A inauguração do edifício da Junta de Freguesia de Canelas realizou-se no passado dia 19 de fevereiro e contemplou um momento histórico, uma vez que colmatou o facto de esta ter sido, até à data, a única freguesia de Vila Nova de Gaia sem sede própria.

A cerimónia de inauguração do edifício-sede da Junta de Freguesia de Canelas contemplou um momento musical, que foi protagonizado pelo saxofonista Bruno Soares e contou com a presença de Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, de Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, de Arménio Costa, presidente da Junta de Freguesia de Canelas, do padre Manuel Lopes Ribeiro, pároco da freguesia, de Daniel Couto, arquiteto, de Albino Almeida, presidente da Assembleia Municipal de Gaia, de vereadores da autarquia, de presidentes de Juntas de Freguesia do concelho, da Associação de Solidariedade Humanitária de Canelas, dos Bombeiros Voluntários de Valadares, do Rancho Folclórico de Canelas e de entidades civis e militares.

Em causa está a primeira fase de uma requalificação mais abrangente, mais especificamente do Fórum de Cidadania de Canelas, que implicou um investimento municipal de 600 mil euros e inclui a Junta de Freguesia, os serviços sociais e administrativos, o salão nobre, o Espaço Cidadão, o Gabinete de Inserção Profissional e o Gabinete de Apoio Social.

Este edifício, que é da autoria de Daniel Couto, foi apresentado por Arménio Costa, presidente da Junta de Freguesia de Canelas, como sendo “acessível a todos, com condições para pessoas com mobilidade reduzida, através de rampas e de um elevador”, através de uma homenagem que fez ao seu pai, Fernando Lau, afirmando “a ti, pai, que estás no edifício da tua Junta. Que sensação fantástica poder receber-te numa casa que também é tua, que é de todos nós, de todas as pessoas que, tal como tu, tendo dificuldades de mobilidade, se viam impedidas de viver a cidadania na sua plenitude. Agora, tu podes e todos podem exercer um direito básico”.

“A política é uma dimensão estruturante da nossa vida em sociedade e como bem costuma sublinhar o nosso presidente, Eduardo Vítor Rodrigues, não somos todos iguais, sonhamos como muitos sonharam, prometemos como muitos prometeram, mas nós fizemos e vamos continuar a fazer. Quando fomos eleitos olharam para a nossa equipa como um grupo de jovens sem experiência, contudo juventude não é sinónimo de incompetência, nem de irresponsabilidade. A irreverência que nos caracterizou ajudou-me a sonhar e cá estamos nós a concluir o processo de libertação, a libertação de um passado menor, que nunca deveria ter acontecido, o povo de Canelas não merecia ter sido penalizado como foi, mas esse tempo de pesadelo termina hoje, com um objetivo cumprido. Sem o meu executivo, sem os deputados da assembleia, sem o executivo municipal, a obra não estaria aqui perante os nossos olhos, mas na política não há provas de velocidade, há, obviamente muitos obstáculos, mas estamos sempre a falar de provas de estafetas. São várias as gerações que, desde o 25 de Abril, sonharam com este dia, vários homens e muitas mulheres que deram o seu tempo a Canelas”, frisou o presidente da Junta de Freguesia de Canelas, acrescentando que “este espaço de cidadania é também um desafio à participação de todos contra o populismo crescente na nossa sociedade. A todos e a cada um de nós compete fazer um pouco mais. Cada um de nós tem que fazer a sua parte e se isso acontecer estou certo de que este Fórum de Cidadania estará mais perto de alcançar a missão para o qual foi pensado”.

