No âmbito do Concurso da Francesinha do Jornal AUDIÊNCIA, visitamos o Café Vale, em Valongo, e provamos a estrela da casa: a francesinha. Gracinda Moreira é proprietária do espaço há cerca de trinta anos e garantiu que o sucesso da sua francesinha deve-se ao molho, que é da sua autoria.

 

Gracinda Moreira estava no seu supermercado quando o seu ex sócio perguntou “oh Gracinda, se vendesses o supermercado para onde ias?”. ” Olha, ia para o café vale”, respondeu ela, e foi assim que ambos acabaram por ir parar ao Café Vale, há cerca de trinta anos.

As francesinhas não foram, desde sempre, o sucesso da casa, mas há muitos anos que já o são. Este ex-libris da cozinha portuguesa tornou-se a estrela do Café Vale cerca de dois anos depois de Gracinda e o seu ex-sócio tomarem conta do estabelecimento, localizado no número um da Avenida 5 de Outubro, em Valongo. Gracinda não esconde que nessa altura, em que houve uma mudança na confeção da francesinha e, principalmente, no molho, houve um funcionário que foi muito importante e que a “ajudou a levantar a casa”, daí salientar a importância de uma boa equipa para o sucesso de uma casa.

“O segredo para uma boa francesinha é o molho”, garantiu a proprietária, sem papas na língua. O molho do Café Vale é da sua autoria e demorou algum tempo a ser aperfeiçoado, mas Gracinda garante que é isso que faz os seus clientes voltarem uma e outra vez. “É isso que eu vou ouvindo das pessoas. Umas são maiores, outras são mais recheadas, mas o destaque da nossa é o molho”, relatou.

“O meu molho vê-se que é caseiro. Não é nada agressivo, não tem nada artificial, é tudo natural”, disse Gracinda, afirmando que muitos clientes comem francesinhas noutros locais e sentem-se mal, e que comem a do Café Vale e adoram, não lhes faz mal. O molho é tradicional, e por isso os clientes não trocam a francesinha do Café Vale. “Tenho clientes fiéis. Aliás, tive clientes que agora quando estivemos fechados perguntavam se íamos demorar muito a abrir porque já sentiam falta de comer a francesinha”, contou Gracinda sobre a época do confinamento.

Prego em prato, cachorro, moelas com batata e bifanas são outros dos snacks da casa.

Esta é a primeira vez que o Café Vale entra no Concurso de Francesinhas do Jornal AUDIÊNCIA, mas Gracinda diz que a competição não a assusta nada, até porque já participou no Festival de Francesinhas de Valongo e acredita que a sua francesinha é boa o suficiente para participar em qualquer competição. A ideia ao participar é divulgar a francesinha, apesar de dizer que a ideia da viagem aos Açores também lhe agrada bastante.

Manuela Bulcão, júri do concurso, mencionou, tal como a proprietária, o molho como ponto alto desta francesinha, destacando o facto de ser bem caseiro e classificou-a como “uma potencial vencedora” por esse facto, já que o molho é um dos elementos principais de uma boa francesinha.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com