Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande

blank“Se fosse um tempo normal estaríamos por esta altura no nosso Teatro Ribeiragrandense, com pompa e circunstância, mas quis o destino que hoje estivéssemos aqui, também, com uma bonita vista no Hotel Verde Mar a fazer este momento, que não deixa de ser revelante para a cidade da Ribeira Grande. Permitam-me, aqui, fazer um reparo, em primeiro lugar ao Joaquim Ferreira Leite, ao Jornal AUDIÊNCIA, da sua importância para a cidade da Ribeira Grande, o único jornal em circulação, neste momento, no nosso concelho e daí fazer um apelo, também, porque a comunicação social, nomeadamente a comunicação social privada, cada vez mais é fundamental para que a mensagem chegue e, como diz muitas vezes o Ferreira Leite, “dar voz a quem não tem” e aqui também um apelo às nossas associações aqui presentes, porque é através deste jornal que muitas vezes fazem os seus alertas, os seus reparos, acerca das vossas atividades que é tão importante as pessoas conhecerem. Uma segunda nota, dar também os parabéns, obviamente, ao jornal por conseguir esta ligação entre a cidade da Ribeira Grande e o Norte do país. Não é a primeira vez que vemos caras conhecidas. Ainda hoje recebemos uma comitiva da Câmara Municipal da Trofa. Temos, aqui, também, autarcas reconhecidos do Norte do país e esta é uma maneira de nós abrirmos as portas àqueles que nos visitam, mas, acima de tudo, abrir as portas quer ao nível associativo, ao associativismo, da parte cultural, mas também da parte económica e daí, também, fazer esse reparo ao Joaquim Ferreira Leite, porque esta é mais uma oportunidade que nós temos de estabelecer ligações quer ao nível social, cultural e até económico. E por fim, para terminar, eu gostaria de felicitar os homenageados e foi feita, pela primeira vez, uma revista associada a este evento, que eu acho que foi de bom tom e, de certa forma, ajuda a perpetuar aquilo que foi a vossa atividade ao longo, principalmente, do último ano, o vosso reconhecimento e em nome da Câmara Municipal quero felicitar-vos por este momento”.

 

Eduardo Ferreira, Troféu Personalidade do Ano 2020

blank“Muito obrigado ao Jornal AUDIÊNCIA e ao senhor Joaquim. Agora fiquei sem palavras, sinceramente fiquei sem palavras. Eu dedico este Troféu à minha família e não só, também aos meus funcionários, porque para termos sucesso hoje em dia, nós temos de ter bons trabalhadores e se um patrão não tiver bons trabalhadores, não consegue nada. O rum vai ficar na história dos Açores, com potencial exportador. Nós vamos marcar os Açores como um potencial produtor de rum e não só rum, como dos seus derivados, como o mel de cana. Aos nossos políticos falta, por vezes, algum know-how. A cana de açúcar tem um potencial que às vezes as pessoas não percebem. Não é só produzir rum, nem é só produzir mel de cana, é a ajuda ao lavrador, porque 30% da cana de açúcar é um alimento rico para a lavoura, aliás o bagaço da cana é um dos produtos mais naturais de existe. Para criar rações é o melhor que há, para aves. Para as vacas é melhor do que as rações, porque toda a gente que usa o bagaço da cana como suplemento para as sua vacas estas produzem automaticamente leite com um teor de gordura muito superior e rende muito mais dinheiro. A cana tem um potencial enorme. Eu não descobri a cana. Na Ribeira Grande já se produz cana de açúcar em 1974 e atualmente estamos já com quase mil toneladas de cana e para o ano, se Deus quiser, e se o nosso Governo permitir. Se nós quisermos ultrapassar a Madeira é na produção de cana de açúcar e eu vou transformar os Açores como um potenciar produtor de rum. Apesar da pandemia, o balão de oxigénio que nos susteve foi a exportação de rum. Este ano tínhamos programado 50 contentores de exportação. Eu peço que os nossos agricultores tenham os mesmos direitos que as outras zonas ultraperiféricas têm. Eu não quero nada para mim, eu quero que os meus agricultores produzam rum, sintam-se bem e pelo menos tenham uma vida digna e aí estão os políticos, dar mãos cheias de nada não interessa nada. Blá blá blá não interessa nada. Era só isso que eu queria dizer. Obrigado”.

