Depois de dois anos de interregno, impostos pela pandemia, as majestosas Festas em honra de Nossa Senhora das Dores regressaram, entre os passados dias 13 e 23 de agosto, à Trofa e atraíram milhares de pessoas às ruas da cidade. A procissão, que contemplou dez andores, com cerca de 15 metros, foi, uma vez mais, o ponto alto desta romaria religiosa, impressionando os mais devotos. A animação cultural também decorreu ao longo dos dez dias e foi protagonizada por grandes nomes da música local e nacional.

 

As Festas em honra de Nossa Senhora das Dores regressaram à Trofa, entre os passados dias 13 e 23 de agosto, depois de dois anos de interregno, fruto da pandemia da Covid-19, que assolou o país e o mundo.

Com um programa religioso e cultural recheado de atividades, a iniciativa arrancou no dia 13 de agosto, com a tradicional alvorada, seguindo-se, ao início da tarde, o Passe Cales das Tunas pela cidade e, à noite, a tradicional procissão das velas, que antecedeu a eucaristia, que teve lugar na Concha Acústica, em frente à Capela de Nossa Senhora das Dores. Assim, a noite terminou com a atuação da Oportuna – Tuna Académica de Ciências da Saúde e da Orquestra Académica Já B’UBI & Tokuskorpus, na Alameda da Estação.

No dia seguinte decorreu o Setenário em honra de Nossa Senhora das Dores, que se realizou até ao dia 20 de agosto, na Capela com orago daquela santa. Posteriormente, Miguel Ângelo Costa subiu ao palco e, mais tarde, foi o grupo Cão Voador, que agitou a Alameda.

O espetáculo de cantares ao desafio animou a tarde do dia 15 de agosto, na Alameda, sucedendo-se o Cortejo Finzes, enquanto a noite foi de Fados de Coimbra.

Por outro lado, as atividades culturais do dia 16 começaram a atuação do grupo Sons e Cantares do Ave, na Alameda da Estação, seguindo-se o espetáculo de stand up comedy protagonizado por Miguel 7 Estacas e João Seabra.

Assim, foi a Banda de Música da Trofa quem subiu ao palco no dia 17, antecedendo o grupo Pearl Band, ao passo que no dia seguinte, a noite foi da Orquestra Ritmos Ligeiros da Trofa e do grupo The Cover Van.

Mónica Sintra foi cabeça de cartaz no dia 19 de agosto, enquanto no dia 20 foi a Banda de Música da Trofa quem animou a plateia.

Já o dia 21 de agosto começou com a Missa pelos Benfeitores, que decorreu na Capela de Nossa Senhora das Dores, seguindo-se a atuação da Banda de Música da Trofa e, mais tarde, a Missa Solene em honra de Nossa Senhora das Dores. Posteriormente, decorreu a majestosa procissão, que contou com dez andores, com cerca de 15 metros de altura, e a participação de mais de 700 pessoas, o que impressionou os mais devotos. À noite, a Banda de Música da Trofa voltou a encantar os presentes.

Para Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal da Trofa, “a procissão em honra de Nossa Senhora das Dores é já uma referência nacional. Este ano, voltamos a ver as ruas da Trofa com milhares de pessoas, que puderam assistir à imponente procissão, uma das nossas maiores atrações culturais”.

No dia 22, as atividades decorreram, apenas, durante a manhã, com a Feira de Sementes, que teve lugar no Parque de Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, seguindo-se a missa, na Capela e a atuação da Banda de Música da Trofa.

Deste modo, o último dia das Festas em honra de Nossa Senhora das Dores foi encerrado com a missa, que se realizou na Capela com orago daquela santa.

Esta festividade, que atraiu milhares de pessoas ao município da Trofa, é, segundo o edil trofense, “um marco histórico na história do concelho e uma das maiores atrações culturais no município”.