Já foi lançada a 4ª edição dos Prémios ANAM. A iniciativa, organizada pela Associação Nacional de Assembleias Municipais visa reconhecer estudos, artigos e trabalhos escolares, académicos ou jornalísticos que dignifiquem as Assembleias Municipais e/ou o seu papel nos municípios. Os prémios estão divididos em três categorias e os trabalhos podem ser enviados até ao dia 30 de junho para geral@anam.pt ou por correio registado para a sede da ANAM.

 

 

A Associação Nacional de Assembleias Municipais lançou a 4ª edição dos Prémios ANAM. Esta é uma iniciativa que visa reconhecer, no plano nacional, estudos, artigos, trabalhos de investigação científica e jornalística e trabalhos de âmbito escolar relacionados com matérias que valorizem e dignifiquem as Assembleias Municipais e o seu papel na organização democrática dos municípios.

Os Prémios ANAM têm três categorias distintas: o Prémio “boas práticas” nas Assembleias Municipais, que reconhece o trabalho das Assembleias Municipais, na promoção das boas práticas no seu funcionamento e seu impacto local na relação com os munícipes; o Prémio trabalhos de âmbito escolar, que destaca trabalhos ou atitudes originais que contenham um contributo relevante para o desenvolvimento e promoção da cidadania e participação democrática no seio da comunidade escolar e local; e o Prémio Dr. José́ Manuel Pavão, dirigido a pessoas e entidades, autoras de estudos e trabalhos de investigação académica e jornalística que promovam a difusão dos direitos e liberdades fundamentais, reforço dos valores democráticos e valorização do poder local, nomeadamente da Assembleia Municipal.

Para Albino Almeida, presidente da ANAM, a atribuição destes prémios “representa o reconhecimento do esforço que tem vindo a ser feito no âmbito da divulgação da valorização das Assembleias Municipais em prol dos cidadãos. Esta é uma iniciativa que visa contribuir para uma maior difusão das Assembleias Municipais como órgãos fundamentais do poder local e essenciais no estado democrático”.

Para a ANAM é importante promover, junto da sociedade, um maior envolvimento naquelas que são as questões estruturantes do poder local. Albino Almeida considera que “a participação dos jovens nos processos de tomada de decisão que afetem a sua vida é essencial para o seu desenvolvimento enquanto cidadão ativos e conscientes dos seus direitos e deveres. As escolas devem desempenhar um papel fundamental, como espaços de prática onde os jovens e demais elementos da comunidade escolar possam adquirir e reforçar conhecimentos e experiências de cidadania”.

Os trabalhos deverão ser enviados até ao dia 30 de junho através do endereço eletrónico geral@anam.pt ou por correio registado, com aviso de receção, para a sede da ANAM. O regulamento está disponível em www.anam.pt.