Depois de dois anos de interregno, fruto da pandemia de assolou o país e o mundo, a Junta de Freguesia de Campanhã voltou a organizar mais uma edição da Gala de Artistas desta localidade, tendo em vista celebrar o verão. A 9ª edição deste evento, que decorreu entre os dias 9 e 11 de setembro, no Auditório da autarquia e na idílica Praça da Corujeira, promoveu o que de melhor existe neste território, através de inúmeros momentos culturais, desportivos e gastronómicos.

 

A IX Gala de Artistas de Campanhã foi promovida pela Junta de Freguesia e assinalou o regresso desta iniciativa, depois de dois anos em que o evento não se concretizou, devido à pandemia, que decorreu entre os passados dias 9 e 11 de setembro, no Auditório da localidade e na Praça da Corujeira. “Nós fazemos esta Gala de Artistas, há nove anos, depois da Festa em honra de Nossa Senhora de Campanhã. Foi muito importante regressarmos, depois de dois anos de paragem. Foram dias bonitos e emocionantes para Campanhã, nos quais contamos com a participação de centenas de pessoas”, ressaltou Paulo Ribeiro, presidente da Junta de Freguesia, em entrevista exclusiva ao AUDIÊNCIA.

O primeiro dia desta festividade foi inaugurado com uma Noite de Fados, protagonizada pelos artistas campanhenses António Passos, Abel Silva, Amélia Queirós, Belmiro Dias, Conceição Tavares, Clara Perez, David Lota, Fernando Aníbal, José Fernandes Castro e Rosa Nunes, que foram acompanhados por Rui Beirão na guitarra, Diogo Rato na viola e Luís Lumini no baixo, que atraiu centenas de pessoas ao Auditório de Campanhã.

Já no dia 10, a animação começou às 10 horas, na Praça da Corujeira, com a abertura da Feira de Artesãos e do V Torneio de Xadrez, promovido pela Escola de Xadrez desta freguesia, com o apoio da AXP – Associação de Xadrez do Porto, que foi aberto à comunidade e contou com a participação de 40 pessoas. Durante a tarde, o presidente da Junta de Freguesia de Campanhã, procedeu à entrega de diplomas aos dez artesãos e três coletividades presentes na iniciativa, juntamente com Ana Gomes, vogal da autarquia. Seguidamente, aconteceram duas demonstrações de atividades desportivas e recreativas, mais especificamente do Bushido Dojo Clube de Karaté de Campanhã e do grupo de dança New Project. A noite encerrou com um grandioso espetáculo de variedade, que não deixou ninguém parado e que contou com a atuação dos Expresso 86, Paulo Costa, Ricardo, Russel e Tina Pax.

Assim, a 9ª edição da Gala de Artistas de Campanhã terminou no dia 11, com o XXVIII Festival Folclórico deste território, que foi organizado pelo Rancho Folclórico Danças e Cantares da Campanhã e contou com a participação de vários grupos convidados, oriundos de várias partes do país.

Ressaltando que este evento tem como principal objetivo “dar voz aos artistas e coletividades desta freguesia, como é o caso do Bushido Dojo Clube de Karaté de Campanhã, dos Escuteiros de Campanhã – Agrupamento 9 e da Associação Branco e Negro Vitória e Campanhã que estão cá connosco, a apoiar-nos nesta festa”, Paulo Ribeiro enalteceu que “esta iniciativa dá a conhecer o que é que Campanhã tem à população. Esta freguesia tem muito boas pessoas, muito bons artistas, muito boas escolas, como é o caso do xadrez, do karaté e da dança. Nós temos muitos jovens que estão fechados em casa, agarrados às novas tecnologias e este evento dá-lhes a conhecer o que existe na localidade e convida-os a experimentarem as mais diversas atividades. Por exemplo, posso dizer-lhe que tivemos muitos jovens que participaram, pela primeira vez, no Torneio de Xadrez e o facto de eles saírem de casa, divertirem-se e conviverem uns com os outros é muito importante para a sociedade. Isto é viver e renascer em Campanhã”.

Relativamente ao local que foi palco da maior parte das atividades, o edil revelou que “para nós, este é o pulmão da Freguesia de Campanhã e, em parceria com a Câmara Municipal do Porto, vamos renovar a nossa Praça da Corujeira, que vai ficar ainda mais bonita, com o objetivo de lhe darmos uma nova vida”.

Sorridente e a pensar na edição do próximo ano, o presidente da Junta de Freguesia de Campanhã assegurou que “enquanto eu cá estiver, esta festa será para continuar, pois dá a conhecer tudo o que temos de bom na nossa freguesia e, claro, contribui, também, para os orçamentos dos nossos artesãos e coletividades”.