Eleito pela terceira vez para o município de Velas, Luís Silveira admite que os próximos quatro anos serão de muitos desafios, mas acredita num futuro “cada vez mais promissor”.

 

 

Tomaram posse, no passado dia 17 de outubro, os novos órgãos autárquicos da Câmara Municipal de Velas. Eleito com uns expressivos 66% dos votos, Luís Silveira, do CDS-PP, foi empossado como presidente do município pela terceira vez, juntamente com os novos vereadores Marco Almada (CDS-PP), Rui Sequeira (PS), Raquel Furtado (CDS-PP) e José Maria Ávila (CDS-PP).

Já a Assembleia Municipal passa a ser constituída por oito elementos do Grupo Municipal do CDS-PP (Lena Amaral, Mário Soares, Luísa Matos, Janete Fonseca, Roberto Cabral, Catarina Bettencourt, José Vieira Silva e Fernandino Simas), quatro elementos do Grupo Municipal do PS (João Paulo Oliveira, João Paulo Silva, Ana Soares e José Brasil), dois elementos do Grupo Municipal do PSD (Paula Amarante e Renato Bettencourt) e um elemento em representação Municipal da CDU (António Machado).

A estes juntam-se os seis Presidentes de Junta de Freguesia, membros por inerência, nomeadamente, André Silva (Norte Grande – CDS-PP), Marília Freitas (Rosais – CDS-PP), Hélio Rosa (Velas – PS), Roger Sousa (Santo Amaro – CDS-PP), André Silveira (Urzelina – CDS-PP) e Vasco Pinto (Manadas – PSD).

A presidente eleita para a Assembleia Municipal no presente mandato é a deputada municipal Lena Amaral, tendo sido eleitos como 1º Secretário da Mesa, o deputado municipal Mário Soares, e como 2ª Secretária da Mesa, a deputada municipal Janete Fonseca.

No seu discurso de tomada de posse, Luís Silveira considerou que, apesar dos últimos oito anos terem sido “muito difíceis, complexos e cansativos, com muitos momentos de saturação, tudo valeu a pena”. “Os próximos quatro anos são de muitos desafios, mas acredito num futuro cada vez mais promissor. Com uma gestão muito rigorosa e objetiva, hoje temos um concelho com a menor carga fiscal dos Açores para as famílias e empresas e o concelho que tem as melhores taxas de execução dos Fundos Comunitários”, afirmou.

O presidente reeleito admite que “há ainda muito a fazer”, destacando o turismo como um setor primordial para a continuação do desenvolvimento desejado em São Jorge e no concelho e aproveitou para reforçar que com a mesma determinação e empenho que teve nos últimos oito anos é possível continuar a fazer mais e melhor por Velas.

Relembrando os últimos oito anos, Luís Silveira garantiu que “não é um homem só” e apelou à continuidade da união de todos em prol do município.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com