“Cansado de esperar” pelo ACES Gaia Norte, o município de Gaia decidiu avançar por conta própria com o rastreio à Covid-19 a idosos e profissionais do concelho. Ao todo, serão testados 1700 utentes e 850 profissionais, numa iniciativa que Eduardo Vítor Rodrigues considera essencial neste momento.

 

 

A Câmara Municipal de Gaia dispõe, desde o passado dia 18 de abril, de uma unidade de rastreio móvel à Covid-19, que irá percorrer os 59 lares de idosos e pessoas com deficiência do concelho. A decisão do município surgiu após este se ter disponibilizado para pagar a totalidade dos testes naqueles equipamentos mas, há mais uma semana, que não obteve qualquer resposta do ACES Gaia Norte para os concretizar.

“Ao fim de uma semana, temos um número considerável de testes feitos no ACES Gaia Sul e nada no ACES Gaia Norte. Desde o início consideramos o diagnóstico nos lares como uma estratégia fundamental para identificar potenciais positivos e evitamos contaminações gerais. Por isso, o município, cansado de esperar, decidiu avançar sozinho”, explicou Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da autarquia.

Para o efeito, a Câmara alugou uma carrinha devidamente equipada, contratou nove enfermeiros e assumiu um protocolo com o Hospital de Gaia, sendo que serão feitos testes em todos os lares, nove horas por dia e sete dias por semana, esperando que todo o processo esteja concluído em 10 dias e testando 1700 utentes e 850 profissionais.

O primeiro lar a receber esta unidade móvel foi o de Santa Isabel, em Mafamude, onde foram recentemente detetados seis casos positivos de Covid-19 e onde, segundo Eduardo Vítor Rodrigues, “apesar das muitas insistências, não se conseguiu que fossem feitos mais testes”.

“Este atraso, esta burocracia e este sofrimento não são explicáveis. Não adianta que as entidades tenham boa-vontade e depois haja chefias intermédias a colocar tudo em causa. Se no ACES Gaia Sul as coisas têm acontecido com agilidade, o ACES Gaia Norte não tem resultados práticos e o município não espera mais. Avançamos e se alguém quiser acompanhar o nosso esforço, muito bem. Precisamos de quem ajude, não de quem bloqueie ou atrapalhe”, acrescentou o autarca.

Além desta medida, abriu também, a 17 de abril, mais um centro de testes à Covid-19, localizado no Pavilhão Municipal da Lavandeira, tornando assim Gaia a única cidade do país a dispor de três centros de rastreio à pandemia. Criado em parceria com o laboratório Synlab, este novo centro junta-se aos já existentes no Espaço Mais Grijó e na Rua 14 de Outubro, em frente à PSP.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com