. O festival contará com vinte e seis exposições de 53 artistas, oriundos de dez países diferente: uma panóplia de olhares, temas e fotografias que promete não desiludir.

 

 

Foi no dia 4 de setembro que aconteceu o espetáculo de abertura da sétima edição do iNstantes – Festival Internacional de Fotografia de Avintes, na Fundação Joaquim Oliveira Lopes, curiosamente, no dia em que a mesma comemorava 20 anos. Diferente dos anos anteriores, devido à situação pandémica que o mundo atravessa, realizou-se num espaço exterior, cumprindo distanciamento entre lugares e com todos os convidados a respeitar o uso da máscara. Numa cerimónia simples e acolhedora, pode ouvir-se apenas pequenos discursos de Pereira Lopes, diretor do evento; Paula Carvalhal, vereadora da cultura da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e de Cipriano Castro, presidente da Junta de Freguesia de Avintes. O ato inaugural foi apontado como uma forma simbólica de dar as boas-vindas a fotógrafos e visitantes.

 

53 fotógrafos, dez países

Em 2020, o iNstantes conta com a participação de 53 fotógrafos, oriundos de dez países diferentes (Portugal, Espanha, Itália, Holanda, Finlândia, Brasil, Colômbia, Cabo Verde, Moçambique e Japão) que representam vinte e seis exposições, que podem ser visitadas até ao dia 30 de setembro, espalhadas por cinco pólos, desde Viana do Castelo, Lourosa, Grijó, Vilar de Andorinho e Avintes, sendo este último o pólo central. É em Avintes, berço deste festival fotográfico, que haverá mais exposições espalhadas pelo território, como na Casa da Cultura, na sede da junta de freguesia, bem como em sedes de associações culturais da freguesia, por exemplo a banda de música local ou Os Plebeus Avintenses. Ainda é possível ver fotografias em centros de dias, na Quinta da Agraceira e em alguns restaurantes.

O Festival Internacional de Fotografia de Avintes “não tem, nunca teve e nunca terá um tema central”, como fez questão de referir Pereira Lopes, para que esse não “condicione o olhar e a criatividade”.  O diretor garante então que o iNstantes 2020 tem um leque alargado de propostas fotográficas, “vários olhares sobre aquilo que nos rodeia no mundo, desde questões como os refugiados à beleza das paisagens”.

O festival que acontece desde 2014 tem-se consolidado ano após ano, como apontaram todos os intervenientes na singela gala de abertura, e tem despertado cada vez mais interesse à comunidade internacional de fotógrafos. Paula Carvalhal, vereadora da cultura, não hesitou em elogiar a organização pelo facto de ter sido persistente na realização de um evento cultural tão importante numa época tão difícil e onde os constrangimentos são tantos. “Estou aqui para prestar homenagem a si (Pereira Lopes) e a todos os artistas que abrem este festival, porque num tempo tão insólito como estamos a viver, montar um festival deste calibre, é impressionante”, foram as palavras utilizadas pela representante da Câmara Municipal de Gaia. Já Pereira Lopes, diretor do festival, diz achar que a conjuntura atual do país e do mundo, pouco afetará o iNstantes, uma vez que as exposições estarão disponíveis por um espaço de tempo generoso (até 30 de setembro) e dispersas por vários locais, e que desde que se cumpram todas as normas de segurança, acredita até em casa cheia em algumas atividades, como aberturas de exposições ou lançamentos de livros.

Cipriano Castro frisou a importância deste evento na freguesia, que muitas vezes está centrada, culturalmente, no teatro, referindo com positividade esta outra vertente cultural de Avintes. Foi também o autarca que referiu que este foi um evento que os avintenses primeiro estranharam, mas que ano após ano foi conquistando novos públicos. Já a junta de freguesia sempre apoiou o iNstantes e, há já alguns anos, que é responsável pela sua organização.

E porque nem só de fotógrafos se faz o festival…durante a pequena cerimónia de abertura, Agostinho Soares foi homenageado. Agostinho recebeu um diploma, como forma de reconhecimento pelo seu trabalho ao longo dos anos, seja na montagem das exposições, às questões relacionadas com luz e som, mas tudo fundamental para que o festival aconteça. A noite contou ainda com a atuação da banda “Os 7 Magníficos”, porque como o anfitrião fez questão de referir: “não seria festa, sem boa música”.

No final, ficou no ar a vontade do município de continuar a apoiar o iNstantes para que este cresça condignamente, através das palavras da vereadora Paula Carvalhal. Sobrou ainda espaço para o convite de Pereira Lopes: “O apelo que eu faço é que as pessoas visitem Avintes, aproveitando o festival de fotografia, mas também tudo o resto que Avintes tem de bom, como por exemplo a gastronomia. Há aqui uma série de restaurantes magníficos e onde se pode aproveitar um dois em um…gastronomia e cultura”, disse o diretor do iNstantes referindo-se aos restaurantes que terão expostas fotografias do festival.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com