A pouco menos de um mês das eleições autárquicas, o AUDIÊNCIA entrevista Rodrigo Reis, candidato do PAN à Câmara Municipal de Trofa, para entender quais as motivações e projetos que o partido tem caso vença as eleições. Sem rodeios, o candidato dá como prioridade tornar o concelho sustentável para as gerações futuras, com uma série de projetos ambientais e sociais que pretendem implementar.

 

 

Como surgiu o convite e porque decidiu candidatar-se a presidente da Câmara Municipal da Trofa?

O convite foi efetuado pela Comissão Política Concelhia do PAN Trofa e resolvi aceitar candidatar-me a Presidente da Câmara Municipal da Trofa pelo futuro dos Trofenses, porque é urgente melhorar a qualidade de vida no Concelho.

 

Quais são as principais motivações da sua candidatura?

A principal motivação da minha candidatura é conseguir que o concelho da Trofa cumpra com a maioria dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 proclamada pelas Nações Unidas. O PAN Trofa tudo fará para que o concelho da Trofa seja um concelho em que todas e todos possam viver com qualidade de vida sem pôr em causa as gerações futuras.

 

Como avalia o trabalho que o atual executivo tem realizado ao longo dos últimos anos?

O trabalho do atual executivo em algumas áreas foi bem conseguido, noutras ficou muito aquém das necessidades dos Trofenses. Reduzir a dívida do concelho foi importante, mas se fosse efetuada de uma forma mais equilibrada, hoje as/os trofenses teriam melhores condições de vida. A preocupação de reduzir a dívida ao máximo, acabou por estagnar o desenvolvimento sustentável do concelho. Infelizmente, em ano de eleições, este executivo tenta fazer todas as obras necessárias e não necessárias, para tentar dar uma imagem que o concelho está a evoluir. As obras devem surgir de forma natural e não feitas à pressa, muitas vezes com gastos muito mais elevados e com execuções deficientes, mas o que importa é ter obra à porta das eleições. Mas, os Trofenses sabem muito bem o que são obras de eleitoralismo.

 

Como vê a evolução do concelho da Trofa nestes últimos anos? O que teria feito de diferente?

O concelho da Trofa evoluiu essencialmente na freguesia de S. Martinho de Bougado, com a requalificação dos Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro e com a construção da Alameda da Estação, obras essas no centro da cidade, mas nas outras freguesias praticamente só foi melhorado o Parque Escolar. O que eu teria feito de diferente? Teria reduzido a dívida do concelho, mas de uma forma mais equilibrada, evitando a estagnação do desenvolvimento sustentável em algumas áreas. Investia numa rede de transportes municipal entre freguesias; dinamizava o comércio local, criando condições como áreas de lazer de proximidade e ruas pedonais; criava um parque de desportos radicais na freguesia de Covelas; construía uma piscina municipal de ar livre na União das Freguesias de Coronado; investia na habitação pública a preços acessíveis; construía um Centro Cultural com um auditório, biblioteca e espaço para exposições; melhorava a intervenção na identificação e esterilização dos animais errantes; criava um Centro de Recolha Oficial de Animais Licenciado e parques caninos em todas as freguesias. Criava também hortas comunitárias/urbanas, uma gestão de resíduos mais eficiente e justa e apostava na reabilitação ambiental do Rio Ave. Efetivamente, não investia 10 milhões de euros na construção dos Paços do Concelho, sem primeiro executar os projetos que referi anteriormente e que seriam bem mais necessários para todas e todos os Trofenses.

 

Se for eleito, o que anseia concretizar durante o seu primeiro mandato, em prol do desenvolvimento da população e do concelho?

Se for eleito, em primeiro lugar teria que analisar os dossiês e projetos em curso, porque existem compromissos assumidos que têm que ser cumpridos, como é o caso da construção dos Paços do Concelho e mediante a disponibilidade financeira (sem aumentar a dívida do município) concretizaria os projetos que elenquei anteriormente, essenciais para o desenvolvimento sustentável do concelho.

