A farmácia da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande foi alvo de obras de requalificação. No passado dia 28 o novo espaço foi inaugurado, assim como um núcleo museológico que retrata a farmácia de antigamente.

As obras de requalificação da farmácia da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande tiveram um custo de cerca de 150 mil euros. Quem o diz é Nelson Correia, Provedor da Santa Casa, que explica que toda a obra foi paga através de “fundos próprios”, não tendo havido nenhum tipo de apoio. No entanto, o montante, que já estava no orçamento da Santa Casa, “foi dividido em dois anos económicos”.

Esta era já uma vontade da Mesa que tomou posse há cinco anos, de acordo com Nelson Correia. No entanto, “houve outras prioridades” a ter em conta, tendo finalmente chegado o dia (após nove meses) de abrir ao público com um novo ‘layout’: mais sofisticado para quem visita e mais funcional para quem ali trabalha, tal como disse a presidente da Junta de Freguesia da Conceição, Gisela Rodrigues, que defende que a reabilitação “está muito atual e vai ao encontro do que esperávamos. Acima de tudo, parece-me muito prática para quem está a trabalhar a atender, o que torna tudo muito acessível”.

Por sua vez, Alexandre Gaudêncio, presidente da autarquia ribeiragrandense, diz que esta reabilitação “enquadra-se numa nova estratégia que o município definiu em dar uma nova vida ao centro histórico” através da remodelação quer do interior, quer do exterior “com a parte da fachada”.

O edil parabenizou aquela instituição pela iniciativa e pelo “excelente trabalho de valorização de um edifício que é património do nosso centro histórico”, afirmando que esta farmácia secular, “que necessitava de uma intervenção urgente”, soube “adaptar-se às novas realidades”, sendo exemplo disso a disponibilização agora existente de espaços de cosmética e perfumaria.

Para além de “qualquer serviço que é requalificado” ser “sempre benéfico”, sendo a farmácia um serviço muito utilizado pela população local e também por quem está de visita, Alexandre Gaudêncio afirma que este novo espaço com “novos produtos vai precisamente ao encontro dessa expectativa que está criada na Ribeira Grande”, tendo em conta que este é um “concelho que está em franco crescimento a nível turístico”.

Também Gisela Rodrigues congratulou a Santa Casa, afirmando que este é um “espaço secular que para nós tem uma estima muito especial também pela caracterização que tem neste espaço e pelos fantásticos colaboradores”.

A 28 de fevereiro, a par da inauguração das obras de requalificação da farmácia da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande, também foi o dia em que esta instituição completou 427 anos.

A Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande é a terceira maior empregadora do concelho com 215 funcionários e é uma das entidades que mais apoia e se preocupa com a sociedade onde se insere, indo ao encontro das necessidades da população ribeiragrandense. Prova disso são as 30 valências que detém, abrangendo cerca de 550 crianças e jovens e 250 idosos das freguesias de Calhetas, Pico da Pedra, Ribeira Seca, Santa Bárbara, Rabo de Peixe, Conceição, Matriz e Ribeirinha.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com