Entrevistada há 10 anos pelo AUDIÊNCIA, muito mudou na vida de Leonor Plácido desde a sua participação no musical “Annie”, de Filipe La Féria. Aos 21 anos, a jovem atriz continua com a mesma paixão pelos palcos mas trocou Portugal por Inglaterra para aperfeiçoar a técnica e estudar. Hoje, com a incerteza do futuro nesta área da cultura, Leonor Plácido está receosa mas não deixa de sonhar alto, como a própria diz.

 

 

A última vez que o AUDIÊNCIA falou consigo foi há precisamente 10 anos. Ainda se lembra? Claro que me lembro! Como se fosse ontem. Estávamos num café e eu bebi um batido de banana. Lembro-me de estar muito nervosa, mas depois senti-me mesmo confortável devido à simpatia dos jornalistas. Não sabia que já passaram 10 anos. O tempo voa mesmo!

 

Na altura, era conhecida como Leonor Leite Castro, algum motivo especial para ter mudado para Leonor Plácido?

Sempre quis que o meu nome fosse Leonor Plácido, o meu apelido materno, é mais único e diferente. Acho que na altura houve uma confusão na parte de marketing do espetáculo e puseram o meu último apelido, o paterno.

 

O que mudou na sua vida desde a participação no musical “Annie”, quando a entrevistamos?  O que andou a fazer durante estes 10 anos, que participações teve a nível de trabalho?

Ui, já aconteceu tanta coisa! Entretanto, acabei o secundário na Academia Contemporânea do Espetáculo, no Porto, no curso de interpretação, onde fiz várias peças de teatro desde William Shakespeare a Harold Pinter. Depois de terminar, fiz um Gap year onde trabalhei em restauração para juntar algum dinheiro e viajei um bocado. E, finalmente, tomei a decisão de ir para Inglaterra estudar ‘acting’ na Universidade de Northampton. Estou agora a terminar o 3º ano e posso dizer com toda a confiança que foi uma das melhores decisões que já fiz. Já tive aulas como luta de palco, improvisação, trabalho de câmara e entre outras. A nível profissional, participei em várias peças de teatro com a universidade, fiz parte dum videoclip de música e tive a oportunidade de fazer de figurante em algumas séries televisivas.

 

Onde está e o que faz neste momento a Leonor?

Neste momento devido a atual situação encontro-me no Porto pois vim visitar a família. Mas irei voltar o mais rápido possível para Inglaterra, Northampton, onde vivo e onde vou começar a planear o meu futuro e o que fazer daqui para a frente. Há ainda muitas decisões difíceis para tomar.

 

Quais os seus objetivos para o futuro?

Recentemente descobri a minha paixão por interpretar os textos de William Shakespeare e é de certeza algo que gostaria de fazer no futuro. Talvez, com muita sorte, na Royal Shakespeare Company? (risos) Tenho que sonhar alto! Claro que gosto muito de musicais e gostava imenso também de estudar um pouco mais na área de cinema/televisão. Para já, ainda tenho várias opções e muitos objetivos. Vai ser uma questão agora de ver qual caminho será o melhor para mim.

 

De que forma esta pandemia mundial teve interferência na sua vida profissional e pessoal?

A pandemia teve um impacto bastante grande. Estando no meu último ano do curso, e nos meses finais do mesmo, interferiu imenso. Muitas das regalias do curso foram removidas e/ou alteradas para opções não tão agradáveis. Afinal de contas, estes seriam os meses em que nos iríamos preparar para começar a vida profissional de ser uma ATRIZ – que toda a gente sabe é sempre complicada nos primeiros meses, ou até anos. A nível pessoal claro que é sempre difícil, pois tive de vir a Portugal e por isso não posso ver nem os meus amigos de Inglaterra nem os de Portugal. Bastante frustrante.

 

Considera que as artes são das áreas que vão ser mais afetadas por esta pandemia?

Sem dúvida! Deixa-me muito ansiosa o que pode vir a acontecer. Sinto que obviamente o teatro será mais afetado que por exemplo o cinema – mas será uma luta enorme para sentir algum conforto na profissão como atriz.

 

Continua a ter a mesma paixão pelo teatro?

Sim! Todos na minha turma me dizem que sou muito expressiva – aliás, sempre me disseram isto, desde o “Annie”! É uma característica que é sempre uma mais valia no teatro.

 

Porque decidiu mudar-se para Inglaterra, e pensa em voltar?

Estou lá a estudar, mas irei ficar lá a viver, pelo menos uns anos. Infelizmente para ser atriz aqui em Portugal ainda é muito complicado. Claro que é sempre bom ter um sítio para onde ir caso tudo corra mal em Inglaterra, mas esperemos que não! Só o tempo dirá.

 

 

 

BI

Nome: Leonor Plácido

Naturalidade: Porto

Idade: 21 anos

Hobbies: Ler, ver filmes/séries, ginásio, cantar e cozinhar!

Sonho: uiii, está sempre a mudar (risos) Mas neste momento é atuar na Royal Shakespeare Company!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com