Pedro Sousa, presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos e Leça da Palmeira defende que o “Titan” do molhe norte, avistado a partir de Leça, é uma peça carregada de história e simbolismo para a população, pelo que considera que “este património e símbolo identitário da cidade e da construção do Porto de Leixões, deve ser classificado de interesse nacional”.

“É fundamental que se avance para esta classificação e se invista na consolidação daquela fantástica peça, ora movida a vapor, responsável pela construção do Porto e, indiretamente, ligada ao desenvolvimento da cidade e do próprio país. Urge a sua classificação para evitar o desmantelamento e colocação das peças num qualquer espaço sem dignidade”, refere o autarca.

O presidente sublinha ainda a “importância patrimonial do único guindaste que ainda existe na sua versão originária, modelo único no Mundo, que ultrapassa fronteiras e que justifica o facto de, nos últimos anos, por várias vezes, se ter aventado a hipótese da sua classificação mundial como ‘International Mechanical Engineering Historic Landmark’”.

Desta forma, a Junta de Freguesia, ao abrigo das disposições legais, pretende arrancar com o processo de classificação do “Titan” para “valorizar esta peça fundamental da identidade de Matosinhos e Leça da Palmeira e deixar um legado imenso para as futuras gerações”. Para tal, a autarquia já enviou um ofício ao Ministro das Infraestruturas, que tutela o Porto de Leixões, e à Ministra da Cultura, com o objetivo de sensibilizar os governantes para esta reivindicação.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com