No início do seu terceiro e último mandato, Luís Paulo, presidente da União de Freguesias de Bougado (São Martinho e Santiago), não escondeu a ânsia de ver materializadas inúmeras obras materiais e imateriais que, a seu ver, revolucionarão a terra do seu coração e proporcionarão melhor qualidade de vida às suas gentes. Honrado pelo trabalho e pelas funções que tem desempenhado na Junta de Freguesia, o autarca manifestou a sua vontade de ajudar os que o rodeiam e de contribuir para o desenvolvimento da localidade, sublinhando que as pessoas são a sua prioridade e o objetivo é envolver a população, engradecendo e dinamizando a União de Freguesias de Bougado.

 

 

 

Qual é a história do seu percurso no mundo da política, nomeadamente desde que tomou posse, como presidente de Junta?

É, para mim, uma responsabilidade e um orgulho enorme ser presidente da Junta de Freguesia de Bougado. Como já referi em muitas ocasiões, gosto muito do que faço, do enorme leque de responsabilidades e oportunidades que esta função confere, do contacto diário com as pessoas e do contacto de proximidade com as instituições. O tempo novo começou em 2013. Há 8 anos chegamos, trabalhamos e ganhamos a confiança da população, respeito, solidariedade, credibilidade, mas, acima de tudo, responsabilidade de fazer mais e melhor. E, hoje, a nossa cidade é um lugar bem melhor, muito melhor e é nosso compromisso, continuar a trabalhar em prol da freguesia, dando especial atenção à juventude e aos mais carenciados. Estou motivado para continuar este caminho, com seriedade e dedicação à terra que é minha e que tenho no coração.

 

Se tivesse de escolher um momento mais marcante da sua vida autárquica, qual seria e porquê?

Respondendo à sua questão, naturalmente que fizemos diversas obras de relevo, mas a que mais me marcou e quero destacar, pela sua importância e relevância para a população, foi o ter conseguido desbloquear, com o contributo inestimável da família Cruz, que aproveito para agradecer e que fez a doação à freguesia de cerca de 1500 metros quadrados de terreno, que juntamente com aquisição de uma parcela de 500 metros quadrados à Paróquia de Santiago, nos permitiu resolver um problema de muitos e muitos anos e concretizar o grande anseio de todos os bougadenses de Santiago, que foi a construção da nova Casa Mortuária, inaugurada em 2019. Esta nova Casa Mortuária, obra emblemática deste executivo de Junta, reafirma Bougado no novo milénio, onde a grandiosidade da obra, reposiciona os padrões de valor e qualidade que as gentes de Bougado merecem.

 

O que mudou na União de Freguesias de Bougado desde a sua chegada?

Quero, antes de tudo, dizer-lhe que houve uma mudança de mentalidades, relativamente ao que é o nosso dever de estar ao serviço da população. E, de entre as várias tarefas que levamos a cabo, deixa-me orgulhoso o termos credibilizado esta instituição e o de pagarmos todas as nossas contas num prazo máximo de oito dias. Temos, também, vindo a cumprir aquele que é o nosso desígnio, de continuarmos atentos às necessárias de intervenções, que surgem no dia a dia e que, dentro das nossas possibilidades, procuramos responder com a maior celeridade e eficácia. Sublinhamos o esforço financeiro, continuo, que esta autarquia dedica à manutenção e limpeza das ruas da cidade e dos jardins bem cuidados e bonitos.

 

Na sua opinião, quais são as grandes valências deste território?

A Freguesia de Bougado, que engloba a totalidade da cidade da Trofa, insere-se numa dinâmica metropolitana, assente na ligação entre diferentes núcleos urbanos. A existência de infraestruturas rodo e ferroviárias, que permitam o estabelecimento de ligações intra e extra freguesia de Bougado, como sejam as ligações predominantes: Porto-Trofa, Trofa-Santo Tirso, Trofa-Vila do Conde, Trofa-Braga, são estruturantes e conferem, à cidade da Trofa, um posicionamento atrativo e estratégico na região, o que procuramos, dentro das nossas competências e capacidades, ajudar a construir. Mas, a maior riqueza da nossa freguesia, são as suas gentes que, com o seu espírito de empreendedorismo, fazem desta terra, uma referência regional e até nacional, que se traduz nas suas diferentes realidades, que se complementam, quer seja na forte componente agrícola, quer seja num tecido empresarial robusto e, ainda, na componente de comércio e serviços. Esta é, portanto, uma terra distinta e multifuncional, que caminha no sentido e na direção de constituir uma cidade de futuro, onde as diferenças naturais se fundirão, progressivamente, dando harmonia e um colorido de conjugar as atuais singularidades, que nos distinguem. Queremos, com todos, palmilhar este caminho de futuro, de esperança e de certeza.

