A Noite de Pão Quente e Chá ao Luar, organizada pela Junta de Freguesia da Maia, regressou, após dois anos de interregno causados pela pandemia da Covid-19, no passado dia 28 de julho. A XIX edição Noite do Pão Quente e Chá ao Luar contou, para além do tradicional cortejo e da distribuição do pão quente e chá, com muita animação, incluindo a atuação da Banda Lira do Divino Espírito Santo da Maia e do Dj Hilow. Em declarações exclusivas ao AUDIÊNCIA, Suzana Ferreira, presidente da Junta de Freguesia da Maia, e Hugo Pereira, secretário executivo, asseguraram que esta edição foi um sucesso.

 

A XIX edição da Noite de Pão Quente e Chá ao Luar decorreu na Avenida dos Serradinhos do Mar/Miradouro do Frade, na freguesia da Maia, Ilha de São Miguel. Após dois anos de interregno, Suzana Ferreira, presidente da Junta de Freguesia da Maia, afirmou que “as pessoas ansiavam muito o retorno desta atividade” e que “a Noite de Pão Quente e Chá ao Luar é, realmente, um cartaz para a nossa freguesia, atrai muita gente, não só residentes, mas também pessoas de fora da nossa freguesia. É uma atividade que tem uma dimensão que vai muito além da freguesia, tanto é que este ano superou todas as expetativas, apareceu muita gente mesmo”.

O evento cultural, que teve início ao final da tarde, contou com um cortejo etnográfico pelas ruas da freguesia, com a distribuição de pão quente e chá, seguido da atuação da Banda Larga. No final da noite, os habitantes da Maia e os visitantes da freguesia assistiram a um espetáculo de pirotecnia e depois à atuação do Dj Hilow. No decorrer desta iniciativa as pessoas puderam degustar pão quente com manteiga, queijo, pasta de chouriço, sempre acompanhado de chá açoriano da Gorreana, fábrica mais antiga e centenária de chá da Europa. A presidente da Junta de Freguesia da Maia assegurou que “houve uma adesão bastante grande por parte da população da Maia e não só”. Na ótica de Suzana Ferreira, “todas as atividades que promovem a atração de pessoas à Maia são sempre uma mais-valia. Sendo a nossa freguesia longe do centro citadino é importante realizar atividades que permitam dinamizar e atrair população para a nossa freguesia”.

“É uma mais-valia, no nosso ponto de vista, não só por toda a envolvência que cria, mas também porque faz as pessoas virem conhecer a Maia, que tem muitos pontos bonitos e se calhar não são conhecidos de toda a gente”, declarou. Na sua primeira Noite de Pão Quente e Chá ao Luar enquanto presidente de junta, Suzana Ferreira admitiu que “superou todas as nossas expetativas, foi muito bom, foi uma noite extremamente agradável, bem passada, sem haver coisas menos positivas”.

Hugo Pereira, secretário executivo da Junta de Freguesia da Maia, admitiu que “era de esperar que, depois de dois anos sem festas, viesse muita gente, mas superou as nossas expetativas”. Para o secretário executivo esta iniciativa “para além de trazer muita gente à Maia, engrandece o nosso pão, engradece os produtos regionais, como o queijo, a manteiga e, claro, o chá Gorreana, aqui da nossa freguesia e que é conhecido em todo o mundo”. No rescaldo desta noite Hugo Pereira afirmou que “de zero a dez, eu dou um nove, porque, infelizmente, faltou pão, uma vez que não contávamos com tanta gente”.