 

João Paulo Correia, Troféu Excelência

blank“Agradecer esta distinção e este reconhecimento. A política, independentemente das funções que desempenhamos, seja a nível mais local, seja num patamar de responsabilidades nacional, deve ser exercida com lisura, com muita dedicação, com rigor nos nossos compromissos e, sobretudo, com proximidade, fazendo uma politica próxima das pessoas. A política só faz sentido se for feita pelas e para as pessoas. Gostaria de agradecer muito a hospitalidade dos Açores e da Ribeira Grande. Quando recebo um convite para me juntar a esta Gala do Jornal AUDIÊNCIA, recebo esse convite sempre com enorme satisfação, porque, independentemente de estar aqui a ser distinguido ou reconhecido, acima de tudo é um bom pretexto para me deslocar mais uma vez aos Açores, uma terra que passei a adorar e sou certamente, juntamente com os continentais que aqui se encontram, um dos embaixadores dos Açores no continente e no mundo. Agradecer essa hospitalidade, na pessoa do senhor presidente da Câmara e também de todos os autarcas dos Açores que se encontram aqui presentes. Esta Gala está a realizar-se num momento muito singular da vida da humanidade. A pandemia está a afetar o mundo e a humanidade. Aliás esta é uma prova da sobrevivência da própria humanidade. Nós estamos todos a ser postos à prova, não só os empresários, não só as famílias, o ser humano está a ser testado, está a ser posto à prova, os políticos estão a ser postos à prova. Muitos políticos não conseguiram ultrapassar os desafios da pandemia, a pandemia trouxe novos e exigentes desafios e todos temos que olhar para esta pandemia, também, com o sentido de oportunidade. Nós estamos a fazer uma transição de era. Já estudamos a era glaciar, a idade da pedra, a idade do ferro e estamos a transitar para uma era, que é a era biológica. Não sabemos durante quanto tempo mais esta pandemia vai afetar o mundo. Não sabemos se esta é a primeira e a última pandemia. Sabemos que esta pandemia trouxe alterações, poucas e muito significativas à nossa vida, e todos tiramos ensinamentos desta pandemia. E um dos ensinamentos que tirei ouvi há pouco no texto que a Paula Sá leu, é que esta pandemia trouxe, pelo menos para mim, o sentido mais humano de tudo. Eu olho para tudo e sinto que devo imprimir no meu dia a dia e nas minhas decisões, sejam elas decisões de circunstância, sejam decisões de futuro, muito mais humanístico. Eu acho que a vontade de estarmos mais uns com os outros, a vontade de apreciar a natureza, a vontade de um mundo melhor, do futuro da humanidade com ligações mais fortes à natureza e ao ser humano acho que veio tomar conta, pelo menos da minha vida e certamente pelo que ouvi e tenho ouvido ao longo destes últimos tempos, da vida de muitos de nós e isto também se pode revelar naquilo que é o trabalho de uma associação, o trabalho de uma empresa, o trabalho de um artista, de um jornalista, de um autarca, de um político. Nós conseguimos dar mais relevância às nossas vidas e às nossas decisões com mais humanismo. Era esta a mensagem que vos queria deixar, dizendo que é com muita honra, muito orgulho e muita alegria que recebo esta distinção e o reconhecimento do Jornal AUDIÊNCIA, fazendo votos que o Ferreira Leite e a sua equipa, também queria deixar este reconhecimento alargado à sua equipa, consigam continuar a resistir, porque a imprensa local foi sempre o parente pobre da imprensa, nós autarcas sabemos disso. Resistir em tempos normais, para um jornal local é difícil, é muito difícil. Um jornal local resistir em tempos de pandemia ainda mais difícil se torna. Resistiu, nós estamos aqui, aliás a nossa presença, também, de cada um de nós, trouxe aqui o seu reconhecimento. Nós viemos cá também para deixar o nosso reconhecimento ao Jornal AUDIÊNCIA e uma palavra também de coragem e de esperança para que consiga continuar a vencer as dificuldades porque para o ano todos acreditamos que vamos estar aqui já num formato normal e que cada um de nós se possa multiplicar”.

