Alexandre Gaudêncio foi hoje constituído arguido na operação “Nortada”, pela Polícia Judiciária. Na sequência destas operações e após as diligências da PJ, deu uma conferência de imprensa aos jornalistas.

Durante a conferência de imprensa dada aos jornalistas, o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande disse estar de “consciência tranquila” quanto às “opções” que tomou enquanto autarca da edilidade.

No entanto, comentou que “estas investigações têm como base queixas anónimas e algumas do Partido Socialista, como é público”. O autarca ribeiragrandense diz que o objetivo das queixas é “bem evidente aos olhos das pessoas”, afirmando terem “claro dedo do Partido Socialista”.

Na conferência Alexandre Gaudêncio quis firmar que “a investigação tem um alvo concreto que é o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande”, não deixando de haver o “propósito de derrubar o principal líder da oposição”, assegurando ainda “o que não nos enfraquece torna-nos mais fortes”.

Nas declarações aos órgãos de comunicação social Alexandre Gaudêncio mostrou-se disponível para colaborar com as autoridades, e deixou claro que “enquanto autarca, não deixarei de continuar a trabalhar e a lutar em prol dos ribeiragrandenses”, não estando em questão a sua demissão.

Por outro lado, questionado quanto à continuação da sua liderança no PSD/Açores, Gaudêncio diz que “a parte partidária terá que ser analisada internamente e com certeza que vou falar com os meus pares”.

O autarca ribeiragrandense remata: “a Câmara Municipal sempre teve as portas abertas para a sua população e com certeza tem as portas abertas para as autoridades.”

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com