O projeto ‘Sente a Camisola’, que apoia o desporto amador nas modalidades de futebol, futsal, basquetebol e andebol, na sua vertente feminina e masculina, recebeu mais de 800 candidaturas. Desses, 48 clubes foram selecionados para receber um conjunto de equipamentos principal e alternativo e uma bolsa de desenvolvimento desportivo. Da zona do Porto existem dez clubes contemplados.

 

Os ex-internacionais Nuno Gomes, Sofia Ramalho, Hugo Rocha e Arnaldo Pereira, embaixadores do projeto ‘Sente a Camisola’, anunciaram os 48 clubes amadores que irão receber um conjunto de equipamentos principal e alternativo, desenvolvidos de forma sustentável, bem como uma bolsa de desenvolvimento desportivo. Entre vencedores, e referente à zona do Porto, estão: o Leixões Sport Clube, o Clube Futebol de Oliveira do Douro, o Barranha Sport Clube, o Futebol Clube Estrelas Susanenses, a União Académica António Aroso, o Juvemaia, o Clube Desportivo e Cultural Juventude Pacense, o Andebol Clube de Vermoim, o Gondomar Cultural e o Padroense Futebol Clube.

O ‘Sente a Camisola’ recebeu mais de 800 candidaturas entre julho e agosto no seu site e a entrega dos equipamentos ás equipas vencedoras deve acontecer nos próximos meses.

O projeto segue o mesmo intuito do ‘Futebol Bonito 2020’ mas eleva a fasquia, uma vez que apoia equipas femininas e masculinas de quatro modalidades diferentes: o futebol, o andebol, o basquetebol e o futsal.  O anúncio dos vencedores aconteceu no Complexo Desportivo do União Desportiva Recreativa Santa Maria, clube que tinha recebido equipamentos e bolsas de apoio do Betclic Futebol Bonito 2020, e que conseguiu até subir de divisão.

Os embaixadores são unânimes ao afirmar que estas iniciativas são cada vez mais essenciais para que o desporto amador, um dos pilares do desporto nacional, possa sobreviver ao panorama atual trazido pela pandemia. Nuno Gomes afirmou que “as dificuldades que conheço do futebol amador fazem-me acreditar, ainda mais, num projeto tão saudável como sustentável como é o ‘Sente a Camisola’. Necessitamos de acreditar mais nas bases do futebol e estes clubes representam-nas”. Já o antigo jogador Arnaldo Pereira disse que “o futsal é um desporto em que o investimento tem crescido, mas é nos clubes de topo, que muitas vezes têm jogadores que nasceram em clubes amadores que neste momento estão em risco de fechar”. Sofia Ramalho, antiga internacional de basquetebol, confirmou que “vejo muitas equipas que estão a passar por maus lençóis devido à pandemia”. Para Hugo Rocha, estrela do mundo do andebol, este “é um desporto que ainda é muito deixado de parte e é bom ver que nos reconhecem como uma das principais modalidades a nível nacional. Esta iniciativa vem dar uma luz aos clubes que nunca se sentiram apoiados”

Miguel Domingues, diretor de comunicação da Betclic afirmou ainda que “o sucesso do ano passado com o Futebol Bonito 2020 fez com que considerássemos que o leque de apoio deveria ser aberto a outras modalidades. O panorama geral do desporto amador continua a não ser favorável para um desenvolvimento saudável e sustentado na captação de novos talentos. Víamos muitos clubes a fecharem devido à falta de recursos físicos e monetários e isto é algo ao qual a Betclic não é indiferente. Continuaremos a prezar pelo bem-estar do desporto nacional, seja ele profissional ou, mais importante, a nível amador”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com