A Festa de Natal do Centro Social do Candal-Marco realizou-se no passado dia 15 de dezembro, no Auditório do Centro Cultural e Social de Olival, e contou com a presença dos familiares das cerca de 215 crianças que foram as “estrelas” do dia, de Marina Ascensão, vereadora da Câmara Municipal de Gaia, e de Paulo Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Santa Marinha e São Pedro da Afurada.

As crianças do Centro Social do Candal-Marco, nomeadamente do Jardim das Camélias e do Jardim da Régia, transportaram o público presente no Auditório de Olival para o universo mágico do espírito natalício.

“Quebra-nozes”, “A toca das Fadas”, “As cores do Natal”, “O Natal da Malta”, “Vai nevar, vai nevar”, “Natal em todo o lado”, “Aleluia”, “Natal no fundo do mar” e “As Renas perfeitas”, foram os temas interpretados pelas crianças das salas e do ATL desta IPSS.

O Pai Natal apareceu no final desta festa para roubar sorrisos e distribuir presentes pelos mais pequenos.

Manuel Santos, presidente da direção do Centro Social do Candal-Marco, enalteceu ao AUDIÊNCIA que esta Festa de Natal tem como principal objetivo “juntar a família” e que, no que respeita o ano corrente, “tivemos um plano pedagógico perfeitamente cumprido. As crianças, que são a essência da instituição, são felizes, estão contentes e isso é o mais relevante, ou seja, a felicidade que podemos transmitir às nossas crianças”.

Paulo Lopes, presidente da Junta de Freguesia de Santa Marinha e São Pedro da Afurada, afirmou ao AUDIÊNCIA que esta é “das festas mais importantes para as nossas crianças e a Junta de Freguesia de Santa Marinha e São Pedro da Afurada faz questão de estar presente pelo simbolismo da quadra natalícia, mas também porque, verdadeiramente, somos, permita-me a expressão, «o Pai Natal», uma vez que a Junta de Freguesia oferece um brinquedo, uma prenda natalícia a todas as crianças do ensino privado e público, dos jardins-de-infância e do ensino básico, e são mais de 2700 prendinhas que damos como uma lembrança e que têm um significado de partilha”.

Marina Ascensão, vereadora da Câmara Municipal de Gaia, salientou ao AUDIÊNCIA que “hoje é uma festa da família” e que “a presença da Câmara nestas festas representa, exatamente, aquilo que eu julgo que é o mais importante, que é a proximidade com as instituições e esta relação de proximidade e de confiança que tem vindo a ser construída ao longo destes últimos cinco anos”.

O presidente da Junta de Freguesia de Santa Marinha e São Pedro da Afurada revelou, a propósito da situação atual das IPSS da Freguesia, que estas “estão muito bem” e que “o Centro Social do Candal-Marco é uma IPSS de referência para a União de Freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada, que tem prestado um papel importantíssimo no cuidar das crianças de todos nós, pelo trabalho é desenvolvido, que é enorme, de muita qualidade e de muita responsabilidade”, porque esta é uma instituição na qual “as crianças, de facto, se desenvolvem aprendendo, em perfeita harmonia, e é uma instituição onde se vê que as crianças são muito felizes”.

No que concerne os apoios, Paulo Lopes, destacou que a Junta de Freguesia “está próxima destas instituições e ajuda-as. Nós apoiamos logisticamente e financeiramente todas as instituições da nossa União de Freguesias, nomeadamente o Centro Social do Candal-Marco, de forma a que estas criem condições, para proporcionarem um serviço de excelência às nossas crianças”.

Enquanto Marina Ascensão evidenciou que “a Câmara Municipal de Gaia tem um planeamento estratégico e vai apoiando as instituições, não só à medida das solicitações que as próprias instituições nos fazem, mas, muitas vezes, para projetos muito concretos, não só de obra, de construção, mas também de atividades que as instituições, muitas vezes, precisam de realizar e nós sabemos todos que as instituições passam por momentos menos bons, porque têm muitas dificuldades de sustentabilidade e, portanto, o Município, muito embora não seja uma competência direta dos Municípios a atribuição destes apoios económicos, tem feito muito este papel e tem estado sempre na linha da frente, naquilo que respeita os apoios às instituições quando elas precisam”.

Manuel Santos aproveitou a ocasião para revelar que a sua aspiração para 2019 é que seja dado ao Centro Social do Candal-Marco “a sustentabilidade que é necessária e é precisa, para que a instituição efetivamente não caia numa posição de insustentabilidade, ou seja, de falência”.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com