 

Carlos Anselmo, Troféu Prestígio 2020

blank“Gostaria, em primeiro lugar, de agradecer ao Jornal AUDIÊNCIA a distinção com este Troféu, representa o trabalho que tenho feito pela sociedade e comunidade em que estou inserido. Gostaria de falar sobretudo de em particular de há mais de 30 anos ter tido o privilégio de trabalhar nas diversas instituições do concelho da Ribeira Grande. Deixar aqui uma palavra também à família, pela importância nestas andanças, nas atividades associativas, desportivas e políticas, uma palavra também à família, tem sido de facto um suporte fundamental para que consigamos no dia-a-dia desenvolver a nossa atividade em prol da sociedade. Uma palavra final ao Jornal AUDIÊNCIA, pela distinção com este Troféu. O Jornal AUDIÊNCIA tem conseguido contribuir, aqui, no concelho da Ribeira Grande para que o jornalismo seja muito mais efetivo, mais próximo e gostaria de realçar o facto do Jornal AUDIÊNCIA conseguir no concelho da Ribeira Grande transmitir a informação das freguesias do concelho, desde a Lomba de São Pedro a Calhetas, uma informação que passa com unanimidade por todo o concelho e aí estamos muito mais próximos da realidade das outras freguesias do concelho e daí deixar uma palavra de agradecimento ao Joaquim Ferreira Leite por dar a conhecer o que se passa no concelho da Ribeira Grande e por desenvolve um jornalismo de qualidade. Muito obrigada”.

 

José Manuel Bolieiro, Troféu Autonomia 2020

José Manuel Bolieiro foi representado por Hermano Aguiar, assessor

blank“Eu desejaria, em nome do senhor presidente do Governo de agradecer à equipa do Jornal AUDIÊNCIA, dirigido pelo senhor Joaquim Ferreira Leite, pelo Troféu Autonomia atribuído ao doutor José Manuel Bolieiro. Gostaria de dar os parabéns a todos os galardoados do outro lado do mar e aos de cá, nas diversas categorias, em nome individual e das instituições que cada um de vós representa. Estamos em crer que a realização destas Galas de atribuição de Troféus AUDIÊNCIA foi o molde encontrado entre os responsáveis do Jornal de destacar a dedicação, empenho das mais distintas personalidades e instituições, em prol do desenvolvimento do comércio das suas localidades. Quero realçar o contributo que um órgão de comunicação social está a dar na informação e formação da sociedade em que está inserido através da reportagem, da troca de ideias e do debate sobre o bem comum. O destaque que aqui é dado pelo Jornal AUDIÊNCIA ao atribuir os Troféus nas diversas categorias às distintas personalidades e instituições tem um traço comum, permitam-me os senhores galardoados oriundos de Portugal continental dirigir-me agora aos açorianos, se verificarmos todos eles têm uma ligação muito forte ao concelho da Ribeira Grande. Queria realçar esta afinidade que existe com o concelho da Ribeira Grande e sobre essa afinidade eu gostaria e peço licença aos presentes, se me permitem esta oportunidade, dizer umas palavras de apreço pelo desempenho que Alexandre Gaudêncio tem tido enquanto presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, líder de um projeto, à frente de uma maravilhosa equipa, ao longo dos últimos oito anos. O espírito empreendedor e inovador e a vontade de Alexandre Gaudêncio estão bem presentes no concelho da Ribeira Grande, desde o basalto da Praça do Emigrante, ao desenvolvimento que trouxe a nível económico para o concelho, pelo apoio aos setores sociais e mais desfavorecidos. Eu, como ribeiragrandenses que sou, sinto isto e gostava aqui de o testemunhar. Uma palavra para o senhor Joaquim Ferreira Leite, por parte do senhor presidente do Governo, agradecer-lhe novamente este reconhecimento pelo que ele tem feito em nome da região. Obrigado”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com