No âmbito da apresentação do Relatório e Contas de 2021, em Assembleia Geral, no passado dia 28 de março, o Conselho de Administração da Unileite anunciou que obteve, durante o ano transato, resultados superiores a meio milhão de euros, comunicando, ainda, uma nova subida do preço do leite pago aos produtores, que contemplará um aumento faseado de 4 cêntimos, entre 1 de abril e 1 de maio.

 

 

 

O Conselho de Administração da Unileite apresentou, em Assembleia Geral, no passado dia 28 de março, as demonstrações financeiras relativas ao ano 2021, com resultados superiores a meio milhão de euros, que foram aprovados por unanimidade.

Estes resultados, segundo Pedro Tavares, presidente do Conselho de Administração da Unileite, “demonstram uma trajetória consolidada, fruto de uma gestão criteriosa, responsável e assertiva, desenvolvida num contexto de um quadro económico difícil, de instabilidade aos mais diversos níveis e da perpetuação da pandemia da Covid-19”.

Para o Conselho de Administração da Unileite, o regresso aos resultados positivos nos últimos dois anos, permitiram reforçar o posicionamento da empresa, o seu poder negocial e a redução de exposição, perante os credores.

De acordo com a União das Cooperativas Agrícolas de Lacticínios da Ilha de São Miguel, “esta estratégia, permitiu iniciar, desde outubro de 2021, um percurso de valorização do preço de leite pago à produção, mostrando-se um fator impulsionador, para que outras indústrias também o fizessem”.

Durante a Assembleia Geral foi, ainda, aprovado, por unanimidade, o aumento faseado do preço do leite pago ao produtor, no valor de 4 cêntimos, que será dividido entre abril e maio.

Neste contexto, Pedro Tavares recordou que, desde outubro de 2021, a valorização do preço do leite foi, no total, de 8 cêntimos, salientando que “a nossa maior preocupação é salvaguardar o rendimento dos nossos produtores, sem colocar em causa a sustentabilidade da Unileite”.

“Perante estes resultados, e apesar da necessária prudência que se impõem, decidimos, mais uma vez, voltar a aumentar o preço pago à produção”, referiu o presidente, assegurando que “é compromisso deste Conselho de Administração, salvaguardar e melhorar o rendimento dos seus produtores, contribuindo de forma decisiva para o futuro de um setor fundamental, pilar da economia da Região Autónoma, que cria riqueza e cria bem-estar social”.