Temporada após temporada e regata após regata, num historial que começou na adolescência, o velejador nortenho Serafim Gonçalves, há cerca de duas décadas ininterruptas a envergar as cores do Clube Naval Povoense (Póvoa de Varzim), não deixa de surpreender pela positiva, pese embora a sua já longa carreira desportiva, bem próxima do meio século de atividadeCom efeito, entre o fim de ciclo da categoria “Masters”, delimitada entre os 45 e os 55 anos de idade, e o inicio do patamar seguinte (“gran masters”) as mais recentes competições do “laserista” nascido para a vela no Sport Clube do Porto (tem a sede em Leça da Palmeira), foram francamente animadoras, tendo em atenção o seu estado de espírito de desportista indomável e perseverante. No primeiro dos eventos em que esteve envolvido, o Euromasters Calella Palafrugele, em Girona (Comunidade da Catalunha), organizado pelo clube local, este evento funcionou já como uma forma de despedida da categoria “Masters” e o encarar do novo desafio competitivo que o escalão de “Gran Masters” lhe colocava a partir de então.

Num universo participativo de velejadores que já tinham sido campeões, europeus, mundiais ou olímpicos, Serafim Gonçalves mostrou-se satisfeito com o 10º lugar da geral que traduz a “sua melhor classificação de sempre” entre velejadores dos 16 países representados no evento, como razão da grande motivação que sente perante o novo desafio que o calendário lhe coloca a partir de agora.

Classificação final dos “Gran Masters”: – 1º Javier Echavarri (Espanha), 7 pontos; 2º José Maria van der Ploeg (Espanha), 20; 3º Javier Muñoz (Espanha), 26; 10º Serafim Gonçalves (Naval Povoense), 48.