O novo edifício central, onde estão concentrados todos os serviços de atendimento ao cidadão da Câmara Municipal de Gaia e das empresas municipais Águas de Gaia e Gaiurb – Urbanismo e Habitação, denomina-se PraÇa e abriu no passado dia 26 de março.

A abertura oficial do novo edifício PraÇa realizou-se no passado dia 26 de março e contou com a presença do Cónego Jorge Duarte, da presidente do Conselho de Administração da Águas de Gaia, também diretora municipal de Administração e Finanças, Manuela Garrido, dos vereadores da Câmara Municipal de Gaia, dos autarcas de freguesia, de entidades civis e militares e da comunidade gaiense.

Em causa está um espaço de atendimento ao público com uma área de 2800 metros quadrados, que absorve os vários polos de atendimento atuais, que se encontravam dispersos, nomeadamente os serviços de apoio à população da Câmara Municipal de Gaia, das empresas municipais Águas de Gaia e Gaiurb – Urbanismo e Habitação e do espaço do cidadão.

Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, afirmou que “ é um serviço inspirado no «modelo Loja do Cidadão» e integramos, para além dos serviços municipais, também o serviço de espaço do cidadão, que nos permite tratar basicamente de tudo”, porque “não faz sentido que o cidadão, para resolver três problemas, tenha de se descolar a três sítios diferentes”. Assim, este novo espaço “permite a uma cidadão que, por exemplo, venha tratar da fatura da água resolver, ao mesmo tempo, o cartão de cidadão e, ainda, tratar do assunto que tem pendente na Gaiurb”, referiu o autarca.

O projeto, que contempla o espaço de atendimento municipal, PraÇa, é da autoria da arquiteta do município Joana Almendra, resultou de um investimento na ordem dos 2,3 milhões de euros, todo ele municipal, e inclui o espaço exterior público, de cultura e de encontro entre os cidadãos, que foi inaugurado, no passado mês de junho, na presença do primeiro-ministro António Costa.

“É uma obra que está paga”, sublinhou Eduardo Vítor Rodrigues, acrescentando que “este espaço, na verdade, foi pensado para o melhor serviço público aos cidadãos, mas foi pensado para que os trabalhadores e as trabalhadoras da Câmara Municipal tivessem um espaço digno para poderem dar a melhor das respostas aos problemas que os cidadãos cá trazem. É, por isso, um espaço que nós tentámos que fosse um espaço de qualidade, digno, de serviço público, e não fosse um espaço megalómano, mas conciliasse várias coisas, em primeiro lugar, a necessidade de um atendimento integrado no município”.

Neste seguimento, autarca revelou que “neste momento, nós temos 80 funcionários municipais, afetos ao edifício”, mais 20 funcionários da Águas de Gaia.

O edifício PraÇa é “uma estrutura que permite criar um novo espaço”, “onde nós queremos não edificar propriamente um centro cívico, porque a ideia de centro cívico já não é bem compatível com as sociedades modernas. As sociedades modernas e as cidades modernas são cidades policêntricas”, enalteceu o presidente da Câmara Municipal de Gaia.

“Tenho a certeza que ganhamos todos o orgulho de sermos Vila Nova de Gaia, o orgulho de podermos olhar para este espaço e significarmos um espaço de fluição, que daqui a tempos coabitará com o Centro de Congressos, que coabitará com a nossa beira-rio e com um Centro Histórico requalificado e crescentemente apelativo para os que nos visitam e para os de cá, que vai coabitar com nosso Auditório e com o nosso Museu da Cidade, já aqui adiante no terreno da Fábrica das Devesas que o município adquiriu e que tal como esta obra já pagou, que coabitará com a nova linha de metro que arrancará nas devesas, que atravessará a VL8 até ao Campo Alegre com uma nova travessia dedicada ao metro e coabitará, já a partir do dia 5 de abril, com o concurso público que vai ser lançado para a extensão da linha amarela entre Santo Ovídeo, o Hospital de Gaia e Vila D’Este”, salientou Eduardo Vítor Rodrigues.

O espaço reservado aos munícipes está localizado na cota baixa das traseiras dos Paços do Concelho e conta com uma zona de espera enquadrada por 30 balcões e três salas de atendimento reservado. O piso inferior é inteiramente reservado a gabinetes e possui duas salas para arquivo. Em ambos os pisos, localizam-se salas de atendimentos específicos, que não implicam grande afluxo de público e que, pela sua função, têm um acesso distinto do atendimento geral.

O novo balcão de atendimento está em funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16 horas, e aos sábados, das 9 às 13 horas.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com