Já começaram a entrar na caixa de correio eletrónico do orientador da secção alguns dos originais candidatos ao concurso de contos “Um Caso Policial em Gaia”, de que se publica hoje o respetivo regulamento. Nesta edição damos ainda conta dos resultados alcançados pelos nossos “detetives” na sétima prova do torneio de decifração “Solução à Vista!” e por Daniel Falcão no concurso de enigmas “Mãos à Escrita!”. Mas vejamos primeiro as regras do concurso de contos:

CONCURSO “UM CASO POLICIAL EM GAIA”

Regulamento

1. O concurso está aberto a todos, sem quaisquer condicionalismos idade, sexo ou nacionalidade, podendo cada concorrente apresentar mais do que um original.

2. Os trabalhos, na modalidade de conto policial, em língua portuguesa, deverão ter ação no concelho de Gaia, terão obrigatoriamente o mínimo de duas páginas de formato A4 e o máximo de quatro, escritas a 1,5 espaços, na fonte Times New Roman e corpo de letra 12.

3. Os originais deverão ser enviados em formato digital, a partir de 1 de janeiro de 2020, para o endereço eletrónico salvadorpereirasantos@hotmail.com;

4. Os trabalhos serão publicados por ordem de receção, a partir de 5 de junho de 2020.

5. A classificação dos contos será definida através da média da pontuação atribuída pelos seus leitores.

6. No final da publicação de cada conto, os leitores do jornal AUDIÊNCIA GP e os seguidores do blog LOCAL DO CRIME terão 30 dias para enviar a sua pontuação, numa escala de 5 a 10 pontos, em função da qualidade e originalidade, através do email referido no ponto 3.

7. Será vencedor do concurso o conto que alcançar uma maior pontuação média, sendo distinguidos os restantes trabalhos classificados nas dez primeiras posições;

8. Serão atribuídos os seguintes prémios: 1º a 4º Lugar – Taças; 5º a 10º Lugar – Medalhas;

9. Os casos omissos serão resolvidos pelo orientador da secção O Desafio do Enigmas, não havendo recurso das decisões tomadas.

TORNEIO “SOLUÇÃO À VISTA!”        

Solução da Prova nº. 7                    

“A Estranha Morte do Barão”, de Abrótea

Primeira pista: marcado no calendário a lua em quarto CRESCENTE uma semana depois, então o ciclo estava em LUA NOVA nesta altura.

Segunda pista: a chave pelo lado de dentro indica alguém da casa, alguém muito próximo do patrão, pois este só abriria a porta descontraidamente aos seus mais íntimos amigos.

Terceira pista: os vidros, muitos no lado de fora e poucos no lado de dentro. O vidro foi partido de dentro para fora.

Quarta pista: a mentira do Doutor Pinto, com LUA NOVA não existe luar. E aqui ele tenta incriminar o Jorge (só que este foi o primeiro a chegar), calçando os sapatos que lhe estão grandes demais. Para isso, e isto é pura especulação, calça dois ou três pares de meias e uns sapatos grandes demais para o seu pé. Jorge é um gigante, logo tem pé grande. O Doutor Pinto implica também o “Coxo”, deixando uma pegada mais funda que a outra. Mas o “Coxo”, além de não ter o pé grande (ele é baixo), coxeia sempre do mesmo lado. As pegadas que iam e vinham, a mais funda é uma ao contrário da outra, isto é uma direita e outra esquerda, uma partidinha do nosso amigo para incriminar o “Coxo”, mas enganou-se. Porquê? A pessoa manca faz sempre mais força na perna sã, nunca troca a força para a perna mais curta ou menos sã. Por tudo isto o nosso advogado é o “EL MATADOR”.

Pontuação/Classificação (após a 7ª. Prova)

As quatro grandes pistas deixadas no enunciado do enigma não escaparam a um número significativo dos nossos “detetives”, se bem que alguns deles acabassem por apostar no criminoso errado. Mas houve ainda quem deixasse escapar a pista da inexistência de luar na noite do crime ou a pista do grande volume de partidos no exterior da mansão, o que determinou a perda de preciosos pontos. E assim vai a tabela classificativa, quando estamos apenas a três provas do final:

1º. Búfalos Associados (74+13): 87 pontos;

2º. Detetive Jeremias (74+12): 86 pontos;

3ºs. Inspetor Moscardo (62+10) e Tempicos & Tempicas (62+10): 72 pontos;

5º. Zé de Mafamude (59+11): 70 pontos;

6ºs. Ego (60+9) e Rigor Mortis (59+10): 69 pontos;

8ºs. Donanfer II (56+10), Inspetor Mucaba (56+10) e Ma(r)ta Hari (57+9): 66 pontos;

11ºs. Bernie Leceiro (54+10) e Carlota Joaquina: (54+10): 64 pontos;

13ºs. Bota Abaixo (51+9), Chico da Afurada (50+10), Detetive Bruno (51+9), Detetive Vasoff (50+10), Holmes (51+9), Mancha Negra (51+9), Pena Cova (51+9) e Príncipe da Madalena (50+10): 60 pontos;

21ºs. Charadista (49+10), Mosca (51+8), Martelo (49+10) e Necas (51+8): 59 pontos;

25ºs. Beira Rio (48+10), Haka Crimes (50+8) e Mascarilha (50+8): 58 pontos;

28ºs. Broa de Avintes (47+10), Dragão de Santo Ovídio (50+7), Faina do Mar (49+8), Inspetor Guimarães (49+8), Talismã (49+8) e Tó Fadista (48+9): 57 pontos;

34ºs. Amiga Rola (47+9) e Inspetor Madeira (49+7): 56 pontos;

36ºs. Agata Cristas (45+10), Arc. Anjo (46+9), Inspetor Mostarda (48+7), Pequeno Simão (45+10), Santinho da Ladeira (46+9), Solidário (46+9) e Vitinho (47+8): 55 pontos;

43ºs. Abrótea (40+10) e O Madeirense (40+10): 50 pontos;

45ºs. Moura Encantada (37+10) e Oluap Snitram (37+10): 47 pontos;

47º. Airam Semog (26+0): 26 pontos.

CONCURSO “MÃOS À ESCRITA!”      

As avaliações feitas pelos solucionistas e pelo orientador da secção ao enigma “Crime Leaks” de Daniel Falcão, resultaram na seguinte pontuação média final: 8,60 pontos. Desta forma, este enigma, que constituiu a prova nº. 6, alcança o topo da classificação, que está assim ordenada:

1º. “Crime Leaks”, de Daniel Falcão: 8,60.

2º. “Whisky Fatal”, de Rigor Mortis: 8,40 pontos;

3º. “…E Também não é uma Cebola”, de Búfalos Associados: 8,30 pontos;

4º. “O Caso do Capitão Venâncio”, de A. Raposo: 8,20;

5º. “O Estranho Caso da Falsa Mobilidade”, de Bigode: 7,60 pontos;

6º. “Abílio Vai à Bola”, de Daniel Gomes: 6,20 pontos.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com