O Grupo Folclórico da Madalena festejou 18 anos de existência no passado dia 2 de novembro, na Escola E/B 2/3 da Madalena. A celebração contou com a presença de Elísio Pinto, vereador da Câmara Municipal de Gaia, de Vítor Rocha, em representação de Francisco Leite, presidente da Junta de Freguesia da Madalena, de Miguel Costa, presidente da Assembleia de Freguesia da Madalena, de Joaquim Marques, padrinho do Grupo Folclórico da Madalena, e de diversas entidades madalenenses.

O Grupo Folclórico da Madalena celebrou 18 anos de história e de paixão pela preservação dos costumes e das tradições da freguesia. “Responsabilidade, gratidão e compromisso” foram as palavras-chave das comemorações que decorreram no passado dia 2 de novembro, na Escola E/B 2/3 da Madalena.

A presidente da direção do Grupo Folclórico da Madalena, Cristiana Pereira, afirmou ao AUDIÊNCIA que “18 anos significam muita responsabilidade, mas também significam muita aprendizagem naquilo que já foi o menos bom e o melhor e, portanto, se calhar o que fizemos menos bem não iremos repetir, mas com certeza que aquilo que correu muito bem iremos fazer e, provavelmente, da melhor forma possível. Eu acho que, acima de tudo, aprendemos uns com os outros, somos muito jovens, o nosso Grupo é composto por elementos de uma faixa etária muito jovem e, por isso, estamos todos a crescer e todos os dias crescemos com o Grupo”.

Joaquim Marques é padrinho desta associação e revelou ao AUDIÊNCIA que “o 18º aniversário é o atingir da maioridade de uma instituição que, a partir de hoje, vai ter mais responsabilidade, porque já tinha a responsabilidade de levar a cultura para fora da Freguesia da Madalena. Como tal, acontece que nós ao transportarmos a cultura da nossa Freguesia para fora das fronteiras e para outras freguesias, vamos mostrar o que de bom nós temos, com um Grupo Folclórico heterogéneo, porque nós temos crianças desde os 4 anos e elementos com mais de 80 anos”, sublinhando que “nós nunca nos podemos esquecer dos fundadores, porque se não fossem os fundadores hoje não existiam 18 anos. Portanto, a primeira palavra de apreço terá de ser para essas mesmas pessoas. O que acontece é que a garantia destes 18 anos foi um tipo de aprendizagem, mas agora com toda a determinação e coerência e coesão do próprio Grupo Folclórico vamos fazer com que ele seja o dobro daquilo que foi até hoje, que é o lema desta casa e quando eu fui presidente da direção sempre lhes disse: vamos ser melhores hoje do que ontem, para amanhã sermos melhores do que hoje.”

A celebração do 18º aniversário do Grupo Folclórico da Madalena também contou com a presença de representantes da Câmara Municipal de Gaia, da Junta de Freguesia e da Assembleia de Freguesia da Madalena, que fizeram questão de comparecer neste dia, que foi de extrema relevância para a associação.

Assim, Elísio Pinto, vereador da Câmara Municipal de Gaia, não deixou de realçar, em representação de Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, que “o Grupo Folclórico da Madalena, durante estes 18 anos, tem contribuído imenso para valorizar a nossa cultura popular, as nossas tradições, os nossos usos e costumes. Por isso, em nome da Câmara Municipal e do senhor presidente da Câmara, deixo uma palavra de gratidão por todo este trajeto de vida, porque, efetivamente, o Grupo Folclórico da Madalena tem contribuído para esta afirmação e valorização desta cultura popular”.

Neste contexto, também Vítor Rocha ressaltou, em representação de Francisco Leite, presidente da Junta de Freguesia da Madalena, que “é sempre difícil falar sendo tão fácil, é difícil porque para mim é uma família. Eu conheço toda a gente, eu privo com toda a gente e eu gosto de toda a gente. A Junta de Freguesia da Madalena tem estado com o Grupo Folclórico da Madalena e o Grupo Folclórico da Madalena, no seu todo, tem estado com a Junta de Freguesia e nós estivemos sempre presentes naquilo que nos foi pedido”.

Por seu turno, Miguel Costa, presidente da Assembleia de Freguesia da Madalena, enalteceu que “o Grupo Folclórico da Madalena vive um momento bastante intenso. Vocês fazem muitas atividades e fazem muitas atividades de uma forma que eu aprecio deveras”, salientando que “eu penso que o Grupo Folclórico está a afirmar-se neste momento”.

A presidente da direção do Grupo Folclórico da Madalena aproveitou ainda a ocasião para falar ao AUDIÊNCIA sobre os desejos e ambições para os próximos 18 anos da associação. “Eu imagino os próximos 18 anos com novos desafios, acima de tudo. Nós temos alguns objetivos muito específicos como ter uma nova sede, porque a que temos não é suficiente para nós, porque não tem o espaço de que necessitamos para ensaiar e esse é um dos nossos maiores objetivos para os anos que temos pela frente. Para o ano iremos aos Açores também. No fundo, é continuar a percorrer o nosso país e o estrangeiro. Nós também estamos a planear uma ida ao estrangeiro muito grande, portanto isso também faz parte dos nossos objetivos. Logo, há muita vontade e, acima de tudo, muita sustentabilidade e eu acho que isso é o mais importante, porque nós estamos conscientes de qual é o percurso que temos de fazer”, referiu Cristiana Pereira.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com