A Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo realizou, no passado dia 25 de abril, uma sessão solene, no âmbito da comemoração do 25 de Abril de 1974, que assinalou os 45 anos da Revolução dos Cravos e culminou com entrega de Medalhas de Honra e de Mérito a cinco personalidades da freguesia. A celebração contou com a presença de Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, Joaquim Tavares, presidente da Assembleia de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, Padre Damião, Domingos Oliveira, diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos, da comunidade em geral e de entidades civis e militares.

A cerimónia comemorativa do 25 de Abril de 1974 foi organizada pela Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo e contemplou a atuação musical dos alunos da Escola de Música da Associação Musical de Pedroso.

Filipe Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, lembrou a importância das conquistas e dos valores da Revolução dos Cravos e afirmou que “em 25 de Abril de 1974, um conjunto de destemidos decidiu lutar corajosamente contra um regime fascista que vigorou em Portugal durante décadas, permitindo iniciar a era dos três D’s: Democratizar, Descolonizar e Desenvolver. O 25 de Abril de 1974 permitiu também que hoje possamos estar aqui em liberdade, a afirmar o que pensamos. A coragem de Salgueiro Maia e de todos os Capitães de Abril fez com que, hoje, as populações sejam representadas pelo poder local, aproximando as populações e os seus representantes”.

“Temos hoje uma comunidade de Pedroso e Seixezelo que convive bem com os valores de Abril, onde a liberdade e a responsabilidade fazem parte do seu quotidiano, onde as nossas instituições sentem um clima de harmonia, permitindo com isso desenvolver mais cabalmente as suas competências. Da Junta de Freguesia, da sua Junta de Freguesia, da nossa Junta de Freguesia podemos sempre contar com o seu espírito renovador e dinamizador que, desde outubro de 2013, a caracterizam, lançando projetos e abraçando novas competências, que vão muito para além das tradicionais funções de uma Junta de Freguesia. Eu e a minha equipa nunca vimos a Junta de Freguesia como um local onde apenas se passam atestados e carimbam documentos. Os nossos objetivos sempre foram muito mais além, melhorando as infraestruturas, desenvolvendo projetos, permitindo várias respostas sociais, potenciando as nossas instituições e melhorando a qualidade de vida dos nossos habitantes, apresentando, simultaneamente, uma excelente execução e gestão financeira, onde, aliás, em 2018, tivemos o melhor desempenho de sempre da Junta de Freguesia, apesar das heranças que outros nos deixaram”, salientou o presidente da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo.

Por sua vez, António Tavares, representante do Movimento Independente de Pedroso e Seixezelo, aproveitou a ocasião para falar em bullying político-financeiro, referindo que “tenho imenso orgulho de enquanto jovem ter participado na luta da liberdade conquistada no 25 de Abril de 1974. Ao longo dos 45 anos, que hoje celebramos, dediquei-me às causas públicas, corporizadas pela sociedade civil, com destaque para os 32 anos de dedicação total ao poder local. Sempre ao longo de 24 anos como presidente de Junta cumpri os principais ou alguns dos principais desígnios de Abril: o exercício da democracia, o desenvolvimento, a descentralização na nossa terra e a qualidade de vida para as populações de Pedroso. Mas hoje, com tristeza, venho denunciar a minha preocupação e dando voz a muita gente, por tudo aquilo que é público e que a meu ver está a destruir o verdadeiro espírito de Abril”.

Já Deolinda Neves, representante do Partido Social Democrata destacou, a propósito das comemorações do 25 de Abril realizadas pela Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, que “o 25 de Abril de 1974 abriu um tempo novo de desenvolvimento, de liberdade e democracia. Um caminho novo, graças ao qual hoje estamos todos aqui”, declarando que “as autarquias foram, sem dúvida, a maior conquista da revolução, uma vez que as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia passaram a ser eleitas pelos cidadãos locais, que pelo voto fiscalizam e opinam sobre as propostas eleitorais dos autarcas, dos partidos e dos movimentos”.

“Continuaremos a ser uma oposição séria, leal e responsável, que estará na primeira linha a criticar o que está mal e a apresentar propostas alternativas, mas não deixará de estar ao lado da Junta de Freguesia para servir e lutar pelos anseios da nossa comunidade, reivindicar mais projetos e mais benefícios para as nossas freguesias, por isso, conto com todos para a caminhada que se iniciou com este mandato, a bem da nossa freguesia. Esta, penso eu, é a melhor forma que o PSD pode fazer cumprir Abril”, mencionou a representante do PSD.