Arménio Costa aproveitou ainda a ocasião para lançar um repto a Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, desafiando-a a instalar em Canelas uma Loja do Cidadão de última geração. “O serviço é, hoje, uma missão de todos, um processo de desenvolvimento em que acessibilidade dos cidadãos a serviços de qualidade é uma exigência da cidadania. Queremos, todos, uma administração pública mais exigente, mas também mais eficiente e sempre ao serviço das pessoas. A desmaterialização e a digitalização são caminhos que importa percorrer, mas senhora ministra, tenhamos sempre presente como é importante garantir que todos possam aceder a esses serviços. A exclusão digital não poderá ser sinónimo de exclusão social, queremos pois que este Fórum de Cidadania seja um espaço inovador e, por isso, permita-me senhora ministra, coloque Canelas na sua agenda e sinta-se à vontade, para se servir desta casa que, a partir de hoje, também será sua. Desafio-a a colocar em Canelas uma Loja do Cidadão de última geração, que permita a toda a margem sul de Vila Nova de Gaia o acesso a um serviço de excelência”, ressaltou o presidente da Junta de Freguesia de Canelas, lançando novos desafios “desafios para em conjunto constituírem o nosso futuro próximo. Temos a maior zona industrial do nosso concelho e a ligação através de uma via que tire o trânsito de pesados do centro da freguesia é uma urgência que se torna cada vez mais premente. Na dimensão social, a aposta na terceira idade e no apoio às pessoas com deficiência também é uma prioridade e, por isso, a continuação da aposta nas urbanizações sociais da nossa freguesia é algo que nos parece crucial”.

A sessão solene de inauguração do edifício-sede da Junta de Freguesia de Canelas envolveu ainda a participação dos alunos do Agrupamento de Escolas de Canelas que foram representados por Luís Rodrigues, aluno de 12º ano, do Curso Técnico de Turismo, e enalteceram que “hoje Canelas está em festa, hoje celebra-se a cidadania, a mesma cidadania cuja importância é reconhecida com um mundo mais justo, mais crítico, mais democrático. A educação para a cidadania é uma prioridade, faz parte do currículo e a sua presença nas escolas faz a diferença, o mundo pula e avança, por isso quisemos estar aqui, neste momento tão importante para a freguesia. Este edifício foi o sonho de muitos dos autarcas que passaram por esta terra e deram o seu melhor em prol do bem-estar da população da freguesia, mas a verdade é que foi este executivo da Junta que conseguiu levar até ao fim este tão sonhado objetivo”.

O Fórum de Cidadania de Canelas vai contemplar uma segunda fase, ainda em curso, que se vai erguer ao lado da sede da Junta de Freguesia de Canelas e vai abarcar um auditório com cerca de 350 lugares, com condições para acolher as necessidades das mais diversas instituições, uma nova praça, que vai estabelecer ligação axial ao Coreto e à Igreja Matriz e um centro cívico.

O presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, afirmou, neste seguimento, que “esta é uma obra que exemplifica o quanto nós podemos ir longe quando damos as mãos, o quanto nós podemos ir longe quando ultrapassamos as barreiras do nosso quintal, do nosso quintal institucional, e damos as mãos e nos unimos em torno de projetos comuns. É certo que a Junta de Freguesia pouco ou nada poderia fazer por este edifício sozinha, é certo também que a Câmara Municipal também tem com certeza outras prioridades, se a Junta de Freguesia não tivesse assumido esta como a sua prioridade, mas é também certo que todos juntos fomos capazes de edificar as energias, desde logo as energias financeiras para alavancar aquele que é um investimento que serve à freguesia como um todo e não serve apenas à Junta de Freguesia. Serve à freguesia como um todo, porque, em primeiro lugar, vai permitir ter aqui espaços dignos, espaços importantes para o desenvolvimento da freguesia. Espaços que têm que ver com o seu carácter administrativo, que é sempre um lado importante numa Junta de Freguesia, mas também têm que ver com o seu modelo de interação com as pessoas e eu espero que as escolas aqui de Canelas e particularmente a Secundária e a EB2/3 se envolvam na utilização deste salão para poderem desenvolver atividades abertas ao público, que possam ser complementares do que já fazem nas escolas como conferências temáticas, com envolvimento de gente que seja aqui convidada para vir dar a sua perspetiva sobre uma série de aspetos e possa ter aqui um espaço que sirva como Fórum de discussão sobre o modelo de desenvolvimento de Canelas e de Vila Nova de Gaia. Mas é também um espaço para inovação, nós temos a oportunidade de assistir em Canelas, ao desenvolvimento de um conjunto de respostas que passam pelo aprofundamento do papel da Junta de Freguesia. O Espaço do Cidadão, antes de alvorar a Loja do Cidadão, o Espaço do Cidadão estará disponível, desde já, para fazer, basicamente, tudo aquilo que é necessário, julgo que à exceção da emissão do passaporte, quase tudo o resto é possível passar a ser feito aqui, o que aliás já parcialmente era feito no ex-espaço Biblioteca, aprofundando, desta forma, a própria relação administrativa entre a Junta de Freguesia e as pessoas. Mas é também um momento em que deixamos em paz, do ponto de vista da infraestrutura, deixamos em paz uma IPSS, que precisava muito que a Junta de Freguesia de Canelas de lá saísse para poder aumentar a sua resposta, para poder alargar a sua resposta a outras pessoas que esperam pela fisioterapia, que esperam pelo centro de convívio e que graças a esta saída vai poder aprofundar o seu trabalho em prol da freguesia”.

