O presidente da Juventude Socialista dos Açores, Vílson Ponte Gomes, fez saber recentemente que a estrutura fez chegar ao Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e ao Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, um conjunto de questões sobre as medidas a serem aplicadas pelas Faculdades de Portugal Continental aos estudantes das Regiões Autónomas, entregues pelos deputados à Assembleia da República: o madeirense Olavo Câmara e os açorianos Isabel Almeida Rodrigues, Lara Martinho e João Castro.

De acordo com Vílson Ponte Gomes, é urgente saber “que critérios de avaliação estão a ser definidos e que modelos de avaliação é que as faculdades estão a adotar para que os estudantes universitários açorianos possam efetuar os seus exames à distância, em vez de se deslocarem para esse efeito”. Desta forma surgem várias interrogações ao enquadramento dado pelas universidades do Continente aos estudantes açorianos que acabaram por regressar pelo fecho das universidades.

“É importante criar um regime excecional para as regiões insulares de forma a que os universitários dos Açores possam realizar os exames de avaliação final a partir do seu domicílio, via online, ou de forma presencial nos espaços físicos da instituição de ensino açoriana”, referiu Vílson Ponte Gomes, que acredita que “se as universidades deram uma resposta inovadora ao adotar o ensino à distância, devem agora dar uma resposta às necessidades dos estudantes universitários que residem na Região, de forma a garantir que não venham a ser prejudicados na sua avaliação”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com