O restaurante Sabores de Sintra, em São Pedro de Sintra, foi palco da entrega dos prémios das nossas competições (torneio “Solução à Vista!” e concurso “Mãos à Escrita!”) iniciadas em maio de 2018 e concluídas em fevereiro último.

A “cerimónia” decorreu no âmbito do XVI Convívio da Tertúlia Policiária da Liberdade (TPL), que reuniu, no passado dia 19 de maio, 29 membros da família policiária nacional oriundos de Leiria, Santarém, Grande Lisboa, Almada e Setúbal. Antes da consagração dos “detetives” que se destacaram pela sua performance como solucionistas e produtores, assistiu-se a alguns momentos de grande emoção e sã camaradagem.

Cerca de trinta minutos antes da hora marcada para a concentração dos policiaristas, já os primeiros convivas trocavam cumprimentos e abraços à porta do restaurante. Lá dentro, alguns dos membros do “núcleo duro” da TPL ultimavam os preparativos do evento. Na cozinha, a chef Deolinda dava as indicações necessárias à sua laboriosa equipa para que à hora prevista começasse a ser servido o repasto. E, como sempre, não podia ser melhor: entradas várias, arroz de tamboril, espetada de carne à madeirense, fruta e doces variados, águas, vinho tinho e branco, café e… uma “poncha à maneira”! E as conversas à mesa escorriam de forma natural e saborosa.

Após a sobremesa, a TPL começou por evocar os seis meses do desaparecimento do confrade Pedro Paulo de Faria, cabendo ao seu companheiro e amigo António Raposo ler o que chamou de “Ladaínha em memória de Pedro de Faria”: “Este é o primeiro e não será o último convívio onde falta a presença do nosso saudoso amigo e confrade Pedro de Faria, que para nós foi sempre o NOVE, mesmo quando mais recentemente alterou [o pseudónimo] para Verbatim.

Este foi o primeiro a que ele faltou, dos quinze já efetuados, e por isso a sua cadeira está vazia, marcando a ausência saudosa. A nossa homenagem será breve mas sincera.” De seguida, o ator Rui Mendes passou a ler uns versos inspirados num conhecido poema de David Mourão Ferreira:

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Em que se veja a mesa o seu lugar vazio.

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Que o irão lembrar de um modo nítido.

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Em que alguém, em voz alta, o recordará saudoso.

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Em que se ponha em livro os escritos do Pedro.

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Em que só a saudade ficará connosco.

Há-de vir um convívio e será o primeiro

Em que só as palavras amigas façam sentido.

Após este emotivo momento, que muito sensibilizou amigos e familiares do homenageado, procedeu-se à distribuição por todos os convivas de uma publicação, em quatro volumes, com os problemas policiários produzidos por Nove/Verbatim entre 1997 e 2018. Esta edição da TPL, coordenada por Fátima Correia/Detetive Jeremias, recorda ainda o riquíssimo palmarés do saudoso policiarista, que se destacou como decifrador e produtor, conquistando o título de campeão nacional nas duas vertentes, nos anos 2001/2002 e 2003-2004 (decifração) e 2013 (produção), para além de outras distinções alcançadas em diversos torneios e concursos.

Sob a mesma “chancela” (Edições Fora da Lei) e também com mesma coordenação editorial, foi depois distribuido pelos convivas a edição de 2019 do “Borda d’Água do Conto Curto”, que reúne um conjunto de micronarrativas inspiradas em cada um dos doze meses do ano da autoria de um grupo de doze “escritores” da tribo policiária nacional (A.B.Rótea, Filipa Wilson, Cris, Peter Pan, A. Raposo, Rigor Mortis, Inspetor Mocardo, Búfalos Associados, Zé, Inspetor Boavida, Jartur e Detetive Jeremias). Com esta publicação, em forma de separata, foi possível conhecer uma saudação poética ao convívio e aos convivas do (ausente) João Artur Mamede (o veterano Jartur!), que mereceu uma divertida resposta (também ela) rimada da TPL.

Foi já num ambiente mais descontraído (e de festa!) que o confrade setubalense Ricardo Azevedo, mais conhecido no meio policiário e literário como A.B.Rótea, brindou os convivas com a oferta do seu livro “O Desafio ao Inspector Rick”, recentemente editado pela Chiado Books, que pode ser adquirido nas Lojas Fnac e nas livrarias Bertrand. O livro esteve também à venda na Feira do Livro de Lisboa, que este ano decorreu entre 29 de maio e 16 de junho, no Parque Eduardo VII (no dia 1 de junho, o autor marcou presença no certame para falar sobre a obra, tendo-se registado a comparência de muitos amigos policiaristas e amantes do cruzadismo).

A última etapa do XVI Convívio da TPL viria a ser preenchida, quando a tarde já ia longa, com a entrega dos prémios das competições realizadas pela secção O Desafio dos Enigmas. Antes, porém, o orientador da secção (há três anos presente no jornal AUDIÊNCIA GP!), começou por recordar que as iniciativas levadas a cabo podem também ser seguidas através do blogue Local do Crime (localdocrime.blogspot.com) e do site Clube de Detetives (clubededetectives.pt), e convidou os presentes a alargar o pelotão de participantes que animarão a edição de 2019 do torneio de decifração “Solução à Vista!”, que arrancou no dia 4 de junho.

CLASSIFICAÇÕES E PRÉMIOS DE 2018-2019

Torneio de Decifração “Solução à Vista!”

1º. Detetive Jeremias: Taça Audiência GP.

2º. Daniel Falcão (1): Taça Natércia Leite.

3º. Bernie Leceiro (2): Taça Severina.

4º. Airam Semog (2): Taça MedVet.

5º. Inspetor Mucaba (3): Medalha.

6º. Zé de Mafamude (3): Medalha.

7º. Madame Eclética (3): Medalha.

8º. Ma(r)ta Hari (3): Medalha.

9º. Rigor Mortis: Medalha.

10º. Bigode: Medalha.

Concurso de Produção “Mãos à Escrita!”

1º. Búfalos Associados: Taça M Constantino.

2º. Bernie Leceiro (2): Taça Zé da Vila.

3º. Verbatim: Taça Mário Campino.

(1) – prémio a entregar em Braga;

(2) – prémios a entregar em Leça da Palmeira;

(3) – prémios entregues em Gaia.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com