Gisela Rodrigues Paz, presidente da Junta de Freguesia da Conceição, e o padre Roberto Cabral fizeram um balanço positivo do regresso das Festas em honra do Sagrado Coração de Jesus, depois de dois anos de interregno, forçados pela pandemia da Covid-19. Ambos destacaram o cartaz diversificado e adequado a todas as faixas etárias como uma mais-valia, ao qual se aliou o bom tempo, que levou milhares de pessoas até à freguesia da Conceição, entre os dias 29 de julho e 3 de agosto. A autarca ainda referiu futuros eventos a desenvolverem- se na freguesia que lidera, obras que estão em cima da mesa e que darão os primeiros passos em breve, e contou, em exclusivo ao AUDIÊNCIA, sobre os sonhos que tem para a Conceição.

 

As Festas em honra do Sagrado Coração de Jesus, na Freguesia da Conceição, na Ribeira Grande, voltaram às ruas, entre os dias 29 de julho e 3 de agosto, depois de dois anos de interregno forçados pela pandemia da Covid-19. A edição de 2022 foi repleta de animação, música e momentos culturais e superou todas as expectativas, levando milhares de pessoas à Conceição.

Roberto Cabral, pároco da freguesia, lembrou que, durante os últimos anos de pandemia, as festas tinham sido compostas apenas pela parte religiosa dentro da Igreja, e que “foi importante para as pessoas, também, reencontrarem-se, voltarem a estar juntas, voltaram a celebrar, voltarem, no fundo, a conviver, tendo como pano de fundo as Festas em honra do Sagrado Coração de Jesus”. O padre acredita que foi a privação dos últimos anos que fez com que, este ano, mais gente participasse em certos momentos da romaria e, nomeadamente, a grave crise de saúde pública, que se viveu no país e no mundo, pode ter despertado uma maior fé. “Acredito que, em muitas situações e para uma parte da população, foi um momento, também, de agradecer”, acrescentou o padre, admitindo que o convite que era feito à comunidade para a participação da Festa do Sagrado Coração de Jesus era exatamente nesse “sentido de gratidão por tudo o que passamos e por estarmos, novamente, juntos a celebrar”.

Por sua vez, Gisela Melo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia da Conceição, destacou o facto da autarquia local associar-se “a todas as atividades desenvolvidas na freguesia, quer do âmbito religioso ou profano. Quanto às Festas em honra do Sagrado Coração de Jesus, claro que trabalhamos sempre em parceria com a comissão”, salientando que “este ano nós recebemos imensos emigrantes e, de facto, a festa foi o ponto alto deste verão e da nossa freguesia”. A autarca acredita que muito emigrantes escolhem as suas férias em função destas pequenas romarias, na tentativa de reviverem as suas raízes e culturas, algo bem presente no cartaz da festa.

O certame contou com momentos musicais protagonizados pela “Banda Larga”, o Grupo Folclórico de Santa Bárbara, existiu um momento de cantigas ao desafio, subiu ao palco, também, a Orquestra Ligeira da Ribeira Grande, a Cheila Teixeira, e a festa fechou com a atuação do grupo Explosão Radical. “Procuramos ter um programa de festas de acordo com as possibilidades, no que diz respeito à parte financeira, até porque todos nós começamos a sentir os efeitos da crise, mas procuramos, ao mesmo tempo, ter um cartaz que fosse muito eclético, que pudesse abranger, digamos, vários gostos de âmbito musical e que pudesse abranger todas as faixas etárias”, destacou o padre da freguesia da Conceição, e Gisela Melo Rodrigues reforçou a ideia, lembrando que a diversidade do cartaz, e nomeadamente a presença das filarmónicas e do grupo de folclore, é “uma forma de cativar os mais jovens para a nossa cultura”.

