A INDAQUA Matosinhos colocou em funcionamento 506 painéis fotovoltaicos, em nove locais do concelho, tendo em vista tornar a gestão dos serviços de água e saneamento mais sustentável. O Grupo INDAQUA estendeu o investimento a outros dois municípios, nomeadamente Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis, num total de 874 painéis, que asseguram 22% do consumo das infraestruturas onde foram colocados.

 

 

A INDAQUA escolheu a Estação de Tratamento de Águas Residuais instalada em Leça da Palmeira para garantir o tratamento de todos os efluentes produzidos no concelho de Matosinhos, bem como três Reservatórios e cinco Estações Elevatórias de Águas Residuais, para instalar 506 painéis fotovoltaicos.

Os painéis ocupam uma área de 1.636 m2, equivalente a quatro campos de basquetebol. Para instalá-los, a empresa fez, “nos primeiros seis meses de 2021, um investimento de cerca de 160 mil euros neste concelho. A este valor, soma-se o investimento de 28 mil euros realizado em 2019 no Parque Operacional da empresa, para dotar também este edifício de uma fonte de produção renovável e mais amiga do ambiente”.

Esta iniciativa estendeu-se, ainda, a Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis e, no conjunto dos três territórios, foram instalados 874 painéis que asseguram 22% das necessidades energéticas das principais infraestruturas operadas pelo Grupo, num investimento total superior a 305 mil euros.

Segundo a INDAQUA, “os painéis instalados durante este ano têm um importante impacto ambiental, evitando a emissão de 183 toneladas de CO2 por ano. Se os 650.897 kWh que produzem anualmente fossem gerados por fontes tradicionais de energia, seriam necessárias mais de 18 mil árvores para absorver o CO2 que daí resultasse”.

Neste contexto, Eduardo Barbot, administrador da INDAQUA Matosinhos, fez questão de referir que “a missão de levar, todos os dias, água a casa das pessoas, garantindo quantidade, qualidade e pressão, bem como de recolher, tratar e devolver ao ambiente os efluentes por elas produzidos requer grandes consumos de energia elétrica, porque depende do funcionamento de muitos equipamentos. Por outro lado, trabalhamos diariamente para melhorar a qualidade de vida e proteger o ambiente em Matosinhos, pelo que consideramos este investimento não só importante para o concelho, mas também alinhado com a nossa política de sustentabilidade”.