blank

SÍMBOLOS DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE FORAM RECEBIDOS EM GAIA

A Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani chegaram a Vila Nova de Gaia, na manhã do dia 2 de outubro. Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude, que em 2023 terá lugar em Lisboa, chegaram de barco à Freguesia de São Pedro da Afurada e foram recebidos com entusiasmo por dezenas de pessoas. Nessa mesma tarde, os ícones religiosos foram transportados pelos Sapadores Bombeiros de Gaia pela Avenida da República, tendo a cerimónia terminado no Santuário do Monte da Virgem, com a celebração de uma eucaristia conduzida por Dom Manuel Linda, Bispo do Porto.

 

 

 

A peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude chegou a Vila Nova de Gaia, mais precisamente à freguesia de São Pedro da Afurada, no dia 2 de outubro. Os ícones religiosos, que consistem na Cruz peregrina e no ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, partiram, nessa manhã, da Sé do Porto e atravessaram o rio, de barco, até à vila piscatória gaiense, acompanhados por Dom Manuel Linda, Bispo da Diocese do Porto, Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Elísio Pinto, vereador da mesma autarquia, e Paulo Lopes, presidente da União de Freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada. Dezenas de pessoas, incluindo outros vereadores da Câmara de Gaia, Albino Almeida, presidente da Assembleia Municipal gaiense, Maria José Gamboa, presidente da Junta de Freguesia de Canidelo, entre outros representantes de entidades civis e militares, também marcaram presença, assim como a Fanfarra da Associação Recreativa de Canidelo, que abrilhantou o momento da receção dos símbolos na Afurada.

Chegados ao cais, os símbolos foram transportados pelos Sapadores Bombeiros e pelos funcionários da Junta de Freguesia até ao local onde, depois, Dom Manuel Linda fez uma bênção às embarcações e aos pescadores.

“Os símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude, esta Cruz e este ícone de Nossa Senhora, chegaram ontem à Sé da Diocese, não chegaram a nenhuma cidade em particular, chegaram à Sé. Hoje começam o seu percurso de 31 dias, deste mês de outubro, e começam precisamente por São Pedro da Afurada e neste concelho de Vila Nova de Gaia. É simpático que seja aqui, lugar que sabe tão bem, como talvez poucas outras freguesias ou uniões de freguesias, conciliar tradição com modernidade, abertura de espírito e de corações com este sentido da boa vizinhança e da familiaridade”, referiu o Bispo do Porto, que lembrou o ano em que visitou as Festas de São Pedro da Afurada e onde garante que viu os fiéis tratar “São Pedro como se fosse um membro da família”.

Dom Manuel Linda ainda pediu para que esta primeira paragem da peregrinação dos símbolos fosse o mote, para que outras freguesias os recebessem na mesma lógica de abertura de espírito, sabendo “incluir a dimensão religiosa como um dos âmbitos, também, estruturante da nossa vida”. O Bispo salientou, por fim, a mensagem dos símbolos: “primeiro, é que o Senhor tem os braços abertos para nós, segundo, não estamos sós, temos uma Mãe. Que seja este Senhor de braços abertos e esta Mãe carinhosa que acompanhem os símbolos e acompanhem as pessoas de Gaia e, mais concretamente, de São Pedro da Afurada”.

Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, definiu o momento como marcante, no entanto, referiu que o facto do município ter sido o primeiro a receber os símbolos, não foi, de todo, o mais importante. “A questão de sermos o primeiro foi uma feliz coincidência, o nosso objetivo era mesmo participar e ajudar a dignificar, com o nosso empenho, este momento que prepara um tempo tão importante que vamos ter em 2023, portanto, envolver a nossa juventude e envolver as nossas paróquias”.

Por sua vez, Paulo Lopes, presidente da União de Freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada, destacou a adesão dos moradores da vila piscatória ao momento, deixando claro que “estamos numa terra em que as pessoas são muito devotas, crentes e apreciam muito a vinda, neste caso, da mais alta entidade, naquilo que diz respeito à Diocese do Porto”.

Relativamente à bênção feita aos pescadores e às embarcações, o autarca lembrou a sua importância para aqueles que, “no mar, dão tudo, têm uma vida árdua, para que, obviamente, possamos ter uma das peças fundamentais na alimentação, que é o peixe”.

Durante o período da tarde aconteceu, ainda, a bênção aos motards e os símbolos foram, depois, transportados pelos Sapadores Bombeiros de Gaia pela Avenida da República, tendo a procissão feito uma breve paragem no edifício dos Paços do Concelho. O cortejo seguiu, posteriormente, até ao Santuário do Monte da Virgem, onde muitos jovens aguardavam. As cerimónias terminaram com a celebração de uma eucaristia, neste local, conduzida pelo Bispo do Porto.