Foram admitidos ao concurso público internacional de conceção- construção da futura ponte D. António Francisco dos Santos sete candidatos. O concurso passa agora por uma fase de análise do júri. A nova ponte sobre o rio Douro ligará Vila Nova de Gaia, na zona de Quebrantões, à marginal ribeirinha do Porto, terá uma extensão de cerca de 625 metros e o seu tabuleiro terá duas faixas de rodagem, com duas vias de circulação cada, um separador central, passeios e ciclovias unidirecionais de ambos os lados.

 

 

Há sete candidatos admitidos ao concurso público internacional de conceção- construção da futura ponte D. António Francisco dos Santos. Segue-se, agora, a respetiva análise do júri, a fim de selecionar os candidatos que cumpram os requisitos técnicos e financeiros estabelecidos.

A empreitada de conceção-construção da nova Ponte, lançada a 25 de junho, pelos Municípios de Gaia e do Porto, consiste num Concurso Limitado por Prévia Qualificação, cuja primeira fase do procedimento visa a qualificação dos candidatos. Depois, os candidatos qualificados serão convidados a apresentar propostas num prazo de sete meses. Nessas propostas deve estar incluído um estudo prévio da solução global da ponte que se propõem executar, cumprindo com os requisitos técnicos e outros impostos nas peças de concurso.

O concurso termina com a adjudicação ao concorrente vencedor e, aí, inicia-se a fase de execução contratual, composta por dois momentos: a execução de estudos e projetos, durante os primeiros 12 meses, e a execução da empreitada nos 24 meses seguintes, prevendo-se assim a conclusão da ponte para o segundo semestre de 2025.

A nova ponte sobre o rio Douro será construída a montante da ponte de São João e a jusante da ponte do Freixo, ligando Vila Nova de Gaia, na zona de Quebrantões, à marginal ribeirinha do Porto. A ponte D. António Francisco dos Santos, em homenagem ao falecido Bispo da Diocese do Porto, terá uma extensão de cerca de 625 metros. O seu tabuleiro terá duas faixas de rodagem, com duas vias de circulação cada, um separador central, passeios e ciclovias unidirecionais de ambos os lados.

Em termos de ligações à nova travessia, em Vila Nova de Gaia, o acesso será realizado através da construção de uma rotunda e de um novo arruamento com aproximadamente 590 metros de extensão, que por sua vez ligará à rotunda Gil Eanes. Esse novo arruamento será composto por duas faixas de rodagem, com duas vias de circulação cada, separador central, passeios, ciclovias e estacionamentos. Também a rotunda Gil Eanes sofrerá uma intervenção, para a inclusão de uma ciclovia em todo o seu perímetro. Já no Porto, prevê-se a construção de uma rotunda sobrelevada à atual avenida Paiva Couceiro, interligada a esta através de dois ramos de ligação em viaduto.

O preço base do concurso de conceção-construção é de 38,5 milhões de euros e determina um prazo máximo de execução de 1150 dias. O custo da obra será totalmente assumido pelos dois municípios.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com