 

Que obras materiais e imateriais concluiu durante o seu desempenho de funções? Quais ainda sonha conquistar para a freguesia?

Estamos conscientes de que o estado das nossas ruas é a primeira imagem recolhida por quem chega aqui, mas constitui, também, a primeira condição, para os nossos residentes se sentirem satisfeitos, no local que escolheram para morar. Não posso esquecer a Feira Anual da Trofa, um evento organizado há mais de 70 anos, pela Junta de Freguesia. Uma nova reorganização do espaço, efetuada em 2016 (passagem dos animais para o exterior), que permitiu a criação de um novo espaço para exposição e restauração, tendo contribuído para a melhoria do maior evento do concelho. Como, por exemplo a animação noturna, com vários espetáculos musicais, que atraem o público jovem. Acrescento que, com a aquisição, em 2019, por parte desta Junta, de um espaço de cerca de 24 mil metros quadrados, demos, no ano de 2020, um verdadeiro passo de gigante, com a implantação de um picadeiro e manga de pista, definitivos neste novo terreno. Temos a plena consciência de que o espaço público tem de ser encarado com grande seriedade, nos dias de hoje, sobretudo, numa cidade jovem como a Trofa e, por isso, vamos, neste mandato, concretizar o Centro Equestre de Bougado. Apesar de já termos lançado o concurso público, em meados deste ano, este ficou deserto, ou seja, nenhuma empresa concorreu, para fazer a obra, atendendo aos elevados preços de mercado atuais. Assim, iremos proceder à revisão do valor base da obra e relançaremos o concurso, muito em breve. Esta obra, que conta com a colaboração do município da Trofa, quando concluída, permitirá, com o envolvimento da juventude, da sociedade civil e dos seniores, que ali se desenvolvam um conjunto de atividades e funcionalidades diversas como a escola de equitação, provas equestres, estágios, hipoterapia, e organização de eventos. Também, ampliamos a Casa Mortuária de São Martinho e a modernizamos o Cemitério de São Martinho de Bougado, com o aumento da sua capacidade e eficiência ecológica. Está em curso, e vamos concluir, entretanto, a obra do novo Parque de Lantemil, em que parte dos materiais usados, nesta obra, são reaproveitamentos, por exemplo, toda a pedra ali usada, veio do antigo Parque de Nossa Senhora das Dores e temos a convicção de que a requalificação desta área de cerca de 4 mil metros quadrados, vai melhorar, em muito, a qualidade de vida de todos os bougadenses, nomeadamente, os das aldeias de Lantemil e Trofa velha.

 

Complete a frase: Um dia que abandone as funções de presidente da União de Freguesias de Bougado sairia feliz se…

Conseguir deixar uma cidade da Trofa ainda mais bonita, com mais e melhores equipamentos e onde todos os bougadenses se sintam bem, gostem de viver e se sintam felizes e que aqueles que me sucederem deem continuidade ao trabalho que temos vindo a realizar.

 

Qual é a mensagem que gostaria de deixar à população?

Para finalizar, e neste espaço de tempo de autarca desta que é a maior freguesia, em termos de área e de população, e sendo a Trofa uma cidade heterogénea, urbana e rural, que congrega classes sociais de várias naturezas económicas e de culturas diferenciadas, o que proporciona o equilíbrio e o enriquecimento sociocultural da freguesia subsiste, pontualmente, alguma cultura de critica destrutiva. O meu apelo é que os aspetos negativos sejam convertidos em forças positivas e de entreajuda. Estou certo de que esta forma de estar na política, permitiria que todos nós estivéssemos e nos sentíssemos melhores. Seguramente, que se trata de uma obra fácil de ser feita, pois está ao alcance de todos os cidadãos, assim seja essa a vontade de cada um. Juntos, temos vindo a construir um caminho mais sólido e firme, para continuarmos a fazer, não só diferente, mas melhor, porque as pessoas devem estar sempre, e para nós estão, no centro da atenção de quem envereda pela vida pública.