O autarca salientou ainda que a sede da Junta de Freguesia de Canelas representa “o primeiro passo de uma estratégia integrada de desenvolvimento desta zona de Canelas” e asseverou que “também é bom que se diga que qualquer um de vós que aqui está, está com a tranquilidade de estar numa obra que já é do povo, no sentido de que já foi paga, de que é paga nos tempos devidos”.

“Ao município compete continuar a colaborar para que vocês façam do vosso dia-a-dia, um dia-a-dia cada vez melhor, mas também tenho que dizer que ao município compete responsabilizar pelo tempo que têm agora pela frente, usar devidamente este edifício, fazer dele um edifício icónico na freguesia e assumi-lo como simbólico tal e qual como ele é”, sublinhou Eduardo Vítor Rodrigues durante a sua intervenção, dirigindo-se posteriormente à Freguesia de Canelas, referindo que “este é o primeiro dia do resto das vossas vidas, é o primeiro dia em que assumimos que este espaço altera radicalmente o modus vivendi desta freguesia, que o auditório consubstancie esse patamar de aprofundamento das relações culturais que vamos ter connosco e com os de fora e que possam olhar para este edifício como uma disponibilidade do município para continuar a fazer de Canelas o que verdadeiramente é e nem sempre é considerada, o miolo central do concelho de Vila Nova de Gaia, por onde tem que passar o que de melhor se faz em termos culturais e desportivos”.

O presidente da Câmara Municipal de Gaia fez ainda questão de destacar que “a vida em Canelas não começa e não acaba com esta inauguração. Eu acho que a vida em Canelas continuará, continuará mais fortalecida, com novos e auspiciosos investimentos e, em breve, quando for tempo disso, quando acabarem os estudos que vamos assinar na próxima sexta-feira, em Gondomar, em breve nós teremos aqui novas estratégias de desenvolvimento, para vos propor, para dialogar e para, repito, fazer de Canelas uma grande freguesia, como já é, de Vila Nova de Gaia, mas agora fortalecida com uma rede de equipamentos, que não fica nada a dever a nenhuma outra freguesia de Gaia”.

