Durante dois dias, a praia do areal de Santa Bárbara acolheu a 1ª edição da Feira do Mar com Vida, uma iniciativa que contou com vários oradores e apresentações de muitos projetos locais, bem como um Showcooking onde foram demonstradas formas criativas de cozinhar pescado de baixo valor comercial.

 

 

A praia do areal de Santa Bárbara, na Ribeira Seca, recebeu, nos passados dias 4 e 5 de novembro, a 1ª edição da “Feira do Mar com Vida”, uma iniciativa da Câmara Municipal da Ribeira Grande, inserida no âmbito do projeto “Mar 2020” que tem como objetivo promover e divulgar produtos piscícolas locais e serviços de turismo ligados ao mar, existentes no concelho.

O evento contou com oradores em vários painéis durante o primeiro dia, bem como a apresentação de vários projetos por empresas e entidades públicas, promovendo o que é feito no concelho, e com a presença de Alexandre Gaudêncio, presidente da autarquia, e Alexandra Guerreiro, diretora regional das pescas. Esta última, elogiou a iniciativa da autarquia ribeiragrandense, afirmando que “estas iniciativas são, de facto, de louvar, a valorização dos nossos produtos da pesca se assentarem naqueles de menor valor comercial são sempre ações que devem ser promovidas”.

Já Alexandre Gaudêncio fez questão de explicar que este evento “é uma estratégia com uma visão de virar, cada vez mais a cidade e o concelho para o mar” e que acaba por ser “uma montra do que pretendemos para já e para o futuro”.

“Esta atividade revela-se como uma oportunidade de excelência de juntar associações, empresas e profissionais com as mais diversas atividades e produtos provenientes do mar para, acima de tudo, promover a criação uma rede de relações entre entidades que poderá proporcionar uma promoção integrada do potencial dos produtos do mar da Ribeira Grande”, afirmou Alexandre Gaudêncio.

“Para nós, tem tido especial impacto esta chamada “Economia do Mar” nomeadamente com inúmeros projetos, alguns já implementados, outros que vão ser apresentados hoje. O município quer dar esse passo gigante de mais do que virar a cidade para o mar, criar já condições para que isto seja um objetivo diário de todos. Porque isto envolve diversas parcerias e por isso esta Feira do Mar vem ao encontro dessa necessidade que temos de, por um lado, mostrar o que temos feito, e por outro lado o que queremos fazer para o futuro”, acrescentou.

O autarca afirmou ainda que a Feira tem como objetivo, também “posicionar a Ribeira Grande, não como a capital do mar porque já outros municípios têm esse nome, mas como a capital do surf mas com sentido mais lato”. “Não diretamente com a modalidade, mas no sentido de aproveitar esse fenómeno para olharmos para toda uma cadeia e toda uma economia que queremos aproveitar”, explicou.

Já no segundo dia, decorreu um “Showcooking”, pelo chef ribeiragrandense Cláudio Pontes, promovido pela associação Local Food Culture que teve como objetivos apresentar formas criativas de cozinhar pescado de baixo valor comercial, bem como despertar para questões como o desperdício alimentar e o aproveitamento de produtos locais.

Durante o certame, o município deu ainda a conhecer o processo de certificação das praias, cujo principal objetivo é contribuir para a valorização e sustentabilidade do território, garantindo assim a prestação de um serviço de qualidade que integre os valores das comunidades costeiras e respeite a sensibilidade ecológica local.