Tanto o padre Roberto Cabral como a presidente da Junta de Freguesia da Conceição disseram que, se tivessem de escolher um momento alto da festa, seria a procissão, na qual participou Carlos Anselmo, vice-presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande. O pároco descreveu-a como “bonita e bem composta”, lembrando que foi um trabalho de equipa, desde a ornamentação das ruas, às integrantes da procissão, até mesmo às filarmónicas que a acompanharam. Já Gisela Melo Rodrigues evidenciou que a procissão “mobiliza muita gente, de freguesias vizinhas, e mesmo de outros concelhos, e, neste caso particular, com o bom tempo, trouxe imensa gente à nossa freguesia”. No entanto, a líder da Freguesia da Conceição não deixou de se pronunciar sobre outro momento que considera de igual importância e destaque: o encerramento da festa, com a saída da imagem do Sagrado Coração de Jesus ao adro, “que é sempre um momento de muito simbolismo e significado, principalmente, para quem é católico”, explicou.

Quando questionado sobre sonhos para as edições dos próximos anos, o Padre Roberto Cabral não teve dúvidas em dizer que o que mais gostava é que as pessoas vivessem a sua fé, para além dos cinco dias de romaria. “Acima de tudo, que a fé no Sagrado Coração de Jesus fosse vivida todos os dias do ano, que fosse alimentada e vivida em comunidade, nomeadamente, até com uma maior participação na eucaristia, e que a devoção não se cingisse a esta festa, que fosse vivida nas famílias, nos vários ambientes onde as pessoas se encontram”, disse.

“Foi uma ótima edição. Também tivemos a sorte de estar bom tempo, tivemos os serões bem animados, com muita gente. Recebemos muitos emigrantes do Canadá e dos EUA, que também já não vinham há algum tempo, devido ao Covid, e aproveitaram, também, esta altura para se juntarem aos seus familiares e viverem esses momentos culturais desenvolvidos, aqui, na nossa freguesia, por isso, foi muito bom”, disse a edil. Já o pároco Roberto Cabral terminou afirmando que “o balanço é positivo em vários sentidos. Em primeiro lugar porque foi possível fazer-se as Festas sem as restrições a que fomos sujeitos nos últimos dois anos, em segundo lugar pela participação das pessoas e, por outro lado, por fortalecer este sentido de comunidade”.

 

Conceição repleta de sonhos e projetos

Mas a agitação na freguesia não terminou com as Festas em honra do Sagrado Coração de Jesus. Já se pensa no próximo evento, que acontece entre os dias 23 e 25 de setembro, o fim de semana cultural, ou como Gisela Melo Rodrigues lhes chama, os Dias da Conceição, que terá lugar na Praça do Emigrante. “É uma forma de homenagear aquele espaço que simboliza os nossos emigrantes e trazer, aqui, mais alguns momentos de proximidade entre população e as nossas raízes e a nossa cultura”, disse a autarca.  Depois, a presidente da Junta também destacou que, em dezembro, “temos a festa da Nossa Senhora da Conceição, que se realiza a 8 de dezembro, padroeira de Portugal, e que também é um momento muito alto, aqui, na nossa freguesia”.

Para o próximo ano, Giselo Melo Rodrigues garantiu que haverá ainda mais atividades, desde promoção cultural, roteiros turísticos e passeios pedestres, a autarca também mostrou ter vontade de organizar eventos com a Associação de Emigrantes. “Queremos realizar, também, a nossa Festa do Espírito Santo, e desenvolver algumas atividades em parceria com o Centro de Artes Contemporânea”, disse a edil, salientando que pretende abrir o espaço à comunidade, com exposições, workshops e formações. A dinamização de mais atividades na sua sede também está prevista e a presidente diz-se aberta a propostas. “A nossa sede serve de espaço de ensaio de um grupo de dança muito conhecido da nossa freguesia, que é o Move Dance Crew, temos também ioga, formações de entidades externas, a quem nós cedemos, de forma gratuita, o espaço. Estamos sempre abertos e recetivos a tudo o que seja bom para a nossa freguesia e os nossos jovens”, afirmou. Tudo isto, depois de dois anos de pandemia, mas chegados agora a um momento em que autarca acredita que as pessoas já estão menos receosas e que já estão prontas para participar ativamente na comunidade.

A presidente da Junta de Freguesia da Conceição salientou, ainda, algumas entidades e associações que a autarquia apoia e que são importantes para o dia a dia, cultural e funcional, da freguesia, como a Filarmónica Voz do Progresso, “com quem temos uma relação muito próxima e colaborativa”, o Benfica Águia Sport, “um clube com grande história no nosso concelho e na nossa freguesia, do qual trabalhamos de forma muito próxima”, “não esquecendo os nossos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande, que sempre que é possível, nós também contribuímos com a nossa associação”, disse Giselo Melo Rodrigues.