 

Em caso de vitória, pode mencionar alguns projetos que serão implementados nas áreas da educação, saúde, desporto, cultura, ação social e ambiente?

Como mencionei anteriormente, os projetos que pretendo implementar abrangem as mais diversas áreas passando pela educação, saúde, desporto, cultura, ação social e ambiente.

 

Que equipamentos/infraestruturas acredita que enriqueceriam e proporcionariam melhor qualidade de vida na Trofa?

Como já tinha referido, os equipamentos/infraestruturas que o PAN Trofa propõe para melhorar a qualidade de vida na Trofa são: uma rede de transportes municipal entre freguesias; um comércio local mais dinâmico e atrativo, associado a áreas de lazer de proximidade e ruas pedonais; um parque de desportos radicais na freguesia de Covelas; uma piscina municipal de ar livre na União das Freguesias de Coronado; habitação pública a preços acessíveis; um Centro Cultural com um auditório, biblioteca e espaço para exposições, para divulgar a cultura do concelho e os artistas trofenses e acolher outros eventos artísticos e culturais; mais e melhor intervenção na identificação e esterilização dos animais errantes; um Centro de Recolha Oficial de Animais Licenciado; parques caninos em todas as freguesias; hortas comunitárias/urbanas para que as pessoas possam cultivar os seus próprios alimentos e reduzir as suas despesas familiares, promovendo hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis, consciencializando os trofenses para a redução da pegada ecológica; uma gestão de resíduos mais eficiente e justa, com a implementação do sistema pay-as-you-throw, que consiste num incentivo para os cidadãos, por via financeira, a fim de promover a separação de resíduos na origem, aumentando as taxas de recolha seletiva; apostava na reabilitação ambiental do Rio Ave, desenvolvendo uma estratégia intermunicipal, através de um protocolo entre os municípios que direta ou indiretamente têm competências na zona hidrográfica do Ave e afluentes. Recuperava as azenhas e os açudes, procedia à identificação dos principais focos de poluição, recuperando as margens ribeirinhas e criando zonas protegidas, incentivando a participação cívica na proteção dos meios hídricos.

 

Relativamente ao projeto autárquico que lidera para este concelho, pode falar-nos sobre a equipa que o está a acompanhar ao longo deste desafio?

O PAN Trofa tem um conjunto de pessoas dinâmicas, de diferentes gerações, com espírito criativo e com formação em várias áreas de atuação, que apostam em projetos de desenvolvimento sustentável para o concelho, para que todas e todos os Trofenses possam encarar o futuro com qualidade de vida.

 

Que mensagem gostaria de deixar à população?

Não somos o partido que se preocupa só e apenas com os Animais como pretendem erradamente transmitir, somos o partido Pessoas-Animais-Natureza, que se preocupa com o bem-estar das Pessoas, dos Animais e também de todos os problemas que põe em causa a Natureza. O PAN Trofa, como alternativa, respeita todos os partidos de igual forma, mas não se revê em medidas populistas e irreais como o exemplo de dizer que se quer alargar a ponte da Lagoncinha, quando esta pertence ao concelho vizinho, mas iremos sem dúvida querer dialogar e criar uma estratégia conjunta com o município de Famalicão para dar resposta à problemática do excesso de trânsito. Gostaria de deixar a todas e todos os Trofenses uma palavra de esperança, na medida em que os projetos que nos propomos concretizar nos próximos 4 anos serão fundamentais para o desenvolvimento sustentável da Trofa, melhorando significativamente a qualidade de vida das Pessoas e dos Animais do nosso Concelho. Pelo Futuro, pel@s Trofenses!

 

Lista de Candidatura à Câmara Municipal da Trofa
1. Rodrigo Reis
2. Andreia Cereja
3. Carlos Silva
4. Sílvia Coutinho
5. Maria João Oliveira
6. Fernando Geração
7. Ana Machado
8. Carlos Coutinho
9. Marina Vila
10. Maria de Fátima Gomes

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com