Dois meses após o início do seu primeiro mandato à frente dos destinos da Junta de Freguesia de Covelas, Alexandra Ferreira, presidente do executivo, falou, em entrevista ao AUDIÊNCIA, sobre a ligação inquebrável e o amor que sente pela terra que a viu nascer. Com uma longa viagem pelo mundo político, a autarca falou sobre a sua vontade de continuar a colocar a localidade “à frente de tudo e de todos”, transformando-a numa referência no concelho da Trofa. Relativamente ao amanhã, aquela que é a primeira mulher presidente de Junta do município assumiu a ânsia de contribuir para o bem-estar da população e para o desenvolvimento da localidade, para legar às gerações mais novas uma Covelas muito melhor.

 

 

 

Qual é a história do seu percurso no mundo da política? O que a levou a candidatar-se ao cargo de presidente de Junta?

Eu entrei cedo para a política. Comecei na JSD, quando tinha 19 anos. Depois, o bichinho da cidadania ativa e de querer mudar o mundo foi sempre crescendo. Assim, fui construindo o meu percurso, sem planos e as funções que desempenhei foram surgindo naturalmente. Depois dos 30 anos, passei para a Comissão Política Concelhia do PSD e fui eleita para a Assembleia Municipal da Trofa, durante dois mandatos, cargo que desempenhei com muito orgulho e com sentido de dever. Fui, também, secretária da Mesa da Assembleia de Freguesia de Covelas, da minha terra, e, por fim, antes de ter sido eleita presidente de Junta, pertenci ao executivo da Junta de Freguesia, como tesoureira, durante 12 anos. Ou seja, a minha ligação à vida autárquica já é longa. O que me levou a aceitar o desafio, que me lançaram, e esta missão de liderar os destinos da minha freguesia, nos próximos quatro anos, foi o respeito e o carinho que sempre tive por Covelas. Sempre defendi a minha freguesia. Sempre coloquei Covelas à frente de tudo e de todos e assim vou continuar. Conheço esta terra como ninguém. Conheço cada morador pelo nome. Conheço a realidade de todos e de cada um e, por isso, considerei que era a pessoa ideal, para fazer mais pela nossa linda freguesia. O facto de conhecer os constrangimentos e dificuldades desta terra, também pesou na minha decisão de abraçar esta nova função, porque quero que os covelenses sintam orgulho de cá viverem e quero, também, que muitas outras famílias descubram Covelas e, aqui, se instalem. Estou pronta para ser a voz ativa, a força e a determinação de todos os covelenses.

 

O que significou, para si, ter sido eleita a primeira mulher presidente de Junta, do concelho da Trofa?

Claro que, para mim, foi um orgulho enorme ter sido a primeira mulher, presidente de Junta, do concelho da Trofa. É muito gratificante. Mas, independentemente dessa minha condição de mulher de armas e de garra, aqui, o que é realmente importante são os projetos que queremos implementar, são as ideias que temos, para melhorar o dia a dia de todos os covelenses, são as obras que vamos concretizar e é o desenvolvimento que vamos trazer, para esta zona do concelho da Trofa. No entanto, quero que todos se sintam inspirados, homens e mulheres, a seguirem o meu exemplo, de quererem mais para a nossa terra, de lutarem pelos nossos sonhos e acreditarem que tudo é possível.

 

Na sua opinião, quais são as grandes valências deste território?

Para nós, para mim e para a minha equipa, Covelas é a freguesia do concelho da Trofa que apresenta maior potencial, a nível ambiental. Temos espaços verdes lindíssimos, que podem ser aproveitados para zonas de lazer. A nossa localização geográfica também é excelente, estamos perto de tudo, uma vez que, em poucos minutos, chegamos ao centro da cidade ou a outros serviços importantes, mas temos, ao mesmo tempo, o sossego e a proximidade dos meios mais pequenos. Temos a boa vizinhança, o ar puro e a natureza, à porta de casa.  Também temos qualidade de vida, sem sacrificar o acesso aos médicos, a bens de primeira necessidade, às escolas, etc. Por outro lado, temos uma boa rede viária, pois estamos a seis quilómetros da autoestrada e temos a enorme vantagem de termos, no nosso território, o comboio, dado já possuímos um apeadeiro, servido com comboios até ao Porto, Guimarães e Braga, que tem, ainda, o benefício de disponibilizar um parque de estacionamento gratuito e de boas dimensões.

 

O que almeja conquistar a nível material e imaterial para a Freguesia de Covelas?

A nível imaterial, queremos, ao longo de todo o mandato, privilegiar o contacto com a população, garantir resposta às necessidades do dia a dia da nossa comunidade e ter sempre uma boa relação com os habitantes, criando momentos de convívio e um programa de dinamização, que vai possibilitar que os covelenses vivam, ainda mais, a sua freguesia. A nível material, queremos mais qualidade de vida e já estamos a trabalhar para concretizar o alargamento da rede de saneamento básico e de abastecimento de água. Em paralelo, e a pensar nos nossos idosos e no seu envelhecimento saudável e ativo, vamos criar um Centro de Convívio, para a nossa população sénior, promovendo atividades e criando um espaço privilegiado, onde possam estar, ocupar-se, divertir-se e sentirem-se bem e felizes.

 

Quais são os seus maiores sonhos para a sua freguesia?

Os nossos sonhos são muitos. Queremos que Covelas seja uma freguesia de referência no concelho da Trofa. Queremos que as nossas características únicas sejam, devidamente, rentabilizadas. As nossas potencialidades ao nível do turismo religioso e de natureza são inúmeras, com a nossa Romaria do S. Gonçalo a ser procurada em toda a região Norte. Estamos a trabalhar com a Câmara Municipal da Trofa, no projeto dos Caminhos de Santiago e esta será uma alavanca importante, para o nosso comércio local. Queremos, ainda, trabalhar, também, o nosso potencial dos trilhos pela natureza e vamos querer receber mais provas e mais atividades desportivas na nossa freguesia. Temos, também, o sonho de criar um programa de animação estruturado, que crie públicos e que crie o hábito de participação cívica nos covelenses. Por outro lado, a nossa Junta de Freguesia está aberta aos covelenses e às suas ideias e todos são bem-vindos para contribuírem e para fazerem desta, a casa de todos, com mostras de produtos locais e de artistas da terra. E este é só o início, pois temos ainda muito caminho pela frente, mas seguimos confiantes, porque sabemos que remamos todos no sentido de melhorar a nossa terra.

 

Complete a frase: Um dia que abandone as funções de presidente da Junta de Freguesia de Covelas sairia feliz se…

Esta freguesia tivesse crescido tanto a nível de população, como de infraestruturas. E que Covelas passasse a ser a freguesia mais bonita do concelho da Trofa. Vai ser difícil, porque já é a mais bonita.

 

Qual é a mensagem que gostaria de deixar à população?

A mensagem que tenho para os covelenses não é nova. Eles sabem quem eu sou, tratam-me pelo meu nome, conhecem-me desde que nasci. Por isso, sou a mesma Alexandra de sempre, pronta para trabalhar, com a garra que todos me reconhecem e com vontade de fazer muito pela nossa terra. Não sou capaz de o fazer sozinha, mas sei que posso contar com os covelenses, para construir o nosso futuro e para legar às gerações mais novas uma Covelas muito, muito melhor. Mãos à obra.