Só no ano letivo de 2018/2019 as escolas de Vila Nova de Gaia e de Santa Maria da Feira conseguiram arrecadar 203 toneladas de resíduos recicláveis que foram agora traduzidos em euros para três escolas vencedoras de cada concelho. A entrega de prémios decorreu no mês de novembro e ficou garantida a continuação desta iniciativa que tem como objetivo, mais do que reciclar, prevenir e assegurar a sustentabilidade ambiental.

Decorreu, no passado mês de novembro, a entrega de prémios da Campanha Solidária Toneladas de Ajuda, inserido no Programa Ecovalor, desenvolvido pela Suldouro, Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos, S.A., e que tem como objetivo atribuir benefícios económicos a todos os estabelecimentos de ensino que separam as embalagens usadas.

No ano letivo de 2018/2019 este programa atingiu um valor recorde nas quantidades recolhidas, superando todas as expetativas. Ao todo, foram recolhidas cerca de 203 toneladas de resíduos recicláveis, o que se traduziu num aumento de 80 por cento face à edição anterior que permitiu às escolas angariar mais de 22.500 euros, que serão aplicados em causas sociais nomeadas por estas instituições de ensino.

A grande vencedora foi a MACUR, de Santa Maria da Feira, que conseguiu reunir um total de 1859 sacos, que consiste num prémio de 1639 euros. Já em Vila Nova de Gaia, em primeiro lugar ficou a EB1/JI Moinhos, que arrecadou um prémio de 776 euros por ter conseguido juntar 570 sacos amarelos e 288 azuis. Em segundo lugar ficou a Escola da Asprela com um prémio de 614 euros por 306 sacos azuis e 335 amarelos e em terceiro lugar a EB1 Escultor António Fernandes de Sá que recebeu 582 euros por 318 sacos azuis e 344 amarelos.

Segundo Rui Silva, administrador delgado da Suldouro, explicou que este é um projeto que já tem algumas edições mas que tem vindo a aumentar o número de escolas participantes de ano para ano, dando como exemplo o aumento verificado de 113 toneladas de 77 escolas na edição anterior para 203 toneladas de 99 escolas nesta edição.

“Estamos a falar de recursos, não de resíduos, e estes recursos têm valor. Temos de apoiar uma causa que para nós é importante de responsabilidade social e vamos continuar com um novo programa, o Ecovalor, com os mesmos moldes”, anunciou.

Já Miguel Lisboa, presidente do conselho administrativo da Suldouro, acredita que a “sustentabilidade é algo que tem de ser real” e destaca a importância que a empresa tem de ter no impacto ambiental da sociedade. “Temos um papel associado a obrigações como recolher os materiais e tratar os resíduos, mas o que temos de melhorar é a prevenção, que vem desde o início da cadeia. Todos temos um papel importante nessa prevenção e a Suldouro, em especial, tem como missão a prevenção”.

Miguel Lisboa deixou ainda claro que todos “temos responsabilidade de deixar o planeta sustentável para o futuro”, pelo que considera que as 200 toneladas recolhidas neste programa “a nível nacional não é importante mas ajuda as crianças a serem educadas ao nível da prevenção”.

Também César Oliveira marcou presença nesta entrega de prémios e não deixou de elogiar a Suldouro por criar “ações concretas que conseguem transmitir às crianças e pais uma lógica ambiental que terá um efeito fantástico daqui a uns anos”.

Este programa é um dos maiores investimentos nacionais dedicados à educação e sensibilização ambiental e é cofinanciado pelo POSEUR em cerca de 2,6 milhões de euros, sendo que além de premiar as escolas pelo seu desempenho ambiental, também oferece ações de sensibilização e promove ações originais com recurso a planetários itinerantes.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com