O lançamento do livro “Rascunhos da Alma”, da autoria de Manuela Bulcão, decorreu no passado dia 2 de fevereiro, na Associação Agrícola de São Miguel, em Rabo de Peixe, na Ribeira Grande, na Ilha de São Miguel. A iniciativa contou com a presença de Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Graça Borges Castanho, professora na Universidade dos Açores, Margarida Santos, escultora e autora do Troféu AUDIÊNCIA, Jaime Rita, presidente da Junta de Freguesia da Maia e coordenador da ANAFRE nos Açores, entre centenas de gaienses e ribeiragrandenses.

 

 

Manuela Bulcão é natural de Feteira, na Horta, na Ilha do Faial, e é uma escritora e poesia que apresentou, no passado dia 2 de fevereiro, na Associação Agrícola de São Miguel, em Rabo de Peixe, na Ribeira Grande, na Ilha de São Miguel, o livro “Rascunhos da Alma”, que é exclusivo AUDIÊNCIA e no qual estão presentes cartas, confidências, suspiros e desabafos sobre os amores da autora.

O lançamento desta obra começou com a leitura de Joaquim Ferreira Leite, diretor do Jornal AUDIÊNCIA, de um excerto de “Rascunhos da Alma” e seguiu-se com o testemunho da escultora Margarida Santos, que foi responsável pela Capa e pela Introdução desta obra e afirmou que “eu conheço a Manuela Bulcão há muitos anos e quando ela me convidou para fazer a capa do livro, enviou-me os textos e fizemos um intercâmbio entre as palavras dela e a forma como eu a iria interpretar”.

“Quando li Manuela Bulcão achei que a maioria dos textos dela eram escritos com aquela pureza, com a alma inteira nas palavras. Portanto, quando fiz a capa pondo este rosto de mulher sonhadora, sofrida, de certo modo, com uma grinalda de pureza e de princesa na cabeça”, explicou a escultora, sublinhando que “eu acho que estas cartas, que estes rascunhos são feitos com essa magia da simplicidade, da forma como cada um não precisa de rever o que escreve, porque nós nos revemos naquilo que ela escreve. É por isso que estes pequenos textos, são 45 textos os que compõem este livro, nos prendem a todos, porque todos nós seguramente em algum momento mais cedo ou mais tarde da nossa vida, nós achamos que o amor é um fator essencial na vida de cada um e aqui, efetivamente, eu encontrei-me, eu me encontrei, porque toda a minha obra e eu tenho muito tempo de carreira, falou sempre e celebrou sempre o amor”.

Posteriormente, o diretor do Jornal AUDIÊNCIA passou a palavra a Graça Borges Castanho, professora na Universidade dos Açores, que escreveu o Posfácio deste livro e aproveitou a ocasião para salientar que “hoje estamos aqui por causa de uma autora que nos ofertou com estes deliciosos textos”, destacando que “os textos estão repletos, de facto, de emoção, estão repletos de rima, estão repletos de sensibilidade”.

“Nós aqui o que nós temos é um eu lírico, um eu poético que fala daquilo que lhe vai na alma, por isso é que intitulou o próprio livro de «Rascunhos da Alma»”, contou a professora, ressaltando que “o que nós vemos é uma mulher que comunica, uma mulher que vive para os outros, uma mulher que se entrega, uma mulher que vive de paixões” e que “a Manuela é uma mulher de coragem, de ação e de inspiração para todos nós”.

Ao longo da apresentação desta obra foram inúmeras as personalidades que abriram as páginas de “Rascunhos da Alma” e leram alguns excertos, como foi o caso de Linda Luz, jornalista do Jornal AUDIÊNCIA, Dário Silva, presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, em Vila Nova de Gaia, Rúben Pacheco Correia, proprietário do Botequim Açoriano, e Rui Maré, Rei das Cavalhadas de São Pedro.

Jaime Rita, presidente da Junta de Freguesia da Maia e coordenador da ANAFRE nos Açores, marcou presença no lançamento desta obra, da qual também fez parte através do Epílogo, e referiu que “ler os textos de prosa-poética de Manuela Bulcão é um encontro ou o reencontro que todos os dias os ilhéus fazem com a riqueza da natureza que nos rodeia, com a fragilidade da nossa geografia atlântica e com a interioridade que nos persegue dia após dia em busca do equilíbrio perdido que acompanha os tempos vividos com amor e paixão”.

O presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, escreveu o Prefácio de “Rascunhos da Alma” e asseverou, aquando da apresentação desta obra, que “«Rascunhos da Alma»… cartas de amor… desabafos… confidências… Este livro encerra em si tudo isto e muito mais, proporcionando a quem o ler uma viagem por um mundo próprio, com entradas, saídas e paragens. Umas obrigatórias, outras nem tanto. Por que às vezes, na vida, também é preciso saber parar, repensar, redescobrir o caminho e seguir em frente”.

O autarca agradeceu ainda “em primeiro lugar, ao Ferreira Leite, porque se não fosse ele, provavelmente não estaríamos aqui esta noite e depois agradecer à autora por ter-se lembrado de assinalar neste espaço, no concelho da Ribeira Grande, o lançamento de mais um livro”.

Por fim, a autora de “Rascunhos da Alma”, Manuela Bulcão, enalteceu que “é sem dúvida uma grande emoção estar aqui nesta terra que, mesmo não sendo minha, é minha e é minha porque eu sou açoriana, eu sou da Ilha do Faial, mas atualmente estou mais ligada à Ilha de São Miguel do que propriamente à Ilha que me viu nascer”, revelando que “algumas cartas de amor que estão aqui foram escritas a alguém que nunca soube nem saberá que foram escritas a ele próprio”.

“O livro «Rascunhos da Alma» é um exclusivo AUDIÊNCIA, este livro é para o AUDIÊNCIA”, evidenciou Manuela Bulcão, admitindo que “nós que escrevemos ficaremos muito felizes se nos degustarem, se nos folhearem, só assim faz sentido escrever”.

O lançamento deste livro da autoria de Manuela Bulcão terminou com um momento musical, que foi protagonizado por Miguel Bandeirinha, André Mariano e Rafael Carvalho.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com