Durante os dias 4 e 7 de julho, nos Açores, decorreu a Global Exploration Summit (GLEX), a cimeira que discutiu o futuro do planeta e juntou a elite dos exploradores mundiais. O Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, foi o ponto de encontro e de apresentação de mais de 40 sessões, em que foram partilhadas tecnologias e inovações de ponta, que estão a abrir caminho a uma nova época. Foi a primeira vez que os Açores acolheram o programa integral da maior cimeira de exploradores do mundo, uma coorganização da Expanding World e do The Explorers Club of New York, com apoio do Governo dos Açores e do Turismo de Portugal.

 

Foram quatro dias dedicados a tudo o que se passa além dos limites da terra, dos oceanos e do espaço, onde a elite de exploradores, cientistas e investigadores partilhou com o público as descobertas mais recentes, as tecnologias mais inovadoras e as novas e futuras missões que prometem revolucionar o futuro. Na sessão de apresentação da GLEX Summit, Berta Cabral, secretária regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, realçou que “a realização de eventos e, em particular, com esta dimensão, é algo que o Governo dos Açores reconhece porque tem um potencial enorme para fazer crescer e diversificar o turismo nos Açores”. A secretária regional assegurou que esta cimeira “é uma aposta e um compromisso em catapultar a região para um patamar de primeira linha dos acontecimentos científicos e inovadores a nível internacional”. Berta Cabral referiu ainda que “ter a oportunidade de acolher nas nossas ilhas alguns dos grandes exploradores e cientistas da atualidade identifica, de forma indelével, a nossa região como um destino de natureza, de aventura, competencialidades que vão da terra, ao mar e ao espaço”. No epílogo do discurso aproveitou para enaltecer o facto da “Região Autónoma dos Açores ser o primeiro e único arquipélago no mundo certificado como Destino Sustentável, de acordo com os critérios do Conselho Global para o Turismo Sustentável”.

O programa desta cimeira incluiu mais de 40 painéis de apresentação, divididos por quatro temáticas principais: Oceanos; Exploração Espacial; Conservação da Natureza e Alterações Climáticas e as atuais e futuras Grandes Expedições do nosso tempo. O lema e mote da terceira edição desta cimeira foi “What’s Next?”, relacionado com a mudança de época na exploração e foi Richard Garriott, atual presidente do Explorers Club, que abriu o programa oficial da cimeira. Esta GLEX Summit trouxe a São Miguel inúmeros oradores, entre astronautas, aquanautas, exploradores polares, cientistas espaciais, engenheiros genéticos, vulcanólogos, geólogos, paleontólogos, oceanógrafos, biólogos marinhos, ecologistas, conservacionistas, cineastas e fotógrafos premiados. Importa realçar que, para além de São Miguel, a cimeira marcou presença no Faial onde foi realizada uma sessão irrepetível no Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, que contou com a presença da elite dos cientistas na NASA. A realização desta edição da GLEX Summit foi uma oportunidade para destacar o posicionamento estratégico do arquipélago no contexto do conhecimento, mas também da conservação, preservação e exploração do planeta. O primeiro dia da GLEX Summit 2022, compreendeu duas sessões, uma dedicada ao espaço e outra aos oceanos. No segundo dia desta cimeira, que foi dedicado à Terra e incluiu mais dez painéis de apresentação, a NASA afirmou que, em julho de 2031, vai aterrar em Vénus. O penúltimo dia da GLEX Summit ficou marcado pela variedade de temáticas, pela presença de convidados que integram o Explorer’s Club 50 (EX50) e pelo anúncio da Blue Origin de Jeff Bezos, através de um vídeo, de que um português irá integrar a próxima missão ao espaço que decorrerá entre julho e agosto deste ano. Manuel Vaz, fundador da Expanding World e coorganizador da cimeira, afirmou que “não podia estar mais orgulhoso. Fechámos com chave de ouro, com esta notícia fantástica de que vamos ter o primeiro astronauta português na próxima missão da Blue Origin”. Em retrospetiva do evento, Manuel Vaz considerou que esta cimeira foi “mais um encontro único e irrepetível com algumas das mentes mais brilhantes e inspiradoras do nosso planeta, mas também com os principais players da exploração e investigação mundial”. Assegurou ainda que “seria sempre difícil realizar este evento em qualquer lugar do mundo, mas conseguir fazê-lo aqui, nos Açores, é algo que me deixa particularmente feliz e orgulhoso, como organizador, mas também como português”. No último dia desta cimeira, as sessões foram realizadas, exclusivamente, online. No encerramento da sessão, António Costa Silva, ministro da Economia de Portugal, destacou a importância deste evento para o futuro do planeta. O ministro referiu que “a GLEX Summit é um evento fantástico e que deixa uma onda de entusiasmo e paixão para o futuro. É uma grande plataforma para partilhar histórias, aventuras, experiências, mas também conhecimento e novas visões para o futuro”. Aproveitou ainda para reforçar a urgência de “mais plataformas como a GLEX Summit possam surgir para ajudar a resolver os problemas que enfrentamos neste mundo difícil”.