A Mercadona aumentou a capacidade de armazenamento do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, com a criação de uma nave de 12 mil metros quadrados, que representou um investimento adiciona de 24,5 milhões de euros. Este novo espaço passou a armazenar as frutas e legumes e a albergar a área dedicada à gestão de caixas reutilizáveis e de uso único, resultantes do modelo de logística sustentável da empresa.

 

 

A Mercadona ampliou a capacidade de armazenamento do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, com a criação de uma nave de 12 mil metros quadrados. Este novo armazém, construído num terreno de 50 mil metros quadrados, adjacente ao que já funciona desde 2019, tem como principal intuito dar resposta à evolução do projeto de expansão da empresa, em Portugal, e representou um investimento de 24,5 milhões de euros.

Com a criação desta nave, que se juntou às outras duas, que a empresa já tinha em funcionamento, procedeu-se a uma reconfiguração total do espaço. Assim, os novos 12 mil metros quadrados passaram a armazenar as frutas e legumes que, diariamente, saem para os supermercados da cadeia, em Portugal. Além disso, fruto do seu modelo de logística sustentável, e em colaboração com a Logifruit, contempla uma área, com cerca de 3 mil metros quadrados, dedicada à gestão de embalagens.

Adicionalmente, a superfície onde está inserido o novo armazém conta com uma área de 17 mil metros quadrados de zonas verdes e 100 lugares de estacionamento, sendo que dois estão destinados ao carregamento de veículos elétricos, ligados à rede MOBI.E, indo ao encontro do compromisso da empresa para com a mobilidade elétrica.

Em 2019, a Mercadona arrancou com a operação do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim com duas naves, tendo investido 60 milhões de euros, sendo que, no total, a empresa já investiu 84,5 milhões de euros no seu desenvolvimento. Atualmente, esta estrutura conta com três naves, que foram construídas numa área total de 100 mil metros quadrados, contabilizando 350 postos de trabalho, dos quais 20 foram criados para dar resposta ao novo projeto de ampliação.

Carlos Lopes, diretor do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, considera que a expansão é “uma grande aposta na garantia de melhor serviço às nossas lojas, tendo em conta as necessidades dos «Chefes» (clientes). Acreditamos que esta é uma evolução natural, para respondermos às necessidades de expansão em Portugal e esperamos que, com o reforço da rede logística, continuemos a assegurar a satisfação dos portugueses, que escolhem, diariamente, a Mercadona, como o seu supermercado de confiança”.

Por outro lado, Aires Pereira, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, sublinhou que “o impacto, dimensão e peso que uma empresa internacional como a Mercadona tem na economia local – e principalmente no crescimento do nosso Parque Industrial de Laúndos – reflete-se, significativamente, também, ao nível do aumento do emprego no nosso concelho, até porque metade do número total de colaboradores nestas três unidades reside na Póvoa de Varzim”.