O Parque Molinológico do Rio Uíma vai nascer na União de Freguesias de Sandim, Olival, Lever e Crestuma, em Vila Nova de Gaia, mais precisamente, num terreno charneira, situado entre os dois percursos, que ladeiam o curso de água, pontuado por dois moinhos centenários, que, também, farão parte do projeto.

Segundo a Câmara Municipal de Gaia, “com uma estimativa orçamental a rondar os 145 mil euros, este que será um dos vários parques, que vão integrar o «Parque Natural do Rio Uíma», aguarda pareceres do Parque Biológico e da Águas de Gaia, seguindo-se o início do procedimento de contratação pública. Surge como um complemento ao projeto de «Reabilitação da Rede Hidrográfica do Rio Uíma», promovido pelo município de Gaia, no âmbito da candidatura «Apoio à transição climática – Reabilitação da Rede Hidrográfica – Eixo VII – REACT-EU FEDER (Compete 2020)»”.

Este projeto inclui áreas de percursos interpretativos e de contacto com a natureza, zonas de lazer e de estadia, com inspiração na envolvente agrícola do lugar. Dentro da área de recreio, destacam-se o parque de merendas, equipado com mesas e bancos; os passadiços-bancos, para estadia e lazer; a clareira relvada central, que será palco de atividades de lazer, sociais e culturais; e, ainda, toda a margem do rio, onde estarão camas de rede e uma plataforma circular, para contemplação, fruição e descanso. Por sua vez, perto do moinho em ruínas, pretende-se estimular o contacto seguro com a água, através da consolidação da margem da levada.

Assim, para a autarquia gaiense, o objetivo do Parque Molinológico do Rio Uíma passa por promover e recuperar os valores naturais e culturais, relacionados com os habitats ripícolas, ou seja, associados às margens das linhas de água.