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, foi uma presença relevante nesta sessão, na qual fez questão de afirmar que “aquilo a que hoje aqui assistimos, não é, apenas, e já era muito, à inauguração de um edifício, é muito mais do que isso, é a realização de um sonho”, porque “mais do que um edifício, é o símbolo dessa proximidade entre o poder político e os cidadãos, porque o poder político, na realidade, serve e só existe para servir os cidadãos. E nesta ocasião três ideias me vêm à cabeça, uma primeira ideia prende-se com esta palavra proximidade, prende-se com esta ideia de que é através das várias autarquias e em especial das freguesias que o poder político chega a todos, toma as decisões mais próximas dos cidadãos, que conhece melhor as suas populações, que traz, de facto, a decisão política para perto dos cidadãos. Ninguém conhece melhor as realidades de cada local do que, efetivamente, a junta de Freguesia e o seu presidente. Portanto, a primeira palavra que me vem à mente hoje aqui é proximidade, por sua vez, isto é particularmente importante no momento em que são chamadas a assumir competências todas as autarquias, competências acrescidas, todas as autarquias, as freguesias, os municípios, no quadro de um processo de descentralização que está a fazer o seu curso e que, repito, chama a exercer mais competências não só os municípios, mas também as freguesias e falo dentro de, exatamente, desta lógica de que as decisões são mais bem tomadas, são mais eficientes e são mais democráticas, se tomadas em maior proximidade com os cidadãos. A segunda nota que eu queria também aqui deixar prende-se com algo que também o senhor presidente referiu no seu discurso e que tem a ver com outra palavra que eu tenho andado aí a repetir desde que assumi funções, que é a palavra inclusão e isto porque tendo a tutela da Modernização do Estado e da Administração Pública, é verdade que falamos do digital, que falamos de tecnologia e ela veio para ficar e é uma vantagem, é uma coisa boa, porque nos permite estar próximos daqueles de quem estamos longe, porque nos permite resolver coisas mais facilmente e mais rapidamente, porque nos permite conhecer mundos que se calhar de outra forma não poderíamos conhecer e por aí adiante, contudo, a tecnologia também não pode ser um fator de exclusão (…) e por isso a importância do Espaço do Cidadão, que agora já existe em Canelas, que passará para este edifício e que terá, naturalmente, uma função redobrada e terá, também, um espaço melhor. Uma terceira nota que eu queria deixar, muito na linha do discurso do senhor presidente da Câmara Municipal, prende-se com a ideia de melhoria da vida dos cidadãos e nós estamos aqui claramente num momento que melhora a vida dos cidadãos de Canelas e também dos cidadãos de Gaia, mas fazê-lo com responsabilidade, fazê-lo com passos firmes, fazê-lo com passos que não põem em causa as gerações futuras”.

A cerimónia também incluiu a assinatura do contrato de empreitada para a construção do Edifício Multiusos do Fórum de Cidadania de Canelas e a assinatura do ato de lançamento da primeira pedra do Auditório do Fórum de Cidadania de Canelas.

Finda a inauguração, o presidente da Junta de Freguesia de Canelas falou com o AUDIÊNCIA e revelou que “este é um dia histórico, é um dia de principalmente de orgulho. As pessoas estão muito orgulhosas pelas instalações que agora temos. Éramos a única freguesia do concelho sem sede própria. Éramos a única freguesia do concelho que tinha que atender as pessoas de cadeira de rodas na rua. Isto foi a libertação de um passado que nunca deveria ter acontecido, só por algumas pessoas terem diferentes opiniões pelo poder local, instituído na altura. Isto passou, felizmente o pesadelo acabou e com o apoio imprescindível da Câmara Municipal agora temos estas magníficas instalações”.

Relativamente ao futuro da Freguesia de Canelas, Arménio Costa mencionou que “até 2021, felizmente ainda irão ocorrer coisas muito boas. Vão começar agora as obras do auditório para 300 pessoas, um complemento cultural quer da freguesia, quer do concelho, que irá complementar depois com a praça, o novo centro cívico, a requalificação do nosso Coreto, que é muito importante e está num estado bastante degradado, a requalificação da principal rede viária também irá começar e aquilo que também é o anseio das populações, que são as nossas capelas mortuárias, os estudos já começaram e aí, sim, tudo aquilo a que nos propusemos para este mandato ficará concluído. Eu acho que o final deste mandato tudo a que nos propusemos no manifesto eleitoral em 2017 estará tudo ou quase tudo concluído. O que não estiver concluído já estará no terreno e isso também mostra para credibilizar a classe política”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com