No que diz respeito a obras materiais em cima da mesa para 2022/2023, a presidente não escondeu a grande ambição que era para a Conceição ter a sua casa mortuária, uma vez que é das poucas freguesias do concelho que não possui esse equipamento. “Neste momento, o projeto está terminado, será agora entregue à Câmara Municipal, que irá proceder à adjudicação da obra, por isso, em 2023, temos a certeza que iremos arrancar com esta obra que tem um significado imenso para a nossa população e para a nossa freguesia”, declarou. Também no que diz respeito aos contratos interadministrativos com a Câmara Municipal da Ribeira Grande, a Conceição vai requalificar um dos espaços verdes da localidade, “tendo sempre a ambição de fazer mais e melhor pela nossa freguesia”.

Recentemente a autarquia local foi distinguida, pela sexta vez, com o Prémio de Certificado de Excelência no âmbito do projeto Eco-Freguesia – Freguesia Limpa. A presidente da Junta afirmou estar orgulhosa de conquistar este galardão mais uma vez, dizendo que é “extremamente gratificante”. Apesar de saber que todos os autarcas fazem o seu melhor para manter as suas freguesias limpas, Gisela não escondeu que este “é um trabalho que exige muita dedicação e empenho”, além disso, a edil da Conceição foi assertiva quando referiu que, por vezes, é preciso intervir em situações que estão para além da responsabilidade e competência da Junta de Freguesia.

Mas a respeito desta situação, a presidente aproveitou para falar, ao Jornal AUDIÊNCIA, sobre uma enorme preocupação, e que é abrangente a quase todos os presidentes de Junta, a falta de mão de obra, causada pela redução dos programas de emprego. “É muito difícil a Junta contratar realmente esse tipo de recursos humanos sem ser no âmbito desses programas de emprego, porque é extremamente caro”, constatou a autarca, referindo que há colaboradores que trabalham lá há três anos e que já não se encaixando nos novos parâmetros dos programas, terão de ir embora.

Quanto aos sonhos para a terra de lidera, Gisela Melo Rodrigues começou por dizer que gostava que a Conceição fosse um concelho seguro e saudável. “Infelizmente estamos a viver grandes problemas a nível das dependências no nosso concelho. Existe uma grande preocupação a nível de segurança e de bem-estar daqueles que aqui vivem e de todos que nos vistam”, explicou a edil, afirmando que ver a sua freguesia livre desse problema seria um verdadeiro sonho. Mas os desejos não se esgotam por aí, pelo contrário, a lista é bem ampla.  “Ver resolvida a situação de acesso e de estacionamento à nossa Lagoa do Fogo, uma das 7 Maravilhas de Portugal”, é outro dos sonhos apontados pela presidente da Junta de Freguesia da Conceição, assim como ver menos casas ao abandono, podendo estas ser reabilitadas e dar respostas de habitação a quem queira viver na Conceição, mas também a quem queira visitar a região. Gisela refere que mais focos habitacionais seriam uma mais valia para todo o concelho, e referiu um investimento privado que será feito num antigo restaurante, onde surgirá um novo empreendimento turístico, e o quanto isso é bom para a criação de mais emprego e para a melhoria da economia local, sendo que significa, também, acima de tudo, um engrandecimento para a freguesia.

Por fim, a presidente deixou uma mensagem aos residentes da Conceição e a todos os que visitam a Ribeira Grande. “Nós, enquanto Junta de Freguesia, fazemos sempre o melhor e o mais que pudermos para deixarmos os nossos fregueses bem, a viver numa freguesia de qualidade, numa freguesia que nos orgulhe realmente. Estamos sempre de portas abertas e recetivos a todas as iniciativas, a tudo o que possa surgir para melhorar o dia a dia, a qualidade de vida de cada residente, de cada criança, de cada idoso”, terminou, desejando ainda muita saúde a todos e uma palavra de esperança em dias melhores.