“Todos os anos, uma nova colheita. Todos os anos, novos filmes com novas perspectivas, trazendo com eles os sons, as imagens, os sentimentos e ideias do nosso tempo.

Todos os anos descobrindo os nomes que fazem o cinema que é visto nas salas de todo o Mundo. As novas cinematografias. Todos os anos, um festival totalmente novo com as mais recentes produções mundiais. Todas inéditas em Portugal, muitas delas em Antestreia Mundial, internacional ou Europeia, o que demonstra uma aposta firme dos produtores e agentes de vendas no FANTASPORTO, o Festival Internacional de Cinema do Porto, cuja 39ª edição regresa ao Porto a partir de 19 de Fevereiro e até 3 de Março, no Rivoli Teatro Municipal” …é a festa do cinema na cidade do Porto , a cidade que viu nascer a arte cinematografica no país, lembramos Aurélio Paz dos Reis (Porto 1862-1931 ) comerciante floricultor , fotógrafo amador que deixou um valioso acervo fotográfico, revolucionário republicano, considerado o pioneiro do cinema em Portugal por ter realizado e produzido os primeiros filmes portugueses.

Este ano, uma rigorosa seleção, apresentrará quase duas centenas de filmes, resultantes das propostas chegadas de cerca de 60 países. se pode dizer , com propriedade, que, a nível internacional, o Fantasporto está totalmente implantado, com prestígio e respeito. Sob o tema desta 39ª edição, OS DESAFIOS DA MODERNIDADE, todos os géneros, todas as cores, gente de todo o mundo, momentos especiais com a exibição de obras relevantes do cinema como Easy Rider, celebrando 50 anos da estreia, Esplendor (The Shining) , A Laranja Mecánica (Clockwork Orange) marcando os 90 anos do nascimento do realizador Stanley Kubrick e os 20 da sua morte, e os 40 anos de Alien, projectados em toda a sua glória, tal como foram criados para o grande écran.

Mas também os filmes recentes expressam os mais relevantes temas da actualidade. Depois de termos abordado a ÉTICA em 2018, os filmes deste grande tema OS DESAFIOS DA MODERNIDADE , do Fantasporto 2019 são: The Panama Papers, de Alex Winter, sobre o Poder dos Média e o jornalismo de investigação que se encontrava na restrita lista dos potenciais candidatos aos óscares; Human, Space, Time and Human deKim Ki-Duk sobre a Desumanização nas sociedades mais avançadas; Monstrum de Jong-Ho Huh sobre os Jogos de Poder e a Corrupção; The Russian Bride de Michael S. Ojeda( filme de encerramento) sobre a Influência e Perigos da Net; Last Sunrise de Wen Ren sobre o Ambiente e as Catástrofes naturais; X- The eXploited de Károly Mészáros sobre a Saúde Mental;Waiting for Sunset sobre Idosos; School Service de Louie Lagdameo Ignacio sobre a desumanização e a exploração da Infância; Painting Lifede Biju Kumar Damodaran sobre o Ambiente e a dependência da tecnologia; Nancy de Christina Choe sobre a Adopção/Fragmentação da Família; Decision: Liquidation de Alexander Aravin sobre Luta contra Radicalismo; e, finalmente, a Retrospectiva Taiwan, dedicada aos anos 60, sobre o Empoderamento da Mulher (ação social coletiva de participar de debates que visam potencializar a conscientização civil sobre os direitos sociais e civis). Tema que já foi, curiosamente, tema central também do passado FITEI em 2018. Também o cinema português está sempre em destaque no Fantasporto.

De notar a crescente participação das Universidades e Escolas de Cinema portuguesas, este ano são 10 entidades com cursos de cinema, como as Universidades do Minho, Católica, UTAD, escolas superiores como ESMAD, ESAP- Escola Superior Artística do Porto . No que respeita às Retrospectivas destacam-se a; “TAIWAN -THE CHANGING FACE OF FEMININITY IN 60’S TAIWAN” com a Apresentação de clássicos em cópias restauradas, numa pareceria com o Taiwan Film Institute, entre eles três Filmes de Lin Tuan-Chiu em International Premiere. Outra retrospectiva dedicada à “HUNGRIA- THE NEW GENERATION” com recentíssimos filmes dessa cinematografia, todos inéditos em Portugal.

Nesta retrospectiva ( e também a concurso), encontra-se por exemplo o último filme do vencedor do Fantasporto de 2015 , Karóly Meszáros e o filme Liza – The Fox Fairy , de nome X-The Exploited, ou a última longa-metragem de Gyorgy Palfi, responsável do grande sucesso que foi Taxidermia. Ambos realizadores estarão na cidade para apresentar os seus filmes. (informação oficial do Fantasporto 39º). Uma vez mais os organizadopres (almas vivas deste evento!) Beatriz Pacheco Pereira e Mário Dorminsky estão de parabéns.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com