O itinerário jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela e que conta com uma média anual de 600 pessoas, pode chegar, este ano, aos três mil peregrinos. Nos dias 16 e 17 de julho, decorreu, no largo do monólito do KM100 do Caminho da Geira e dos Arrieiros, o encontro sociocultural. Abdón Fernández, presidente da associação fundadora do projeto (AJCMR) e da Plataforma Berán no Caminho, destacou que “este caminho foi feito por mais de 2.775 peregrinos desde maio de 2017 e pode alcançar agora os três mil até dezembro”. Durante o evento foi realizada uma cerimónia de homenagem a três portugueses e um galego “pela sua contribuição e entrega incondicional ao crescimento do projeto do caminho”, frisou Abdón Fernández. Os homenageados foram Manuel Rocha, irmão maior da Arquiconfraria Universal do Apóstolo Santiago, António Devesa, delegado da Associação Espaço Jacobeus em Braga, Carlos Ferreira, jornalista, e Dario Angel Rodriguez, secretário-geral da associação AJCMR.

Juan Manuel Gándara, presidente do Conselho Regulador da Denominação de Origem Protegida do Ribeiro e da Associação Rota do Vinho do Ribeiro, considerou que “os caminhos de Santiago são fundamentais, porque são pontos de chegada de visitantes à região, hoje como ao longo da história”. Juan Gándara realçou que o Ribeiro “está a viver uma nova primavera” e tem como objetivos “aumentar a sua base territorial e potenciar-se como destino enoturístico de qualidade durante o ano inteiro”. No ano transato, o Caminho da Geira e dos Arrieiros contou com a passagem de 904 peregrinos, este ano, o caminho já foi percorrido por 531. Abdón Fernández afirmou que “basta repetir-se o número de 2021 para se atingirem os três milhares, e sem considerar os peregrinos que não se registam”. Aproveitou ainda para enaltecer que “mais do que estes dados, importante é a consciência que se consolida sobre as potencialidades deste caminho”.