José Nuno Guimarães Guedes dos Santos nasceu em Perosinho (29.08.1942) e faleceu no Porto com quase 31 anos de idade (15-08-1973).

Nesta sua curta existência, revelou-se um músico talentoso, quer como compositor quer como instrumentista (guitarra de Coimbra) e, como escreveu Herberto Helder, um poeta admirável e original “pela destreza, exactidão e densidade que soube fornecer a uma práxis poemática que começava a socorrer-se mal de exemplos mais velhos e levemente inquinados”.

Em Janeiro de 1997, a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Junta de Freguesia de Perosinho organizaram, em Vila Nova de Gaia e em Perosinho, com o apoio de um comissão coordenadora, o evento “Recordando Nuno Guimarães (1942-1973) – o Poeta, o Músico” onde se procurou fazer a evocação e a divulgação da sua obra e o seu “regresso” à comunidade onde nasceu e onde deu os primeiros passos num trilho cultural que o iria acompanhar até ao fim da sua curta existência.

A 5 de Novembro de 2016, no Pavilhão Centro de Portugal em Coimbra, um grupo de cerca de vinte Cultores de Canto e Guitarra de Coimbra, sob a coordenação de António Nunes e Adamo Caetano, com o apoio da Orquestra Clássica do Centro e integrado nos X Encontros Internacionais da Guitarra, apresentou um espectáculo subordinado ao tema “Uma estrela na galáxia sonora coimbrã – Nuno Guimarães (1942-1973) e a Canção de Coimbra nos sixties”.

Este evento consistiu na apresentação de toda a obra musical gravada (e não só) por Nuno Guimarães, com o especial cuidado de reproduzir o mais fielmente possível os registos sonoros originais, tal como foram por ele concebidos. Esta iniciativa teve como objetivos divulgar a obra literário-musical de Nuno Guimarães junto do grande público de Coimbra, tendo em conta a escassez de informação sobre a originalidade da sua obra como autor de arranjos para repertório clássico e compositor de um repertório denso e original que transitou gradativamente para o universo da Nova Balada de Coimbra, inscrevendo-se nas experiências do 2º Modernismo da Canção de Coimbra.

É precisamente este espectáculo, com pequenas alterações, que foi apresentado em Perosinho, na Escola de Música desta localidade, aproveitando o esforço colectivo então desenvolvido por este grupo de músicos. Além disso, esta parece ser a forma mais adequada de completar a iniciativa que tivemos há 20 anos atrás, em 1997. Acresce a esta razão, a circunstância de se passarem setenta e cinco anos sobre o seu nascimento e cerca de cinquenta anos sobre a produção da sua obra musical.

O evento ocorreu no passado dia 9 de Setembro e constou de um concerto que teve a colaboração, para além do grupo de músicos atrás referidos, do Grupo Coral “Vodka People”, composto por alunos e antigos alunos da Escola de Música de Perosinho. Este Grupo interpretou três composições de Nuno Guimarães, com arranjos especialmente escritos para esta formação coral.

A anteceder o concerto, houve uma Sessão de Abertura e Boas-Vindas, com intervenções do Dr. Abel Couto – breve análise da obra poética de Nuno Guimarães com o auxílio de cinco declamadores de alguns poemas selecionados, oriundos das colectividades de Perosinho – e do Prof. Dr. Armando Luís de Carvalho Homem – As variações juvenis de Nuno Guimarães, contextualização compreensiva. A encerrar, a intervenção de um representante autárquico.

Esta revisitação a Nuno Guimarães, organizada por um Grupo de Cultores de Canto e Guitarra da Coimbra, teve a colaboração das Colectividades de Perosinho e contou com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Junta de Freguesia de Serzedo e Perosinho.

 

José Ferraz de Oliveira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com