“Cabe à minha geração elevar e estruturar a política”

Sérgio Araújo nasceu na Trofa. Orgulhoso das suas origens, fez parte de várias associações trofenses, dinamizando e projetando o desporto e a tradição local. Foi eleito vereador da Câmara Municipal da Trofa em 2017 e reeleito em 2021, sendo o Desporto, o Ambiente e a Educação alguns dos Pelouros da sua responsabilidade. O seu maior sonho é contribuir para a transformação positiva do concelho do seu coração.

 

 

Quem é o Sérgio Araújo?

Sou um sonhador romântico-realista de 38 anos, extrovertido, bem humorado, comunicativo e determinado. Devo à minha família o homem que sou, dinâmico, trabalhador, dedicado e, acima de tudo, humano e muito emotivo. A qualidade de que nunca abdiquei ao longo da vida é ser leal. Também tenho pontos fracos, como a falta de paciência para quem é desonesto, incompetente e preguiçoso, e alguma teimosia. Não tendo receio ou vergonha de dizer que sou político, encaro a política como um ato nobre e também entendo que cabe à minha geração elevar e estruturar a política para o futuro.

 

Sempre foi uma pessoa ativa na comunidade, uma vez que fez parte de diversas associações. A entrada no mundo da política foi a continuação desse percurso?

Sim, sempre estive ligado ao movimento associativo, nomeadamente como atleta, e acho que a entrada no mundo da política aconteceu de forma natural. Sempre fui e quis ser um elemento ativo na comunidade, na ajuda e na procura de a tornar melhor. Comecei cedo nas lides políticas, ao ir a reuniões da JSD Trofa, interagindo em campanhas eleitorais, participando em iniciativas da Trofa e, mais tarde, no PSD Trofa.

 

Quais os maiores desafios que tem encontrado ao longo destes últimos anos como vereador?

Os primeiros dias foram um desafio, mas como me considero uma pessoa dedicada, rapidamente assimilei alguns procedimentos. Outro grande desafio é a proximidade com os trofenses, por vezes não conseguimos ir ao encontro das expetativas das pessoas. Um dos maiores desafios, e que é incontornável nos tempos de hoje, foi a pandemia que se instalou no mundo e que nos obrigou a sermos melhores, mais resilientes e que em termos autárquicos nos impeliu a dar uma resposta firme e imediata aos munícipes.

 

Focando-se nos pelouros da sua responsabilidade quais os projetos de que mais se orgulha?

O pelouro do ambiente é, neste momento, um desafio enorme para todos. Neste âmbito, penso que fizemos avanços muito bons e destaco a rede estruturante de ciclovias e percursos pedestres, como o Corredor Ciclável e Pedonal do Coronado, a Ciclovia Norte e a Distribuidora 21, além dos nossos dois projetos de incentivo aos modos suaves, as BUT e as Trofinetes, bicicletas e trotinetas de utilização partilhada. Convertemos 50% da frota municipal de ligeiros para elétricos, aderimos ao Pacto de Autarcas para o Clima e Energia e estamos a desenvolver o processo de adesão ao projeto Acordo Cidade Verde. A nível desportivo tivemos um crescimento enorme, hoje a Trofa é uma referência regional e nacional nalgumas provas que realiza, como o Raid BTT da Trofa, o Trofa Urban Race e o Trail da Trofa, em estreita parceria com as associações. Temos também provas de ciclismo de estrada, artes marciais, basquetebol, ténis e o campeonato concelhio de futsal, que demonstra bem a diversidade desportiva no concelho. Para o ano de 2022, as expetativas são muito grandes, porque queremos encarar este ano com a normalidade possível. Esperamos poder fazer a nossa gala do desporto, onde se premeia o talento e o mérito dos resultados desportivos dos atletas e clubes trofenses. Também gostaria de dar nota que neste mandato, e por força de ter assumido o pelouro da Educação, espera-nos um desfio enorme e que deve ser tratado com o respeito e grandeza que os nossos alunos merecem.

 

Quais são as suas perspetivas e sonhos para o futuro?

Sinto que ainda temos muito para fazer no concelho da Trofa. O objetivo é sempre melhorar sabendo que vamos errar como qualquer ser humano, mas vamos acertar muito mais vezes, construindo a Trofa de futuro, com mais qualidade de vida. Temos ainda muito para fazer e continuaremos na nossa luta, de trabalho, dedicação, resiliência e com uma vontade enorme de transformar positivamente a nossa Trofa. O maior sonho que qualquer trofense pode ter, será realizado muito em breve, com a conclusão dos nossos Paços do Concelho, uma obra emblemática, um desejo, mas acima de tudo um momento pelo qual todos nós ansiávamos.

 

Como se sente com esta distinção do Troféu AUDIÊNCIA?

Quero destacar a importância de um jornal regional na promoção, divulgação e publicitação institucional da atividade dos municípios e partindo desta base, para mim, é um orgulho receber esta distinção, mas devo referir que só se consegue qualquer tipo de distinção com a ajuda de uma grande equipa, a começar pelo executivo municipal, dos colaboradores do município e acima de tudo dos trofenses, que me deram esta oportunidade de trabalhar em prol de uma comunidade. Por fim, agradecer ao jornal AUDIÊNCIA pela distinção e pelo reconhecimento, desejando que continuem o bom trabalho que fazem.