Sérgio Humberto recebeu a confiança dos trofenses e, no passado dia 26 de setembro, foi reeleito presidente da Câmara Municipal da Trofa, pela coligação PSD/CDS-PP, “Unidos pela Trofa”, com 56,47% dos votos. Na luta pelas Assembleias de Freguesia, a coligação assegurou quatro das cinco freguesias que constituem o concelho e realizou um feito histórico em Covelas, com a eleição da primeira mulher para o cargo de presidente de uma Junta trofense. A presidência da Assembleia Municipal vai continuar nas mãos de Isabel Cruz, no seguimento do triunfo da coligação “Unidos pela Trofa”, com 51,95% dos sufrágios.

 

 

Se o PSD foi o partido derrotado a nível nacional, nestas eleições autárquicas, a Trofa foi um dos concelhos nos quais isso não se notou. Pelo contrário, Sérgio Humberto, candidato da coligação PSD/CDS-PP, “Unidos pela Trofa”, conseguiu manter a autarquia por mais quatro anos, com 56,47% dos votos, assegurando os cinco mandatos conquistados em 2017. Desta forma, o autarca conseguiu mais 24,24% dos votos do seu opositor, Amadeu Dias, do Partido Socialista (PS), que conseguiu 32,23% dos sufrágios, garantindo dois mandatos. Por outro lado, o PAN, o Chega, que participou, pela primeira vez, nesta corrida, e o PCP-PEV, que tem vindo a contar com a perda acentuada de votos, não elegeram qualquer representante.

Esta maioria da coligação liderada por Sérgio Humberto foi, também, notória na Assembleia Municipal, através da reeleição de Isabel Cruz, que assegurou, assim, 51,95% dos votos, e conquistou 13 dos 21 mandatos disponíveis, tendo sido os oito restantes entregues aos socialistas. O PAN, PCP-PEV e Chega não elegeram qualquer representante.

Na luta pelas Assembleias de Freguesia, os social-democratas também mereceram a confiança dos cidadãos, tendo assegurado, tal como em 2017, quatro das cinco freguesias que constituem o concelho. Na União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões, o PSD/CDS-PP conquistou 60,38% dos votos, mais 28,49% do que os socialistas, que reuniram 31,89%, o que conduziu à reeleição de Lino Maia. Na União de Freguesias de Bougado (São Martinho e Santiago), a coligação “Unidos pela Trofa” conquistou 59,10%, face aos 27,83% conseguidos pelo PS, pelo que Luís Paulo também será reeleito. Por outro lado, a União de Freguesias do Coronado (São Romão e São Mamede) vai continuar nas mãos do socialista José Ferreira, que reuniu 58,91% dos sufrágios, ao passo que os social-democratas tiveram 30,81%. A social-democrata Alexandra Ferreira fez história no município da Trofa, mais especificamente em Covelas, uma vez que foi a primeira mulher a ganhar a confiança dos trofenses e a tornar-se presidente de Junta, ao garantir 51,94% dos votos, ao passo que o PS teve 41,41%. Já na Freguesia do Muro, a coligação “Unidos pela Trofa” conseguiu não só manter, como aumentar em 10,30% o número de votos, comparativamente com 2017, reelegendo José Fernando, ao assegurar a maioria absoluta com 66,92% de sufrágios e uma vantagem de 40,95% em relação ao PS, que alcançou 25,97% dos votos. Portanto, no total, para as Assembleias de Freguesia, a coligação “Unidos pela Trofa”, encabeçada por Sérgio Humberto, elegeu 31 membros e o PS 22. O PCP-PEV, o Chega e o PAN, que apenas de candidatou à União de Freguesias de Bougado (São Martinho e Santiago), não elegeram qualquer representante.

Sérgio Humberto dará, assim, início àquele que é o seu último mandato à frente dos destinos da Trofa, com a vontade de continuar a colocar as pessoas na linha da frente das suas políticas e prioridades, sem esquecer algumas obras, como é o caso da edificação dos Paços do Concelho, reconstrução da Ponte Pênsil e alargamento do Parque das Azenhas, que anseia ver concretizadas.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com