A Casa do Povo da Ribeira Grande voltou a festejar o Natal com a tradicional Festa do Idoso e de Pessoas com Necessidades Especiais.

A tarde de 23 de dezembro iniciou-se com uma eucaristia na Igreja Matriz da Ribeira Grande, terminando com um almoço no restaurante da Associação Agrícola de São Miguel, onde estiveram presentes cerca de 150 pessoas. A festa viria ainda a ser animada com música, um sorteio de ofertas aos presentes e a distribuição de prendas.

Cerca de 150 pessoas fizeram parte da Festa do Idoso e de Pessoas com Necessidades Especiais, uma iniciativa da Casa do Povo da Ribeira Grande, que conta já com mais de 20 anos.

Uma tarde diferente para a maior parte dos convidados, constituídos por idosos, pessoas com necessidades especiais e as respetivas famílias.

Além de Albano Garcia (presidente da Casa do Povo) e da restante direção, também estiveram presentes Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, e Ildeberto Garcia, presidente da Mesa da Assembleia Geral da Casa do Povo, com quem o Audiência teve a oportunidade de falar.

A animação ficou a cargo do coro da Legião de Maria de freguesia da Matriz, Yeye, Yéyé e os grupos Tu e Eu e Explosão Radical. Além dos momentos musicais, houve também um sorteio de ofertas e a distribuição de bombons por todos os presentes na festa.

Neste convívio o Audiência encontrou também Fábio Carvalho, diácono ribeiragrandense, e ainda Etelvina Pacheco, uma das anciãs mais idosas do concelho e que conta já com 256 descendentes. Fábio Carvalho, nascido na Matriz em novembro de 1984, está a concluir a sua formação para celebrar em 2019 a sua Missa Nova. Deixou as suas ambições para o ano de 2019 referentes à sua vida pessoal, mas também ao concelho da Ribeira Grande.

Etelvina Pacheco também estava presente neste almoço que homenageia os idosos e as pessoas com necessidades especiais. De sorriso nos lábios contou um pouco da história que é sua e também da sua família.

Albano Garcia, presidente da Casa do Povo da Ribeira Grande

“Estão neste almoço cerca de 150 pessoas, das quatro freguesias que constituem a Casa do Povo: Santa Bárbara, Ribeira Seca, Matriz e Conceição.
É com uma enorme alegria que organizamos esta festa. É uma das atividades que mais gostamos de fazer e que está inserida no plano de atividades da Casa do Povo. Tem praticamente 20 anos e de ano para ano vamos melhorando.
No entanto, temos várias atividades isoladas para além desta festa de Natal: damos 50 pensões pela altura de Nossa Senhora da Estrela, dia 26 de julho [dia dos avós] realiza-se um passeio com os avós pela ilha, com um almoço incluído… entre outras atividades que também temos. Queremos fazer o melhor em prol daqueles que necessitam, e este ano vamos fazer muito mais.”

Diácono Fábio Carvalho

“Estamos a viver aqui um momento muito importante. É um momento de união, de alegria e de convívio. É sempre importante juntar os que mais necessitam: os mais idosos e os mais carenciados, e fazer do Natal uma festa.
Neste novo ano de 2019, a nível pessoal, espero um ano de mudanças. Irei receber o meu segundo sacramento da ordem, irei celebrar a minha Missa Nova juntamente com a minha família, os meus amigos e com a comunidade que me viu crescer, a Ribeira Grande.
A nível do concelho da Ribeira Grande, temos vindo a crescer cada vez mais. Esperemos que este seja mais um ano ligado aos jovens. A nossa cidade é uma cidade dos jovens, com os festivais, a alegria e a festa.”

Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande

“Na nossa opinião, esta iniciativa merece o nosso apoio porque é um momento de convívio que esta Casa do Povo proporciona há muitos anos, e também porque é uma forma de muitas destas famílias passarem um dia diferente.
Temos vindo a apoiar estas iniciativas, particularmente a da Casa do Povo da Ribeira Grande, não só pelo simbolismo da data, mas acima de tudo pelo convívio que se pretende dar às pessoas.
Para nós é uma alegria ver esta gente contente. Muitas destas pessoas passam dificuldades durante o ano e este é um momento de confraternização e de amizade.
Este trabalho da Casa do Povo também é muito importante porque têm desenvolvido muitas atividades, principalmente para os idosos, e cada vez mais é importante que a população mais idosa tenha qualidade de vida, e estes convívios são uma das formas de ajudar a proporcionar essa melhoria na qualidade de vida.”

Ildeberto Garcia, presidente da Mesa da Assembleia Geral da Casa do Povo da Ribeira Grande

“Esta é uma iniciativa muito interessante para o povo da Ribeira Grande. Só de ver esta gente aqui, é uma alegria para todos nós. Ver toda esta gente: idosos, doentes, muitas pessoas que precisam de ser ajudadas…
Na Casa do Povo tentamos sempre ajudar todos os que nos procuram, e quando não conseguimos ajudar, por qualquer motivo, reencaminhamos para aqueles que poderão conseguir.
Recentemente houve Assembleia Geral para aprovação do novo plano para o próximo ano [2019], e digo sempre no fim que só é pena os números serem pequenos.
A Casa do Povo rege-se muita vez com o auxílio de muitas entidades da Ribeira Grande. É o caso da Câmara Municipal e de outras entidades e pessoas que também ajudam. Só é pena as verbas serem pequenas porque há muito para fazer.”

Etelvina de Aguiar Pacheco

Etelvina de Aguiar Pacheco nasceu na freguesia da Conceição no dia 27 de março de 1925 e tem mais de 250 descendentes.
Com uma vida sofrida, consequência do falecimento do marido quando tinha 43 anos, criou oito filhos. Se o mais velho fosse vivo, teria 71 anos, enquanto a filha mais nova tem 55.
Conta ao Audiência que o marido faleceu com 47 anos. Fruto das dificuldades que começava a viver para educar os filhos, mudou de casa, indo “morar para o Bairro de Santa Luzia” onde “não havia luz, era só água. Agora aquilo é um palácio bem arranjado”. Diz ter trabalhado muito na sua vida, e nunca ter desistido por ter “muito amor” aos filhos.
Após ter criado os oito filhos, criou ainda 10 netos. Cinco dos quais do filho que viu partir. Diz orgulhosa que os netos (quase todos na casa dos 40 anos) estão sempre lá em casa, “nunca me largam!”
Na conta são mais bisnetos que netos e também já tem trisnetos. Neste novo ano de 2019 virão mais seis descendentes de Etelvina de Aguiar Pacheco ao mundo. Atualmente são 256.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com