O Crédito Agrícola entregou, no passado dia 19 de maio, na sede do grupo financeiro, em Ponta Delgada, o prémio monetário, no valor de 10 mil euros, a cada um dos quatro vencedores do concurso “DIA CA Sempre Sustentável”. Neste seguimento, António Gomes de Sousa, presidente do Conselho de Administração desta Caixa, recompensou a Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo (APPDA), a Ala de Nun’Álvares de Gondomar, a Associação de Transumância e Natureza e o Centro Social Nossa Senhora da Graça.

 

 

O Crédito Agrícola assinalou o seu aniversário, no passado dia 1 de março, com uma campanha comemorativa – “DIA CA Sempre Sustentável” – que pretende contribuir para o desenvolvimento económico e social das comunidades e reforçar o seu compromisso com um futuro mais sustentável, através da atribuição de quatro prémios, cada um dos quais no valor de 10 mil euros, a entidades da economia social, que pretendam implementar projetos com impacto positivo no ambiente, nomeadamente nas áreas da descarbonização, economia circular ou serviços dos ecossistemas.

Segundo o grupo financeiro, “as candidaturas foram avaliadas por um Júri, que selecionou até cinco projetos por cada região (Norte, Centro, Sul e Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores). Os 20 projetos finalistas foram depois submetidos à votação do público, para seleção dos vencedores”.

Neste contexto, o público elegeu, através da votação que decorreu online entre os dias 19 e 30 de abril, a Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo (APPDA), a Ala de Nun’Álvares de Gondomar, a Associação de Transumância e Natureza e o Centro Social Nossa Senhora da Graça.

Os prémios monetários foram entregues, no passado dia 19 de maio, na sede da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo dos Açores, em Ponta Delgada, pelo presidente do Conselho de Administração desta Caixa, António Gomes de Sousa.

Com o prémio do “DIA CA SUSTENTÁVEL”, a APPDA, criada nos Açores, pretende desenvolver atividades de hortofloricultura e de sensibilização ambiental e, paralelamente, atividades de economia circular. O projeto terá, também, em vista, uma vertente profissionalizante dos associados, em idade ativa.

Por outro lado, a Ala de Nun’Álvares de Gondomar vai requalificar o pavilhão gimnodesportivo, com mais de 30 anos, com o objetivo de melhorar a sua eficiência energética e de forma a reduzir a elevada fatura energética do complexo desportivo e, em simultâneo, melhorar as condições dos atletas.

Já a Associação Transumância e Natureza (ATNatureza), uma organização não-governamental, que atua na área do ambiente, propõe-se a acelerar a reflorestação, através da poda de 25 hectares de área arbustiva, potenciando o crescimento vertical e a criação de quatro manchas de biodiversidade florestal, como futuro banco de sementes para o reflorestamento natural.

Por fim, o Centro Social Nossa Senhora da Graça quer plantar plantas e árvores de espécies autóctones e endémicas na região do Alentejo. Com o prémio, serão ainda plantadas árvores e plantas, em casas de famílias em zonas do território mais carentes, ao nível dos ecossistemas e biodiversidade, como forma de regenerar essas áreas na sua qualidade de ar, água, extrato vegetal e solos, criando um impacto positivo no território.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com