O Desfile das Marchas de São Pedro ocorreu na noite de 28 de junho, no âmbito das comemorações do 41º aniversário da elevação da Ribeira Grande a cidade. Nove marchas encheram as ruas da Ribeira Seca, numa atividade que juntou mais de 1500 participantes. Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, mostrou-se feliz com o retomar da normalidade e o perpetuar da tradição e destacou a importância do evento na economia local, bem como na atração turística que representa.

 

No vasto programa das comemorações do 41º aniversário da elevação da Ribeira Grande a cidade, o Desfile das Marchas de São Pedro, que se realizou na noite do dia 28 de junho, destacou-se. Após dois anos de interregno forçado, devido aos constrangimentos impostos pela proliferação da pandemia da Covid-19, a cor e a alegria tradicionais das marchas voltaram às ruas da Ribeira Seca, num percurso que terminou junto à Igreja de São Pedro.

Para Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, as marchas, à semelhança de outras atividades que ocorreram nesta semana festiva, representaram “a retoma da atividade cultural, algo que se esperava há muito tempo”.

Este ano, o desfile contou com a participação de nove marchas, todas da Ribeira Grande, “trata-se de um novo recorde, nunca tivemos tantas marchas do concelho a participar, o que também revela que havia essa ansiedade de retomar esta atividade”, referiu o autarca ribeiragrandense. O presidente do município também destacou a quantidade de pessoas que, apesar de não participarem diretamente na atividade, fizeram questão de ir para as ruas, assistir: “foi um momento bastante impactante porque tivemos muita gente nas ruas, o que também é de salutar, aliás, até posso dizer que a quantidade de pessoas que assistiram superou as expectativas, portanto, para nós, o retomar das marchas, além da componente cultural, também tem essa componente social que, ao fim e ao cabo, tem a ver com a retoma da normalidade que eu já referi”. O desfile foi, ainda, acompanhado pelas filarmónicas do município, e, ao todo, contabilizaram-se mais de 1500 participantes.

Esta é uma atividade organizada, anualmente, pela Câmara Municipal da Ribeira Grande e na qual as instituições participam apenas no âmbito de entretenimento e do manter das tradições, uma vez que não são decretados vencedores.

Alexandre Gaudêncio salientou, também, que o facto de ter vindo muita gente assistir às marchas, representou uma ajuda económica para o comércio local. De destacar, ainda, a presença de muitos turistas nas festividades. “Quem nos visita gosta de ver estas tradições locais. Quer as alâmpadas, as Cavalhadas, as marchas, são tradições muito locais, aqui da Ribeira Grande. Temos assistido, cada vez mais, às pessoas, principalmente, aos turistas procurarem essa autenticidade, diria até, o que, para nós, é relevante, porque representa o que de melhor temos para oferecer”, concluiu o autarca.