A redução da dívida em 2017 na Câmara Municipal de Gaia foi a segunda melhor entre todos os municípios do país, segundo o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses. Os dados comprovam que houve uma redução da dívida de 16,2% face a 2016, e de 20% em relação a 2014 e uma redução de juros pagos (o melhor valor em 12 anos).

Para a autarquia gaiense, estes indicadores são “o reflexo de um trabalho de gestão rigorosa que permitiu, em apenas quatro anos, e de forma única no país, a normalização das condições financeiras”. “Disto é exemplo a diferença positiva de 16,6 milhões de euros entre amortização de empréstimos e novos empréstimos registada em 2017, colocando Gaia na segunda posição da tabela deste indicador, apenas atrás de Lisboa”.

Algumas das medidas que permitiram esta redução da dívida e juros foi o aumento da receita proveniente de impostos e taxas, ligados ao crescimento económico do concelho, ao aumento das exportações e a uma descida do desemprego, que permitiram gerar receitas de derrama e IMT significativas.

Também a gestão social de impostos locais como o IMI garantiu um crescimento desta receita na ordem os 1,1%, o aumento do investimento municipal com capitais próprios, o melhor EBIDTA (indicador financeiro que representa o quanto uma empresa gera de recursos financeiros através da sua atividade) de sempre, e a independência financeira, situada nos 70%, ajudaram a conseguir estes resultados.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com