No âmbito do 30º aniversário da Escola Profissional dos Profissionais de Escritório RAA (EPROSEC) o AUDIÊNCIA esteve à conversa com o diretor João Tadeu Ricardo que explicou a importância deste tipo de ensino nos dias de hoje, adiantando que o objetivo para o futuro passa por “apostar em cursos de áreas agropecuária, indo de encontro assim ao que julgamos ser as necessidades da comunidade local”.

 

 

Este é o 30º aniversário da EPROSEC. Como surgiu e como têm sido estas três décadas?

A EPROSEC iniciou a sua atividade letiva a 13 de janeiro de 1992, tendo como entidade promotora a UGT. Em 1997 a titularidade passa para o Sindicato dos Profissionais de Escritórios e Comércio, instituição centenária que já nos seus primórdios tinha apostado na ministração de cursos profissionais, naquela altura cursos comerciais. Inicialmente a EPROSEC funcionava num só edifício, no centro de Ponta Delgada, mas cedo se verificou que o sucesso por este tipo de aprendizagem, implicaria o aumento da sua estrutura. Sem esquecer a vertente teórica, é, no entanto, a vertente pática que diferencia este tipo de aprendizagem. As escolas profissionais têm como objetivo principal formar jovens para o mercado de trabalho. O aumento da procura pelos jovens pelo ensino profissional implicou que chegássemos a ter que arrendar 5 espaços dispersos por Ponta Delgada. Era clara a necessidade de possuirmos um novo edifício para dar resposta a este desafio. É assim, que com o apoio do Governos Regional de então, nas pessoas do seu presidente Dr. Carlos Cesar e do Diretor Regional do Emprego e Qualificação Profissional, Dr. Rui Bettencourt, avançamos com a construção desta escola.

 

E esta nova escola, o que disponibiliza aos alunos?

A EPROSEC está localizada na freguesia de Arrifes, na cidade de Ponta Delgada, num edifício construído de raiz há oito anos, em 2013. É constituído por 24 salas de aulas práticas, 5 salas de informática, ginásio, refeitório, bar, auditório, biblioteca e campo de jogos exterior. Ao longo de todo o nosso percurso oferecemos basicamente cursos nas áreas de gestão, Informática, Multimédia, Saúde, Turismo. Já realizamos, no entanto, cursos na área de Design e Moda, Serviços florestais, Apoio Social, Eventos, Ambiente e Higiene e Segurança no trabalho. A nossa preocupação principal é procurar acompanhar os nossos formandos durante e após a sua formação. Por este motivo proporcionamos acompanhamento aos formandos e para além dos formadores, por diretores de turma, coordenadores, psicólogo e médico. Após o términus do curso, e através do nosso Gabinete de Orientação e Inserção Profissional, monitorizamos o trajeto dos ex-formandos designadamente em termos situação profissional, prosseguimento de estudo ou outras situações.

 

 

 

Quais os projetos e desafios para o futuro?

Pretendemos, no futuro, e porque atualmente uma percentagem bastante significativa dos nossos formandos são aqui da freguesia dos Arrifes, apostar em cursos de áreas agropecuária, indo de encontro assim ao que julgamos ser as necessidades da comunidade local. Há que ter consciência que vivemos atualmente num momento de mudança global e não podemos perder o comboio. Preocupa-nos a diminuição de jovens em idade escolar. Encaramos todas estas questões como desafios que, pelo nosso passado histórico, e pela nossa capacidade de lutar, estamos convictos e confiantes num futuro promissor para o ensino profissional.