Enquanto Márcia Oliveira, representante do Partido Socialista, refletiu sobre os valores de Abril, que “são os nossos valores todos os dias”. “O 25 de Abril de 1974 abriu o caminho para a construção de uma democracia em Portugal, considerada, até agora, a organização política e social mais próxima dos ideais de liberdade e de justiça. Hoje, 45 anos depois, vemos importantes conquistas na construção da igualdade de oportunidades na saúde, na educação, no emprego, na cultura. Para todos nós, é uma realidade o Estado social, o Sistema Nacional de Saúde, o acesso à educação gratuita e apoiada, assim como nas nossas vidas, está totalmente adquirida a liberdade de nos expressarmos, de fazermos escolhas e de participarmos e influenciarmos a nossa comunidade”, asseverou a representante do PS, revelando que “acredito numa democracia mais sadia, com a participação ativa de todos e salientando o imenso orgulho do caminho que temos vindo a fazer em Pedroso e Seixezelo”.

Joaquim Tavares, presidente da Assembleia de Freguesia de Pedroso e Seixezelo, aproveitou a ocasião para aludir que “em 25 de Abril de 1974 haviam múltiplas razões para que um grupo de mulheres e homens traçassem e dessem um novo rumo a Portugal. Para além da mudança de ciclo político e de políticas, eles abriram Portugal ao mundo e trouxeram ao povo português novos horizontes, novas perspetivas e novas expectativas. O tempo que se ansiou foi o tempo de procura de novos horizontes, visando a construção de um país pacífico, mais próspero e mais justo, tendo em conta os valores básicos do desenvolvimento humano, com os direitos e deveres cívicos”, acrescentando que “em Vila Nova de Gaia, em Pedroso e Seixezelo tem-se cumprido os desígnios de Abril, tem-se trabalhado para as pessoas na procura de soluções para os seus problemas, dando-lhes mais e melhor, para uma melhor vida e perspetivando também um melhor futuro”.

O presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, fez questão de estar presente nesta comemoração e sublinhou que “a nossa democracia é muito madura. A nossa democracia não está cumprida pela simples razão de que nenhuma democracia do planeta alguma vez está cumprida. A nossa democracia é um grande instrumento de desenvolvimento”, realçando que “aquilo que eu desejo é que no 25 de Abril nós possamos sempre aprofundar, cada vez mais, a democracia. Fazendo cada vez melhor pelos cidadãos, mas respeitando a memória dos cidadãos, porque o povo não emortece, o povo não se esquece e nós temos, às vezes, a ideia de que cada vez que subimos a um público passamos a ser donos da possibilidade da palavra e ao sermos donos da possibilidade da palavra tornamo-nos democratas, porque podemos falar, mas tornamo-nos ditadores porque achamos que podemos dizer o que nos apetece e a história, a memória, sabe que nós só podemos dizer não aquilo que nos apetece, mas aquilo que se adequa à relação entre o que dizemos e o que fazemos. Estou, por isso, muito feliz e estou, sobretudo, feliz porque o dia 25 de abril não é um dia de tristezas, não é um dia de evocar os pequenos problemas que temos para resolver todos juntos, é o dia de dar as mãos e avançar todos juntos para resolver os problemas que ainda faltam resolver”.

A sessão solene ficou marcada pela atribuição das Medalhas de Honra e de Mérito a diversas personalidades da União de Freguesias, designadamente com a entrega de Medalhas de Honra a Roberto dos Santos Ferreira, a João Carlos Duarte Sereno Cardoso e à Associação de Socorros Mútuos Fúnebre Familiar de Ambos os Sexos de Pedroso e com a concessão de Medalhas de Mérito a Domingos Ladislau da Silva Paiva e a João Pedro Mota Fernandes, a título póstumo, cuja história dos oito anos de vida foi transportada para o livro intitulado “Desafio de uma criança com cancro”, da autoria de Maria Rita Soares, que, segundo os pais, Ana Fernandes e Pedro Fernandes, tem como objetivo apoiar o IPO com novas cadeiras de rodas.

Eduardo Vítor Rodrigues anunciou, neste seguimento, que a Câmara Municipal de Gaia vai adquirir cinco mil euros em livros para distribuir pelas escolas e demais entidades em nome da Câmara Municipal de Gaia e da Junta de Freguesia de Pedroso e Seixezelo.

Filipe Lopes enalteceu ainda, no âmbito da homenagem, que “cada vez mais necessitamos de exemplos, de bons exemplos na nossa comunidade. Pessoas de carne e osso que circulam nas mesmas ruas que nós e frequentam os mesmos espaços. Continuem o vosso caminho, dignificando e ajudando a afirmar Pedroso e Seixezelo”.

A celebração culminou com a presentação do novo logótipo e do novo site da freguesia. No final, a comunidade brindou à liberdade durante um porto de honra.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com